Gasolina chega a R$ 4,49 em Natal

Publicação: 2018-05-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Aura Mazda
Repórter

O consumidor que precisar abastecer o tanque de gasolina em Natal vai encontrar valores em média R$ 0,20 mais caros do que os preços praticados em janeiro deste ano. No início do ano, de acordo com pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP), o preço máximo na época era R$ 4,29. Com o reajuste do último dia  12, a cifra máxima de gasolina comum encontrada pela reportagem da TRIBUNA DO NORTE nos postos de abastecimento de combustível das zona Norte a Sul da capital foi de R$ 4,49. Para encher um tanque de 50 litros, o motorista pagará a mais 4,29%, e terá que desembolsar até R$ 224,5. Em janeiro, esse valor era de até R$ 214,50.

Na zona Sul de Natal, maioria dos postos de abastecimento de combustível já cobrava ontem R$ 4,49 por litro da gasolina comum
Na zona Sul de Natal, maioria dos postos de abastecimento de combustível já cobrava ontem R$ 4,49 por litro da gasolina comum

Com base no último Levantamento de Preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP), divulgado nesta quinta-feira (15), o preço médio do litro da gasolina no Rio Grande do Norte, na semana passada, estava em R$ 4,25, o mínimo era R$ 4,19 e o máximo R$ 4,29. A pesquisa foi feita em 27 postos durante os dias 06 e 12 de maio, datas que o reajuste ainda não tinha impactado nas bombas de combustível e atingido o consumidor final.

Na tarde de ontem (15), de acordo com levantamento feito pela reportagem da TRIBUNA DO NORTE, o valor do litro da gasolina variava até R$ 0,30 comparando um posto que praticava o menor preço, R$ 4,19, na zona Norte de Natal, e o de maior preço - um posto de gasolina da avenida Prudente de Morais, na zona Sul, onde o valor da gasolina “comum” era R$ 4,49. O “aditivado” custava R$ 4,69 em postos da avenida Roberto Freire, também na zona Sul.

Na zona Norte, posto tem menor preço (R$ 4,19) e promoção que reduz valor do litro da gasolina comum a R$ 4,14 a partir de 30 litros
Na zona Norte, posto tem menor preço (R$ 4,19) e promoção que reduz valor do litro da gasolina comum a R$ 4,14 a partir de 30 litros

Quem usa a gasolina como combustível para o trabalho, o impacto do reajuste pesa um pouco mais. O taxista Ruy Freitas, de 29 anos, acompanha os aumentos desde 2008, quando começou a exercer a profissão. Na tarde de ontem, ele procurou os preços mais baratos e resolveu abastecer em um posto da avenida João Medeiros Filho, na zona Norte. “O reajuste é absurdo e fica cada vez mais difícil trabalhar para quem depende do combustível. Aqui na zona Norte é onde ainda encontramos os melhores preços”, disse o taxista.

Ruy Freitas, taxista
Ruy Freitas, taxista

Morador da zona Norte, o autônomo Orildo Monteiro, de 48 anos, percorreu várias avenidas durante a tarde desta terça-feira até encontrar o preço mais barato, que era R$ 4,19. Ele reclamou da alta do preço e disse que o consumidor deve ser crítico aos reajustes. “Eu moro aqui perto e pra mim fica mais barato abastecer aqui. Mas eu sei que na zona Sul esse preço é bem maior”, explicou o consumidor.

Orildo Monteiro, autônomo
Orildo Monteiro, autônomo

Política de preços
A política de preços adotada a partir de julho do ano passado pela Petrobras para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras se baseia no preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais desses produtos mais os custos que os importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo, esclareceu a empresa.

Segundo a estatal, “a paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”. O preço considera ainda uma margem que cobre eventuais riscos, como volatilidade do câmbio e dos preços.

O reajuste às distribuidoras corresponde a 2,23% em relação ao valor de R$ 1,8908 que vigorou até a sexta-feira (11). Esse é o segundo reajuste nos preços da gasolina e diesel — para as distribuidoras e, consequentemente, ao consumidor final — em menos de uma semana. No último dia 7 de abril, a Petrobras já havia aplicado um aumento de 1,44% para a gasolina e 1,3% ao litro do diesel, em média.

Alta nas bombas
Comparação do preço da gasolina para o consumidor

Natal   

Janeiro de 2018

103
postos visitados

Preço Médio
R$ 4,160   
Desvio padrão
R$ 0,056   
Preço mínimo
R$ 4,039   
Preço máximo
R$ 4,290

R$ 214,5 era o valor que um motorista gastava para abastecer um tanque de 50 litros, considerando o maior preço

Maio de 2018*
27 postos visitados

Preço médio
R$ 4,225
Desvio Padrão
R$ 0,022
Valor mínimo
R$ 4,190
Valor máximo
R$ 4,290

*pesquisa realizada entre 6 e 12 de maio.

Maio de 2018*
Valor mínimo
R$ 4,19
Valor máximo
R$ 4,49

R$ 224,5
é o valor que um motorista gasta para abastecer um tanque de 50 litros, considerando o maior preço

*De acordo com postos visitados pela TN ontem.

Fonte: ANP/Pesquisa TN


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários