Girão admite possibilidade de candidatura ao governo

Publicação: 2021-03-05 00:00:00
O deputado federal General Girão (PSL) disse que pode ser o candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao Governo do Rio Grande do Norte. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News Natal, o parlamentar fez duras críticas aos gestores estaduais e municipais sobre a condução da pandemia e disse que o Partido dos Trabalhadores deveria ser extinto. Um dos principais apoiadores de Jair Bolsonaro no Rio Grande do Norte, Girão atribuiu aos gestores estaduais e municipais a falta de leitos críticos para o atendimento aos pacientes com covid-19. Segundo ele, faltou preparação por parte dos gestores para a operacionalização e manutenção de novos leitos.

Créditos: Gilmar FreireGirão critica a condução das ações dos governos estaduais e municipais no combate à pandemia Girão critica a condução das ações dos governos estaduais e municipais no combate à pandemia

"A pandemia já está entre nós há mais de um ano e, até agora, os gestores não se prepararam com UTIs, respiradores, equipamentos para tratamento adequado. Não é momento para entrarmos em conflito, mas não dá para fechar os olhos para a incompetência dos gestores que não conseguem dar segurança ao tratamento das pessoas", disse Girão, afirmando ainda que "toda doença tem medidas preventivas" e que os adversários de Bolsonaro têm politizado a pandemia.

Sobre a compra de vacinas pelos estados, Girão também disse ser contrário, inclusive foi contra a transferência de recursos de emendas parlamentares destinados à Reta Tabajara para a aquisição dos imunizantes. Segundo ele, o Governo potiguar não tem sido competente na utilização de recursos federais e a compra de vacinas deve ser centralizada no Governo Federal.

"O Rio Grande do Norte, mesmo estando devendo R$ 5 milhões que foram gastos com respiradores que não chegaram, agora quer comprar vacina e pelo mesmo meio, através do Consórcio Nordeste. Se fosse a compra (de vacinas) fosse algo aprovado, seguro, dentro de um Governo que estivesse fazendo o uso correto dos recursos, eu apoiaria. Sou a favor da vacinação, mas o Governo se mostrou incompetente para usar os recursos que o Governo Federal encaminhou", disse Girão, que criticou a retirada dos recursos para a Reta Tabajara.

"A solução apresentada foi tirar a emenda da Reta Tabajara. É uma obra importante para salvar vidas, porque todo mundo usa e é uma obra que há mais de 20 anos se essa espera. A maioria votou por tirar os R$ 16 milhões da obra para mandar a um governo incompetente. Uma obra de infraestrutura, uma área que terá cortes no orçamento, e que infelizmente deverá ser paralisada porque não vai ter dinheiro", criticou.

Sobre a eleição de 2022, o deputado disse que há vários nomes dentro do grupo político que apoia o presidente Jair Bolsonaro. Porém, ele preferiu não citar nenhum outro nome além do dele, e disse que, caso seja cotado, vai avaliar a possibilidade.

"Tenho plena certeza e convicção de que o grupo político que apoia o Governo Federal tem nomes que poderão ser oferecidos à população. Esses nomes, eu acredito, apoiados pelo presidente podem fazer a diferença no estado. O Governo tem que apoiar porque nosso Estado não é autossuficiente para se manter sem o apoio federal. Se eu for um desses nomes, eu sou um soldado. A gente avalia a missão. Tem alguém que tem que autorizar, que é a mi


Ainda acerca das eleições, Girão ironizou a declaração do ex-ministro da Educação Fernando Haddad, em entrevista à Jovem Pan News Natal, sobre a possibilidade de Fátima Bezerra ser um nome cotado pelo PT para a Presidência da República. Além disso, fez duras críticas a legenda e disse que o PT não deveria existir.

"O que eu posso dizer é que se o partido dela quer tirá-la da disputa do Rio Grande do Norte, é porque a derrota vai ser fragorosa. A estratégia deles pode ser essa (risos). Mas falando sobre o partido deles, que tem ex-presidentes, presidente de honra, tesoureiros envolvidos com falcatruas, desvio de dinheiro, como é que um partido como esse ainda continua existindo? Desculpa, mas a reforma política tem que acabar com isso aí", disse.

Daniel Silveira
Girão também se posicionou sobre a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL/RJ). Segundo ele, que votou a favor da soltura do parlamentar e foi vencido na Câmara dos Deputados, a prisão do deputado pelo STF é como se "um filho fizesse algo errado e nós deixássemos o vizinho castigar".

"O deputado Daniel está preso, quase incomunicável, e a prisão é tão pior quanto as que estão os terroristas da Al Qaeda, em Guantánamo. As pessoas têm o direito de se defender em liberdade. Já merecia estar em liberdade porque a prisão é inconstitucional e arbitrária", avaliou.