Gasto com curso de formação da PM ultrapassa R$ 10 milhões

Publicação: 2020-01-08 00:00:00
Os candidatos aprovados no concurso da Polícia Militar deram início aos treinamentos necessários para que, em 10 meses, sejam efetivamente incorporados às fileiras da Corporação no Rio Grande do Norte. Concluído em 2019, o concurso foi realizado para mil vagas e os aprovados vão passar por um curso de formação com carga-horária de 1.430 horas aula, distribuídos ao longo de 240 dias letivos. Durante os oito meses de curso, Estado deverá desembolsar um montante que ultrapassa os R$ 10 milhões, de acordo com a Secretaria de Estado de Administração.

Créditos: Magnus NascimentoTurmas têm aulas das 7h às 12h e das 14h às 17h30, com aulas teóricas e de educação física três vezes por semanaTurmas têm aulas das 7h às 12h e das 14h às 17h30, com aulas teóricas e de educação física três vezes por semana
Turmas têm aulas das 7h às 12h e das 14h às 17h30, com aulas teóricas e de educação física três vezes por semana

Os treinamentos são operacionalizados através do Centro de Formação e Aperfeiçoamento da Polícia Militar. O Comandante do Centro, tenente-coronel Vilela, afirma que os aprovados vão cursar 37 disciplinas, além de laboratórios práticos que trazem algumas das vivências do dia-a-dia da Corporação. Na fase inicial do curso, as aulas serão majoritariamente teóricas, com disciplinas voltadas para o Código Penal Militar, legislação organizacional, história da Polícia Militar e outros regulamentos de práticas diárias, como continências.

"A linha pedagógica inicial do curso foi traçada para despertar neles a vontade de servir. Precisamos incentivar a vontade de fazer parte da corporação, e fomentar a cultura de servir e proteger. É isso que estamos trabalhando com eles nessa fase inicial: liderança, união de grupo, educação, coletividade", explica o Tenente-Coronel Vilela. De acordo com ele, apenas depois da fase inicial é que serão ofertadas as disciplinas técnico-profissionais. "Não vamos dar as disciplinas técnico-profissionais logo no início, porque eles precisam ter a confiança de que querem isso de verdade antes de partirmos para a prática", completa.

O curso de formação deve se estender até agosto e cada aluno será remunerado, por mês, com um salário mínimo (R$ 1.039). Apenas com estes vencimentos, o Estado deverá desembolsar, durante o período, pouco mais de R$ 10 milhões. Outras despesas como material utilizado na formação, remuneração para os professores e outros custos não foram informados pela pasta à reportagem.

Os 153 candidatos desclassificados do concurso devido à problemas em documentação tiveram até ontem para recorrer da decisão e solicitar a revisão dos documentos. De acordo o Governo do Estado, os casos serão analisados e respondidos até o sábado, 10. No dia 14 deste mês será publicada a lista final com a classificação dos candidatos aptos ao curso, bem como a lista com os candidatos excluídos por inconsistência na reapresentação de documentos.

De acordo a comissão do concurso público da PM, o Estado trabalha com o número de mil candidatos, porém afirmou que, a depender do resultado de possíveis decisões judiciais, o número pode aumentar.

Treinamentos são em dois pólos na capital
Os treinamentos acontecem em dois Pólos da capital potiguar, um deles na zona Norte, no bairro do Potengi, e outro na zona Sul, na Escola Edgar Barbosa. As aulas acontecem diariamente, das 7h às 12h e das 14h às 17h30. Além das disciplinas teóricas, os aprovados no concurso também vão contar com aulas de educação física de duas a três vezes por semana, onde vão aprender técnicas de defesa pessoal, imobilização e uso de algemas."Há um treinamento físico intenso de repetição, com profissionais formados e especializados para dar esse tipo de treinamento", afirma o Comandante.

Além das disciplinas e aulas de educação física, os alunos vão passar, também, por outro tipo de treinamento ao longo do curso: os laboratórios. Com o objetivo de trazer vivências em diferentes frentes de atuação da Polícia Militar, os laboratórios terão carga-horária diferenciada, de cerca de 10 horas aula, e vão abordar temas como legislação de trânsito, batalhão de choque, cavalaria e locais de crime.

“Um laboratório muito importante que temos aqui é o que vai abordar a experiência com a parte rural, porque 80% de nosso Estado é composto pela Caatinga, e ter conhecimento sobre como operar nesse espaço é relevante", explica o Tenente-Coronel.

Além dos laboratórios, também serão ofertadas as disciplinas de experiência técnico-profissionais, onde os candidatos à PM vão aprender instruções táticas individuais, ou seja, o comportamento adequado a se ter com o equipamento, abordagem policial, direito aplicado à atuação policial e outras que também dizem respeito às operações diárias da Corporação.

“Conseguimos montar um plano bem recheado para essas novas turmas, com aspectos que vão desde a parte teórica à vivência técnico-profissional. Foi tudo feito pensando em como formar os profissionais mais preparados para atuar na segurança do RN”, destaca Vilela.

O último concurso público para a Polícia Militar do Rio Grande do Norte havia sido realizado em 2005, o que fez com que a tropa do Estado passasse praticamente 15 anos sem renovação. Essa situação é semelhante a de outros setores da segurança pública, como é o caso da Polícia Civil, que aguarda a realização de um certame para renovação do efetivo em 2020.

Em entrevista concedida à TRIBUNA DO NORTE no dia 30 de dezembro, o titular da Secretaria do Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), Coronel Francisco Araújo, destacou que a recomposição do efetivo será a prioridade para o ano de 2020, e que é um dos fatores considerados urgentes para a área.

À reportagem, Araújo afirmou que "Todas as instituições estão com efetivo defasado", e que mesmo com a incorporação dos mil policiais militares aprovados no concurso ao quadro da PM,o Estado precisa de concursos “tanto para a polícia Civil como para o Corpo de Bombeiros, o Itep a própria Polícia Militar".

Números
1.430 horas aula é a carga horária do curso de formação dos candidatos aprovados para a Polícia Militar.

37 disciplinas estão no currículo do curso de formação que duração de 240 dias letivos.