Governo do Estado entrega nova ponte de Macau

Publicação: 2009-11-15 00:00:00 | Comentários: 2
A+ A-
A governadora Wilma de Faria inaugurou na noite de sexta-feira a ponte que liga Macau à ilha de Santana e que foi denominada Ponte de Todos Nossa Senhora dos Navegantes. Uma espera de décadas que virou realidade. A nova ponte, em concreto, substitui a antiga ponte de madeira, única ligação da ilha com a sede do município, que foi destruída pelas enchentes provocadas pelas chuvas no ano passado. A obra já está oferecendo condições para o escoamento de sal e camarão produzidos no outro lado da cidade. Por ela, já trafegam diariamente dezenas de caminhões fazendo o transporte destes produtos.

“Essa ponte era um sonho de Macau, eu hoje se torna realidade. É mais um compromisso meu assumido com a população que está sendo cumprido”, frisou a governadora Wilma de Faria.

A ponte Macau-Ilha de Santana, agora denominada, oficialmente, Nossa Senhora dos Navegantes, recebeu investimentos do Governo do Estado de R$ 13,8 milhões e já beneficia, diretamente, mais de três mil moradores que vivem na ilha. Com 360 metros de comprimento, 14 metros de largura e sete metros de altura sobre o leito do rio, a nova ponte de concreto tem duas pistas para passagem de veículos e duas passarelas laterais para pedestres e ciclistas. A altura vai permitir a navegabilidade do rio, uma vez que é muito comum o uso de barcos pelos moradores da região. Junto com a ponte foram construídas, também, as novas tubulações de águas e esgotos, tendo em vista que parte das estações de tratamento de esgotos de Macau está na ilha.

A inauguração foi prestigiada também por políticos. Estavam presentes, além do vice-governador do Estado, Iberê Ferreira de Souza, o deputado federal Henrique Alves, o prefeito de Macau, Flávio Veras, e o seu vice, Aluísio Farias, o ex-deputado estadual, Elias Fernandes, diretor geral do DNOCS no Estado, prefeitos de vários municípios da região, secretários de Estado e lideranças da região, entre as quais uma das grandes lideranças no município de Macau, Eduardo Lemos.

O deputado Henrique Alves destacou que a ponte Macau-Ilha de Santana era emblemática para uma população que esperava, havia décadas, pela sua concretização, mas que “é por obras como esta que o seu trabalho é reconhecido em qualquer região do Estado”, disse.

O prefeito de Macau não escondeu seu entusiasmo com a nova ponte e disse que “não se pode exigir mais da governadora, ela já fez muito por Macau. Problemas existem em todas as cidades, mas ela nos olhou de modo diferente, especial, assumiu compromissos e cumpriu. Fomos adversários, governadora, mas hoje eu visto a camisa do seu governo, porque tem ajudado muito a nossa cidade”, enfatizou.

O vice-governador Iberê Ferreira de Souza disse que assim como a governadora tem firmado parcerias com as administrações municipais ele também dará continuidade a esse trabalho a partir de abril, quando assume o governo. “Vocês não vão nem sentir a diferença de governo”, afirmou.   

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • gerson_gonzaga

    Todos nós sabemos que quando eles querem eles fazem, como também sabemos que é obrigação deles, mas... teve que ser uma mulher guerreira para fazer o que muitos homens não fizeram,pois muitos já passaram por lá; portanto eu tiro o meu chapéu e dou os meus parabéns a minha governadora e futura senadora WILMA de FARIAS. E a estrada Macau-João Câmara é uma BR, ou seja, a competência é do Governo Federal.

  • dlucass2006

    A população de Macau sabe muito bem porque essa ponte foi uma prioridade de Wilma! A Cia. salineira Henrique Lage estava em decadência e sua falência era inevitável. O zum zum zum na cidade é quê atualmente,o contrôle acionário da mesma está com a deputada e filha da governadora. Pergunto? Porquê até hoje a população de Macau enfrenta dificuldades em transitar entre Macau e João Câmara. Com certeza não existe interêsse financeiro. Ninguém têm que agradecer aos politicos aquilo que eles fizeram e, tarde demais. Essa é uma obrigação de todos os gestores do nosso dinheiro, e como obrigação, não lhes devenos nada. Muito ao contrário, eles sim, é quem nos deve muito e muito mesmo. Quando querem fazem, desfazem e, nada acontece com eles.