Governo do DF anuncia volta de restaurantes e escolas

Publicação: 2020-07-03 00:00:00
A+ A-
O governo do Distrito Federal (GDF) anunciou ontem cronograma de nova flexibilização das medidas de distanciamento em relação à pandemia do novo coronavírus com a autorização de funcionamento de diversos tipos de comércio e volta às aulas. As medidas foram oficializadas pelo Decreto 40.939.

Créditos: Marcello Casal JrAgência BrasilIbaneis Rocha instituiu o cronograma para retorno das atividadesIbaneis Rocha instituiu o cronograma para retorno das atividades


Pelo cronograma, na próxima terça-feira (7), voltam a funcionar salões de beleza, barbearias, centros estéticos e academias. No dia 15 de julho, poderão abrir bares e restaurantes. O DF já havia liberado diversos tipos de comércio, como lojas de móveis, por exemplo. 

Nesses estabelecimentos, não haverá mudança nos horários, como em várias outras cidades do país. Apenas os bares e restaurantes não poderão ter música ao vivo, bem como a realização de eventos.

Foram elencadas obrigações de saúde como garantia do distanciamento entre os clientes de pelo menos dois metros, utilização de equipamentos de proteção individual, revezamento de trabalhadores, proibir nas equipes pessoas do grupo de risco, disponibilizar álcool em gel 70%, higienização dos estabelecimentos e banheiros, uso de máscaras de proteção facial e aferição da temperatura de trabalhadores e clientes.

O decreto do governador Ibaneis Rocha, do Distrito Federal, também instituiu a volta das aulas presenciais. No dia 27 de julho, entram no cronograma de reabertura as escolas, universidades e faculdades da rede privada. 

Em 3 de agosto, ficam autorizadas as instituições de ensino da rede pública. Para estas, haverá um retorno gradativo, começando com as do ensino médio e indo para as séries inferiores, até chegar ao infantil. As creches são proibidas de abrir por determinação judicial.
O GDF anunciou, ainda, que distribuirá máscaras e garrafas de água aos alunos. Além disso, fará a testagem dos trabalhadores da educação. 

Um manifesto assinado por professores, dirigentes sindicais, jornalistas e artistas critica a postura do governador do DF, Ibaneis Rocha, diante da pandemia, classificando-a como “injustificável” e “irresponsável”.

“Na contramão das recomendações de especialistas e do que vem sendo feito em outros países, o governador, no momento em que a curva de casos cresce exponencialmente, reabriu prematuramente e continua reabrindo atividades econômicas e sociais não essenciais, com protocolos mal elaborados e que não são cumpridos e fiscalizados convenientemente, especialmente nas regiões mais afastados do centro. O resultado é o aumento assustador de contaminados e mortos no Distrito Federal, especialmente nas comunidades de maior vulnerabilidade social e na população mais pobre”, diz o texto.

Matéria atualizada às 16h51 para acréscimo de informações sobre críticas à decisão do governador Ibaneis Rocha.