Informe Publicitário
Frente Parlamentar ajudará a fortalecer o cooperativismo no RN
Publicado: 00:00:00 - 09/09/2021 Atualizado: 22:18:16 - 08/09/2021
desenvolvido há mais de 100 anos no Rio Grande do Norte, o Cooperativismo é uma doutrina que coloca em ênfase a colaboração entre pessoas ou grupos com um objetivo comum em suas atividades econômicas. No Estado, é fácil encontrar Cooperativas de Pescadores,  Artesãos, Médicos, Crédito e Transportes. Elas são responsáveis por 6% do Produto Interno Bruto do Estado e reúnem mais de 300 mil pessoas em vários segmentos da economia potiguar. 

ALRN



Para incrementar ainda mais o desenvolvimento desse setor, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte criou a Frente Parlamentar de Apoio ao Cooperativismo potiguar (FRENCOOP), presidida pelo deputado estadual George Soares (PL). “Hoje, temos cerca de 72 mil cooperativados em 118 cooperativas ligadas ao sistema OCB - Organização das Cooperativas Brasileiras, e esse número cresce quando incluímos outras organizações. São mais de 2 milhões de potiguares diretamente atendidos pelo sistema de cooperativas do RN”, explica George Soares.

Na primeira reunião da FRENCOOP realizada mês passado, foi discutida uma intensa pauta de ações em prol do cooperativismo, a ser desenvolvida ainda neste ano e no primeiro semestre de 2022. Além dos deputados que constituem a Frente, estiveram presentes o presidente da Organização das Cooperativas do RN (OCERN), Roberto Coelho; e o superintendente do Sistema Nacional de Aprendizado do Cooperativismo (SESCOOP/RN), Eduardo Gatyo.
Para Roberto Coelho, presidente da Ocern, a história econômica e de desenvolvimento do Rio Grande do Norte é ligada diretamente às Cooperativas.

 Roberto lembrou que 60% das habitações e 90% da energia rural do nosso Estado tiveram a participação das cooperativas para a realização e agradeceu a criação da Frente e reconheceu a importância do apoio legislativo para a manutenção e crescimento das cooperativas.

Parceria
Em julho passado, a governadora Fátima Bezerra (PT) recebeu em audiência, a Frente Parlamentar de Apoio às Cooperativas e dirigentes do setor para tratar do projeto de lei que institui a Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo no Rio Grande do Norte.

“Desde sempre, tenho uma ideia muito clara que o cooperativismo, nos seus mais diversos ramos, busca aquilo que todos desejamos, que é o desenvolvimento sustentável, solidário. Contem com nosso governo porque somos aliados do cooperativismo”, disse Fátima Bezerra. Diante da necessidade de fusão de duas propostas elaboradas pelos deputados Francisco do PT e George Soares, a governadora sugeriu a construção de um novo projeto para ser encaminhado à Assembleia Legislativa no segundo semestre deste ano.

“As cooperativas são parceiras do desenvolvimento e, com certeza, o Governo do Estado será parte desse processo, juntamente com a Assembleia e a OCB [Organização das Cooperativas do Brasil]”, ressaltou o deputado George Soares, que é presidente da Frente Parlamentar de Apoio às Cooperativas no Rio Grande do Norte, ao apresentar a pauta da reunião da FRENCOOP. 

“Sei da sensibilidade do governo em relação a esta matéria. E é por isso que estamos aqui, juntamente com representantes do cooperativismo, na defesa de ações que possam beneficiar esse importante segmento da economia do Rio Grande do Norte”, enfatizou o deputado Francisco do PT, que foi professor da Escola Cooperativa de Parelhas, a COOEPAR.

O presidente da Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Norte (OCERN), Roberto Coelho, lembrou que o cooperativismo foi o setor que menos sofreu na pandemia. Segundo ele, a crise global provocada pelo coronavírus fechou milhares de empresas no Brasil, mas nenhuma Cooperativa. “O que estamos trazendo aqui, é um projeto amplo, importante para o Estado”, reforçou o diretor da OCERN, Manoel Santa Rosa. 

Os dirigentes sugeriram ainda alteração na lei dos consórcios interfederativos de saúde, para permitir a participação de instituições sociais, filantrópicas e cooperativas. Outra pauta da audiência foi o projeto de lei que autoriza a Junta Comercial (Jucern) a celebrar convênio com a OCERN objetivando a criação do Escritório do Cooperativismo do Rio Grande do Norte. A iniciativa, que tem o apoio do Governo do Estado, é pioneira no Brasil.

ALRN
Em abril de 2019, momento da instalação da FRENCOOP, presidida pelo deputado estadual George Soares (PL)

Em abril de 2019, momento da instalação da FRENCOOP, presidida pelo deputado estadual George Soares (PL)


Setor cresce 11% mesmo com a pandemia
Mesmo em meio aos desafios sociais e econômicos gerados pela pandemia do novo coronavírus, em 2020 o cooperativismo brasileiro cresceu. O principal indicador social – o número de cooperados – saltou de 15,5 milhões (em 2019) para 17,2 milhões no ano passado – registrando um crescimento de cerca de 11%. E se o resultado na geração de trabalho (para os cooperados) foi bom, o resultado na geração de emprego também foi muito satisfatório, pois houve um ingresso de quase 28 mil profissionais nas cooperativas do País.

Em 2019, o número total de colaboradores nas Cooperativas era 427,5 mil e, em 2020, esse número subiu para 455 mil. Os dados fazem parte do Anuário do Cooperativismo Brasileiro lançado em agosto passado pelo Sistema OCB e que tem o ano de 2020 como referência. 

Sobre os novos dados do cooperativismo brasileiro, o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, destacou que a divulgação deste estudo tem por objetivo dar visibilidade à força e relevância socioeconômica do cooperativismo, disponibilizando para as cooperativas, imprensa, academia e organismos públicos dados e informações sobre esse modelo de negócios. “Esse anuário permite projetar estratégias para o fortalecimento do setor e o sucesso de mais essa conquista tem que ser compartilhada com as unidades estaduais e cooperativas que não mediram esforços para atender às nossas solicitações de informações”, destaca Márcio Freitas. 





Leia também