Geração de empregos em julho é positiva no Estado

Publicação: 2019-08-24 00:00:00
A+ A-
Ricardo Araújo
Editor de Economia

Pelo segundo mês seguido, o Rio Grande do Norte registrou saldo positivo na geração de vagas de emprego formal. Em julho, conforme dados divulgados nesta sexta-feira, 23, pelo Ministério da Economia através do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o saldo (diferença entre admissões e demissões) ficou positivo em 788 vagas. Destaque para a Agropecuária, que gerou 1.105 novos postos de trabalho com carteira assinada. Em junho, o Estado gerou 1.237 vagas formais. No ano, porém, o saldo é negativo em 4.384 vagas. No Brasil, foram abertas 43.820 vagas de trabalho com carteira assinada, um crescimento de 0,11% em relação ao estoque de junho.

Créditos: Alex RegisO setor agropecuarista no Rio Grande do Norte foi responsável pela geração do maior número de vagas formais em julho passadoO setor agropecuarista no Rio Grande do Norte foi responsável pela geração do maior número de vagas formais em julho passado
O setor agropecuarista no Rio Grande do Norte foi responsável pela geração do maior número de vagas formais em julho passado

Ao longo do mês passado, o setor que mais gerou vagas formais de emprego no Rio Grande do Norte foi o Agropecuário: 1.105. O segundo destaque positivo ficou com o Comércio, que abriu 362 novos postos de trabalho. Com saldos positivos, mas numa velocidade menor, a Construção Civil encerrou julho com 29 postos formais criados; a Indústria Extrativa Mineral com 25; os Serviços Industria de Utilidade Pública com 23.

Os saldos negativos foram registrados, de maneira significativa, no setor de Serviços, que encerrou 513 vagas. Em seguida, a Indústria de Transformação que fechou outras 241 e a Administração Pública, que encerrou 2.

No Nordeste, além do Rio Grande do Norte, os saldos positivos foram registrados nos seguintes Estados: Paraíba, 1.870; Alagoas, 1.470; Ceará, 890; Piauí, 353; e Maranhão, 25. Os saldos negativos ficaram com a Bahia, 2.275; Sergipe, 443; e Pernambuco, 96.

Brasil
O mercado de trabalho brasileiro criou 43.820 empregos com carteira assinada em julho, de acordo com dados do Caged. O saldo de julho decorre de 1,331 milhão de admissões e 1,287 milhão de demissões. O resultado ficou abaixo do registrado em julho de 2018, quando houve abertura líquida de 47,319 vagas, na série sem ajustes.

No acumulado de janeiro a julho de 2019, o saldo do Caged foi positivo em 461.411 vagas, o melhor desempenho para o período desde 2014, quando a abertura de vagas chegou a 632.224 postos, na série com ajustes. Em 12 meses até julho, houve abertura de 521.542 postos de trabalho.

Os dados mostram a criação líquida de 5.546 empregos com contrato intermitente em julho. De acordo com os dados do Ministério da Economia, o emprego intermitente registrou admissão total de 12.121 trabalhadores em julho, ao mesmo tempo em que houve 6.575 demissões.

Houve ainda a abertura de outras 740 vagas pelo sistema de jornada parcial. As duas novas modalidades foram criadas pela reforma trabalhista. O Caged informou ainda que houve 18.984 desligamentos por acordo no mês de julho

Resultados regionais
Segundo o ministério, todas as regiões do Brasil tiveram crescimento no mercado formal de trabalho em julho. O maior saldo foi na Região Sudeste, com 23.851 vagas de emprego com carteira assinada, crescimento de 0,12%. Em seguida, vêm Centro-Oeste (9.940 postos, 0,30%); Norte (7.091 postos, 0,39%); Nordeste (2.582 postos, 0,04%) e Sul (356 postos, 0,00%).

Das 27 unidades da federação, 20 terminaram julho com saldo positivo no emprego. A maior parte das vagas foi aberta em São Paulo, onde foram criados 20.204 postos de trabalho; Minas Gerais, com 10.609 novas vagas, e Mato Grosso, que teve saldo positivo de 4.169 postos.

Veja abaixo a evolução das admissões e demissões no RN:

Janeiro/2019
Total de admissões: 12.094

Total de demissões: 13.453

Saldo: -1.359

Fevereiro/2019
Total de admissões: 11.845

Total de demissões: 14.094

Saldo: -2.249

Março/2019
Total de admissões: 10.236

Total de demissões: 12.269

Saldo: -2.033

Abril/2019
Total de admissões: 11.328

Total de demissões: 11.829

Saldo: -501

Maio/2019
Total de admissões: 11.234

Total de demissões: 11.730

Saldo: -496

Junho/2019
Total de admissões: 11.452

Total de demissões: 10.215

Saldo: +1.237

Julho/2019
Indústria de transformação     -241

Extrativa mineral     +25

Serviços Industriais de Utilidade

Pública     +23

Construção civil     +29

Comércio     +362

Serviços    -513

Administração pública     -2

Agropecuária     +1.105

Total de admissões    13.174

Total de demissões     12.386

Saldo     +788

Julho no RN
2009     +2.899

2010     +3.078

2011     +1.293

2012     +2.478

2013     +1.263

2014     +508

2015     -1.246

2016    +2

2017    +963

2018     +570

2019     +788

Saldo é a diferença entre contratações e desligamentos. Quando está positivo significa que o número de trabalhadores admitidos superou o de dispensados.



Fonte: CAGED / Ministério da Economia





Deixe seu comentário!

Comentários