Fraqueza dos indicadores

Publicação: 2019-10-02 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

A produção da indústria brasileira cresce em agosto após três meses de recuo, mas não é nada a ser comemorado. A produção caiu em 23 das 26 atividades, no  melhor desempenho desde o pós-greve de caminhoneiros. Na mesma batida dos indicadores negativos, o faturamento e horas trabalhadas na indústria cresceram apenas 0,6%, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os indicadores industriais mostram que, mesmo com desempenho positivo, a atividade no setor continua fraca. O emprego ficou estável e massa real de salários e rendimento médio do trabalhador diminuíram em agosto. Já a venda de papelão ondulado caiu  2,54% em agosto ante agosto de 2018. Um sinal ruim de retração.    

Estimativa
A projeção do FGV IBRE para a produção da indústria é de queda de -2,5%, comparando 2019 com 2018, e de crescimento de 0,7%, na comparação mensal (agosto contra julho). Em termos interanuais, a expectativa é de piora nas indústrias de transformação e extrativa. No segmento de produtos químicos de uso industrial a produção subiu 5,96%, melhor nível desde março, mas ficou 9,21% abaixo do nível de agosto de 2018.

Estabilidade
A Confiança Empresarial fica estável em setembro e retorna a nível médio do quarto trimestre  de 2018. Estamos andando para trás. O Índice de Confiança Empresarial da Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE) subiu 0,1 ponto em setembro. Na média do terceiro trimestre, o índice cresceu 1,2 ponto  refletindo uma percepção ainda desfavorável com relação à situação corrente dos negócios.

Divisão 
Acordo fechado para dividir os recursos do megaleilão de petróleo. A Câmara dos Deputados deve votar até o dia 6 de novembro a proposta que divide os recursos do leilão. Serão R$ 10,95 bilhões para Estados conforme os critérios do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e outros R$ 10,95 bilhões para os municípios, de acordo com os critérios do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Desempenho
A Organização Mundial do Comércio (OMC) reduz a previsão de alta do comércio global em 2019, um corte “drástico”. De acordo com a entidade, a expansão será de 1,2% este ano, bem abaixo da projeção apresentada apenas seis meses atrás, de 2,6%. A roda da economia mundial  “emperrou”.

Petróleo no RN
A Petrobras vai manter suas atividades no Rio Grande do Norte, especialmente, nas áreas de exploração e produção de petróleo e de energias renováveis. Tem projetos para energia gerada dos ventos, no mar e de exploração de petróleo em águas profundas. O contrato de venda de campos terrestres para a empresa Central Resources do Brasil Produção de Petróleo, dos campos de Ponta do Mel e Redonda,  faz parte do planejamento de se desfazer de pequenos negócios e ficou em boas mãos. A Resources já atua no RN.  As descobertas desses campos ocorreu  lá nos  anos de 1984 e 1987.

Estatística
Os idosos são a única faixa etária que mostra crescimento em consumo no Brasil. O país ganhou um batalhão de 1,2 milhão de novos lares com mais de 65 anos em apenas dois anos - entre 2017 e 2019.  Segundo a multinacional de painéis de consumo Kantar, do total de 9,4 milhões de lares maduros brasileiros, 64% têm entre 1 e 2 pessoas, 86% não têm crianças de até 12 anos e 38% têm carro. Além de menores, estas famílias têm uma renda média domiciliar mensal 9% maior do que o restante da população.

Comércio
Nas vendas do Dia das Crianças, até 12 de outubro, a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping prevê um aquecimento no varejo, projetando um incremento de 8% em relação ao ano passado. O ticket médio (valor) de quem pretende ir às compras em dias próximos da data será de R$ 50 a R$ 100. É um comércio segmentado e de pouco efeito estatístico.

Licença
O Idiarn adota uma boa medida. O produtor de camarão e de peixe do RN pode emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA), de casa. A liberação é feita pelo sistema SIAPEC, para a matéria prima de camarão e peixe. O documento,  obrigatório para o transporte da despesca, anteriormente era emitido apenas de forma presencial.  O documento serve  para o camarão, bovinos, ovinos e caprinos.

Artesanal
O Ministério da Agricultura e Pecuária cria um regulamento para sucos e polpas de frutas artesanais. Para não fugir do caráter artesanal, a produção máxima anual foi fixada em 80 mil quilos para polpas de frutas e em 80 mil litros para o suco de fruta.  Interessa ao RN que a produção de polpa e suco de frutas artesanais em estabelecimento familiar rural tenha agora regulamento específico.







continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários