Economia
General Silva e Luna afirma que ICMS eleva combustíveis
Publicado: 00:00:00 - 15/09/2021 Atualizado: 22:49:47 - 14/09/2021
Com um discurso totalmente alinhado ao do presidente Jair Bolsonaro, o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, jogou para os governadores a responsabilidade pela escalada dos preços dos combustíveis no País, tentou passar a ideia de que a estatal não tem relação com o aumento dos preços e citou o esforço da companhia para manter o abastecimento. 

Leia Mais

"Quando há flutuação dos preços, não quer dizer que a Petrobras teve alguma atuação sobre o preço", disse. Segundo ele, a parte da composição do valor que corresponde à estatal é de aproximadamente R$ 2,00 considerando um preço na bomba de R$ 6,00. "O que impacta é o ICMS, e outros impostos federais, como PIS e Cofins. A Petrobras não passa a volatilidade momentânea do preço internacional do petróleo", alegou.

"O combustível mais caro do mundo é aquele que não existe. Por isso, nosso esforço é para não faltar combustível, por isso importamos e ampliamos nossa capacidade de navios", acrescentou. Ele afastou a possibilidade de haver um tabelamento no País, alegando que isso inibe investimentos e afirmou que não há qualquer aversão na companhia para justamente investir, apesar das empreitadas recentes de venda de plantas e refinarias. O general falou em audiência no plenário da Câmara dos Deputados.


Leia também