Governo é ineficiente no Congresso, diz cientista político

Publicação: 2019-09-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
São Paulo (AE) - O governo do presidente Jair Bolsonaro é ineficiente sob o ponto de vista legislativo: ele envia projetos de lei, medidas provisórias, edita decretos, mas não tem muita capacidade de aprová-los. A avaliação foi feita pelo cientista político e professor do da Escola de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV) Fernando Limongi, durante seminário promovido pela FGV/ Ibre e o Estadão, que em um dos painéis abordou o tema "Presidencialismo à Bolsonaro".

Nas contas do cientista político, das onze primeiras medidas provisórias (MPs) editadas pelo governo Bolsonaro, sete perderam a eficácia por não terem sido votadas. "O governo tem um certo desinteresse pelas próprias propostas que envia ao Legislativo", afirmou Limongi.

Segundo o cientista político, o governo envia o projeto de lei para o Congresso e deixa lá. "Esta é uma das características do presidencialismo à Bolsonaro e o seu entendimento do que seja a relação entre Executivo e Legislativo."

Na opinião de Limongi, a agenda do presidente nos últimos tempos se reduziu à agenda familiar: garantir a nomeação do filho Eduardo como embaixador em Washington (EUA) e proteger o filho Flávio das investigações da Polícia Federal e do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras). "A nova política é só para os demais."

Durante a eleição e nos primeiros meses de governo, havia a expectativa de que o presidencialismo de coalizão, visto de forma bastante negativo, pudesse ser superado, lembrou Limongi.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários