Governo encaminha à AL projeto que possibilita promoção de PMs

Publicação: 2009-12-23 18:09:00 | Comentários: 1
A+ A-
A governadora Wilma de Faria encaminhou à Assembléia Legislativa nesta quarta-feira (23) projeto de Lei Complementar que redimensiona os quadros da Polícia Militar do Rio Grande do Norte. O projeto possibilitará a ascensão profissional de policiais que estão há mais de 10 e 20 anos na mesma graduação e sem perspectiva de promoção. Com a ascensão de praças e oficiais serão criadas vagas na corporação que poderão ser preenchidas por meio de concurso público.
 
O redimensionamento criará ainda Comandos Operacionais – hoje restritos à capital (Comando de Policiamento da Capital) e interior (Comando de Policiamento do Interior) – nas regiões Oeste, Seridó e Agreste e o Comando de Policiamento Metropolitano, que integrará os municípios da região Metropolitana. O projeto também irá regulamentar os Batalhões e Companhias na capital e interior do Estado.
 
“A Polícia tem 173 anos de existência e pela primeira um Governo de Estado completa o efetivo total previsto em Lei, que é de 10.003 policiais para o Rio Grande do Norte, fato que consideramos de grande importância, porque em governos passados nunca se chegou a completar esse número, o efetivo ficava sempre com déficit”, ressalta a governadora Wilma de Faria.
 
Em oito anos, o governo Wilma de Faria aumentou em mais 3.500 homens o efetivo das polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros. Além dos recursos humanos, todos os municípios do Rio Grande do Norte estão sendo contemplados com viaturas policiais, equipamentos e armas. Os veículos integram uma frota de 500 viaturas, locadas ou adquiridas, que estão sendo distribuídas pelo Governo do Estado atendendo todas as regiões.
 
Efetivo

Em novembro o Governo do Estado convocou 650 suplentes do concurso de 2005 para a Polícia Militar do Rio Grande do Norte. A convocação atendeu à Lei Complementar nº 250, de junho de 2003, que estabelece um efetivo de 10.003 policiais para o Rio Grande do Norte. O curso de formação terá início em fevereiro. O novo contingente atuará no policiamento ostensivo em todo o Estado. Os novos convocados irão para os destacamentos da PM nas regiões de Natal e Grande Natal, Alto Oeste, Seridó e Agreste.
 
Também em novembro, a segurança pública do Rio Grande do Norte recebeu mais 743 soldados que já estão atuando no policiamento ostensivo. Com o novo efetivo, o Estado passou a ter, proporcionalmente, um dos maiores efetivos policiais do Nordeste. Os 743 novos policiais foram distribuídos em batalhões de Natal, Mossoró, Assú, Caicó, Pau dos Ferros e Nova Cruz.
 
A Polícia Militar do Rio Grande do Norte também ganhou 78 novos oficiais recentemente, promovidos em concurso público realizado pelo Governo do Estado. O novo contingente de aspirantes representa a maior turma de oficiais formada até hoje pela corporação. Todos os 78 oficiais estão atuando em operações de comando na capital e interior do Estado.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • WANDOBOMBA

    Muito boa a iniciativa do governo mais a lei complementar 250 foi atualizada em 2003 são 7 anos sem atualizar , e quanto a população cresceu em 7 anos hein?????Gostaria de colocar tbm que dessas convocações foram destinados para grande Natal cerca de 600 PM nessas duas convocações divida por bairros e coloque numa escala de serviço e me diga quantos fica por dia pra fazer a segurança???Aproximadamente 1 PM a mais por bairro ao dia!!!!Muito boa a propaganda falando sobre o investimento na área da segurança, façam uma tbm para falar quantos pais de família desempregados e aprovados no ultimo concurso estão lutando por uma vaga dependendo da boa vontade do governo para convocalos!São cerca de 2400 suplentes deste ultimo concurso, agora que apresentamos à sociedade a lei complementar 250 de 2003 o governo resolve cumprir mesmo sabendo que ela precisa ser atualizada!Somos 2400 suplentes e esperamos que o governo resolvesse a questão da validade do concurso, pois não é obrigação nossa resolver, o concurso tem a duração de 2 anos e prorrogável pelo mesmo período de 2 anos da um total de 4 anos,por que o nosso teve apenas 2 anos e 11 meses onde o certo seria 4 anos.o concurso foi homologado em 18/12/2006 dai conta 2 2=4!!!Vejam como estamos prejudicados, agora temos que pedir esmolas pra arrumar dinheiro pra contratar um advogado??? O direito nosso é liquido e certo temos direito adquiridos e o queremos!