Governo deve acatar proposta do TJ para professores, afirma SEEC

Publicação: 2018-04-16 19:56:00 | Comentários: 0
A+ A-
Após 26 dias de greve na educação estadual, o Governo do Rio Grande do Norte decidiu em reunião realizada na noite desta segunda-feira (16) acatar a proposta de conciliação apresentada pelo desembargador do Tribunal de Justiça (TJRN), Glauber Rêgo e algumas das ressalvas feitas pelo sindicato da categoria.

De acordo com a titular da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC), Cláudia Santa Rosa, a proposta aprovada prevê a implementação do reajuste salarial de 6,81% dos servidores ativos a partir de abril e o parcelamento do reajuste em seis parcelas, de abril até setembro, para os inativos, com o prejuízo do parcelamento reparado a partir do mês de outubro. O pagamento do retroativo de janeiro até março também deverá ser feito em seis vezes.

Estavam presentes na reunião representantes da Procuradoria Geral do Estado, da Secretaria de Administração, de Planejamento e Finanças e da Educação. "Com esse esforço do Estado, esperamos que a greve seja finalizada pela categoria", concluiu Cláudia Santa Rosa.

A categoria tem uma nova assembleia estadual marcada para esta terça-feira (17), às 8h30, na Escola Estadual Winston Churchill, localizada na Cidade Alta.

Greve da rede municipal

Na tentativa de negociar o fim da greve com a Prefeitura do Natal, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sinte-RN) realizou uma atividade em frente ao Palácio Felipe Camarão na manhã desta segunda-feira (16). Na ocasião, os representantes da categoria tentaram agendar uma audiência com o atual prefeito, Álvaro Dias, e foram informados da sua ausência na cidade, com retorno previsto somente para a quinta-feira (19).

A greve dos professores municipais teve início no dia 21 de março e cobra além da implementação do reajuste salarial de 6,81%, referente ao novo piso nacional, e o pagamento do retroativo, melhores condições de trabalho e reformas nas escolas.

Por enquanto, o entrave para o fim da greve permanece sendo o pagamento do retroativo aos servidores. As duas propostas apresentadas pela Prefeitura, não abarcam este ponto. A primeira previa a aplicação do reajuste no mês de setembro e a mais nova antecipava essa implementação para junho, mas, sem o retroativo, ambas foram negadas pela categoria.

Nesta terça-feira (17), às 14h, os professores municipais vão realizar uma nova assembleia na Associação dos Subtenentes e Sargentos do Exército (ASSEN), localizada no Tirol.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários