Futebol, memória e arte

Publicação: 2018-06-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

O futebol é uma paixão nacional. E em época de Copa do Mundo, não tem como esse grandioso evento ficar restrito aos gramados. Em Natal, o Mundial é tema de duas novas exposições. Uma de abordagem memorialística, na Assembleia Legislativa, e outra, artística, no Museu Café Filho.

Acervo na Assembleia traz reproduções e peças oficiais da Copa: a réplica das taças Jules Rimet e Fifa, além coleção de camisas
Acervo na Assembleia traz reproduções e peças oficiais da Copa: a réplica das taças Jules Rimet e Fifa, além coleção de camisas

Na Assembleia Legislativa (Cidade Alta), a exposição foi aberta na segunda-feira (11), no Salão Nobre da instituição. As visitas podem ser feitas até o dia 22 de junho, sempre no horário das 8h às 15h. Na ocasião da abertura da exposição, foi lançada e entregue a Medalha do Mérito Esportivo Marinho Chagas, sob condução do presidente da Casa, o deputado Ezequiel Ferreira (PSDB).

A mostra reúne itens alusivos à Copa do Mundo de várias épocas. São medalhas, camisas autografadas, fotos de jogadores, figurinhas, réplicas das taças Jules Rimet e Fifa. As peças fazem parte da coleção do jornalista Alexandre Gurgel. “Essa coleção tem mais de 40 anos. O acervo é de mais de 400 peças. Para montar essa exposição aqui na Assembleia fiz uma seleção”, diz Alexandre, um dos filhos do folclorista Deífilo Gurgel. “Tem três peças aqui que foi Deífilo que me deu. Duas revistas e um vinil do bicampeonato. Ele sabia da minha paixão por futebol e me deu. Papai só torcia por dois times: Flamengo e Seleção Brasileira”.

Alexandre já havia montado uma exposição sobre a Copa em 2014. Mas essa nova mostra reúne novidades, como camisas da seleção assinadas pelos craques Zico e Pelé. A área das camisas, por sinal, conta com todos os modelos usados pela seleção ao longo das copas, desde o uniforme branco das primeiras edições do campeonato, o modelo azul do primeiro título, em 1954, e o famoso amarelo. Algumas das camisas são réplicas, outras, como o uniforme da Copa de 70, é oficial.

Publicações, moedas e selos comemorativos estão na exposição alusiva à Copa do Mundo
Publicações, moedas e selos comemorativos estão na exposição alusiva à Copa do Mundo

O colecionador diz que em todo o Brasil há apenas cinco exposições montadas com abordagem histórica sobre a Copa, sendo a exposição da Assembleia uma dessas. Para ele, a exposição no RN tem a peculiaridade de abranger uma variedade de itens. “Diferente de outras coleções, a minha não se detém a apenas um tipo de peça, como camisa ou revistas. Eu coleciono itens variados”, comenta.

Dentre os itens variados, ele destaca algumas raridades, como uma medalha original de 1950, produzida à pedido do presidente Getúlio Vargas para presentear as delegações que estavam no Brasil. “Essa peça poucas pessoas tem. Consegui numa feira de antiguidades no Rio de Janeiro”, lembra. Outras peças interessantes são os vinis especiais, alguns com as narrações dos gols da seleção e outros, como um LP alemão com a narração da final da Copa de 1974, vencida pela Alemanha em cima da Holanda.

A relação do RN com as copas ou com a seleção brasileira é tratada em fotos e páginas de revistas. Dequinha, primeiro potiguar a vestir a camisa da seleção – ele integrou o grupo que venceu a copa de 1954, mas sem entrar em campo –, é lembrado. No entanto, a atenção maior é para Marinho Chagas, único potiguar a entrar em campo numa Copa, em 1974, quando ele disputou todos os sete jogos da seleção, que acabou em 4º lugar no campeonato. Um item curioso a respeito da “Bruxa”, como Marinho era conhecido, é um vinil de 1977 em que o jogador mostra seu lado cantor. “Esse disco rendeu inclusive clipe exibido no Fantástico”, conta Alexandre.

Miniaturas e postais lembram os vários craques que vestiram a camisa da seleção brasileira
Miniaturas e postais lembram os vários craques que vestiram a camisa da seleção brasileira

Futebol Arte
A atmosfera em torno da Copa do Mundo é a inspiração para as obras que compõem a mais nova exposição do Museu Café Filho (Cidade Alta). Intitulada “Arte, Futebol e Paixão”, a mostra coletiva promovida pela Fundação José Augusto (FJA) será aberta nesta quinta-feira (14), a partir das 16h, com entrada franca.

A exposição apresenta obras de 27 artistas norte-rio-grandenses que expressam através das cores, formas e diversas técnicas, o impacto da futebol na cultura brasileira. A paixão nacional pelo esporte é traduzida de diversos ângulos pelos artistas participantes. Há desde homenagens a alguns jogadores específicos, até a mistura de elementos da cultura popular com o tema.

Participam da mostra os artistas Assis Costa, Bia Rocha, Clarissa Torres, Cristina Jácome, Dione Caldas, Djalma Paixão, Dorian Gray, Eri Medeiros, Etelânio, Fernando Gurgel, Flávio Freitas, Francisco Iran, Guaraci Gabriel, Isaias Ribeiro, Ivanize, Lourdinete, Marcellus Bob, Marcelo Amarelo, Carcará, Nôra, Novenil, Pedro Ivo, Ricardo Veriano, Rosa MC, Sayonara Pinheiro, Vatenor, Vicente Vitoriano, Wagner de Oliveira, Demetrius Coelho, Iaperi Araújo e Carlos Sérgio.

No museu Café Filho, a exposição apresenta obras de 27 artistas locais que expressam a importância do esportena vida das pessoas
No museu Café Filho, a exposição apresenta obras de 27 artistas locais que expressam a importância do esporte na vida das pessoas

A exposição conta ainda com a escultura em homenagem ao ex-jogador Marinho Chagas, produzida por Guaraci Gabriel. A coletiva “Arte, Futebol e Paixão” fica em cartaz no Museu Café Filho até o dia 1º de agosto, com visitação de terça à domingo, sempre das 8h às 17h.

A Taça do Bar do Nélio e o acervo do Bardallos
Na Cidade Alta o clima é realmente de Copa. Além das exposições na Assembleia Legislativa e no Museu Café Filho, o bairro também conta com exposição de arte no Bardallos e uma intervenção no Bar de Nélio. No Bardallos são 11 obras à mostra, praticamente todas inéditas e produzidas para a ocasião. Os artistas são de várias áreas, como grafite, ilustração, cartum, pintura em aquarela, fotografia e arte digital.

Um dos pontos boêmios na Cidade Alta, o Bar de Nélio está com uma atração que caiu na graça dos clientes: uma réplica da Taça Fifa, com tamanho e peso iguais ao da oficial. O item pertence a Severino Gomes, frequentador do bar, e ficará em exposição no local até o final da Copa. No espaço também foi montado um mural com fotos dos clientes.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários