Goiamum audiovisual abraça inclusão e memória

Publicação: 2018-04-05 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Sinônimo de fomento e resistência na cena cultural potiguar, o Goiamum Audiovisual lançou ontem (4), no auditório do Instituto Histórico e Geográfico do RN, a sua 9ª edição, que será realizada entre os dias 6 a 10 de junho. O festival terá como tema principal a Acessibilidade, fechando foco na inclusão visual, do início do processo de criação até à impressão de impressos em braile, audiodescrição para filmes. A acessibilidade também estará na palestra, com língua de sinais para pessoas surdas, integração cultural, formação e memória.

Goiamum mantém o formato democrático, de ocupação dos espaços com exibições e debates
Goiamum mantém o formato democrático, de ocupação dos espaços com exibições e debates

As inscrições seguem abertas até o próximo dia 15 para a Curta Goiamum – Mostra Competitiva de Curtas – Programa Nacional e Estadual. A Mostra Desentoca, não competitiva e de formação de acervo, também está recebendo material de realizações com menos acessos à exibição.

Também foi lançada a 2ª edição do edital Goiamum Abraça, voltado para agentes formadores e coletivos com ações em regiões da cidade onde os jovens tenham menos acesso a produções audiovisuais e passem por limitações sociais. As inscrições seguem até o próximo dia 24.

A 9ª edição do Goiamum Audiovisual é viabilizada com recursos da Secretaria do Audiovisual / Ministério da Cultura, e teve projeto aprovado na Lei Estadual Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura. O festival é uma realização da Casa de Produção em parceria com a ONG Olhares, com direção geral de Keila Sena, produção executiva de Daniele Brito e consultoria de William Hinestrosa.

Já foram confirmadas inscrições de 398 filmes de 25 estados, sendo a maioria de ficção. O Rio Grande do Norte já inscreveu quase 50 curtas-metragens, segundo Keila Sena.

Keila Sena destaca o Goiamum como festival inclusivo
Keila Sena destaca o Goiamum como festival inclusivo

Acessibilidade no foco
Além das mostras, os seminários ocupam lugar de destaque na programação do festival. Coordenado pela pesquisadora Andreia Gurgel, o “Seminário de Acessibilidade” terá palestras sobre temas ligados aos obstáculos que privam uma parcela da sociedade excluída das agendas culturais por sua condição física. Participarão dos debates representantes de entidades de Campinas (SP), Pernambuco, Rio de Janeiro, Ceará e Rio Grande do Norte.

“A gente espera contribuir e evoluir, pois vai chegar o momento em que a acessibilidade vai ser pensada no início do processo e não sendo inserida como uma adaptação. O produto vai ser adequado e não adaptado”, comenta Andreia Gurgel, espacializada em Acessibilidade Cultural e mestranda em Comunicação Acessível.  

Experiências e inclusão
A programação do Goiamum Audiovisual está recheada de boas opções de mostras, oficinas e intervenções, durante todos os dias de festival.

Tropykaos terá estreia em Natal no festival Goiamum
Tropykaos terá estreia em Natal no festival Goiamum

No segundo dia de festival (7/6) serão exibidas duas mostras com  a presença de seus organizadores. Às 19h30 será exibida “Cine às Escuras/ Mostra Erótica de Cinema Acessível”, com participação da idealizadora Andreza Nóbrega (PE).

Às 21h, é a vez da mostra “Panorama do Audiovisual Baiano”, mostrando um pouco da produção baiana, entre filmes e séries. O curador Lula Oliveira (BA) também estará presente.

Interessante também é a oficina “Cinema de Um Homem Só”, com Gustavo Spolidoro (RS), programada para o dia 8/6, das 14h às 18h. O curso pretende entender o processo de vários realizadores e ainda instigar a produção documental, ficcional ou libre de gêneros.

No mesmo dia também será exibido o novíssimo “Tropykaos”, do diretor Daniel Lisboa, ainda não lançado em circuito comercial. O filme conta a história de um jovem poeta em crise que tenta escrever seu primeiro livro, mas se depara com as dificuldades impostas pelas altas temperaturas do verão de Salvador (BA) e com uma estranha doença denominada por ele como “ultra violência solar”.

Ao longo das sete edições do Festival Goiamum Audiovisual foram realizadas 38 oficinas, 26 encontros e palestras, exibição de mais de 800 filmes em cerca de 46 mostras, dentre as quais, seis competitivas (4 nacionais e 2 potiguares) e 8 itinerantes, de circulação por regiões da cidade do Natal. Com a saída de parceiros em 2016, o Goiamum não aconteceu. Em 2017, o festival apostou em ações pontuais chamadas de drops, associadas a encontros, oficinas e seminários abordando o audiovisual em questões da sociedade.   


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários