Governo promete R$ 15 milhões para novos poços

Publicação: 2012-12-12 00:00:00
Roberto  Lucena - repórter

Cerca de 70 prefeitos eleitos nas últimas eleições participaram, na tarde de ontem, de um encontro promovido pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec). A governadora Rosalba Ciarlini e membros do Comitê Gestor Integrado da Seca também estiveram presentes. Na pauta do encontro que reuniu  futuros gestores dos municípios em situação de emergência devido à estiagem, estava as ações realizadas neste ano e as propostas para combater a seca no ano vindouro. Somente para a perfuração e instalação de poços, o Governo do Estado promete investimento superior a R$ 15 milhões.
Prefeitos eleitos participam de reunião para discutir ações emergencias de enfrentamento à seca
Segundo o coordenador da Cedec, tenente-coronel Josenildo Acioli, a reunião serviu para alertar os prefeitos sobre a necessidade de tomar conhecimento dos procedimentos necessários para se adequar às normas da Coordenadoria, bem comum agilizar a liberação de recursos provenientes do Governo Federal. O alerta é importante pois, para se ter ideia, mais de 40 municípios potiguares ainda não contam com equipes de Defesa Civil legalizadas. “É preciso alertar sobre a importância da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil para todos os municípios do RN, temos que trabalhar a prevenção e dá continuidade ao trabalho desenvolvido durante este ano”, destacou.

Atualmente, 142 municípios do RN estão em estado de calamidade. Destes, 139 foram declarados em  Situação de Emergência pelo Governo do Estado, através do Decreto Estadual nº 22.637, de 11/04/2012 e reconhecido pelo Governo Federal através da Portaria nº 174, de 27/04/2012. As cidades de Monte Alegre, Jucurutu, Nova Cruz e Passagem decretaram estado de calamidade de forma independente. “Mas as ações são em conjunto para todos os municípios”, lembrou Acioli.

A governadora afirmou que estava preocupada com a situação dos municípios e garantiu que irá buscar recursos junto ao Governo Federal. “A seca foi muito violenta e eu sei o quanto os prefeitos sofrem. Mas gostaria de avisar que estamos com uma série de medidas junto ao Governo Federal desde abril, porém, a burocracia emperra a liberação dos recursos”, disse. Entre as obras de combate à seca, Rosalba destacou a adutora do Alto Oeste e construção de 17 mil cisternas nos próximos anos. “Amanhã [hoje] irei novamente a Brasília em busca de convênios nesse sentido”, colocou.

Segundo o titular da secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Gilberto Jales, o Governo tem assegurado com a Defesa Nacional R$ 15 milhões somente para a perfuração e instalação de quase mil poços no RN. “A maioria, na verdade, é apenas instalação. Muitos poços foram perfurados e não foram concluídos. Instalamos, neste ano, 50. A ideia é instalar mais 850”, avisou. As regiões do Seridó, Oeste e Alto Oeste concentrarão o maior número de poços.

Carros-pipa: frota está saturada

Os prefeitos eleitos e reeleitos que participaram do encontro realizado no auditório do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do RN (Emater) saíram preocupados com a possibilidade de desabastecimento de água através  da Operação Carro Pipa realizada pelo Exército Brasileiro. De acordo com o coordenador da Operação nos Estados da Paraíba e  Rio Grande do Norte, tenente coronel Geraldo de Almeida, a capacidade operacional está “esgotada”.

Atualmente, 94 municípios potiguares recebem os carros-pipa  da Operação coordenada pelo Exército. O coronel avisou aos futuros e atuais prefeitos que nem sempre a demanda é assistida a contento. “Recebo ligações de prefeitos pedindo ajuda, mas nem sempre podemos atender na mesma hora. Às vezes demora um ou dois dias. É preciso frisar que nós esgotamos nossa capacidade operacional. Estamos além de nossas possibilidades”, alertou.

O prefeito eleito do município de Caicó, Roberto Germano, falou que os moradores da cidade já convivem com racionamento de água em alguns bairros. “Infelizmente é uma realidade. Sem chuva, fica complicado. Nossa salvação é a operação carro pipa. Se houve desabastecimento, ficará bem difícil”, colocou. O prefeito que assume no próximo dia primeiro de janeiro está preocupado também com a realização do carnaval, um dos maiores do Estado. “Precisamos de ajuda do Governo Federal e de parcerias com a iniciativa privada para assegurar o carnaval do próximo ano. Sem isso, será difícil realizar a festa”.

O prefeito reeleito de Assu, Ivan Júnior também estava preocupado. Apesar da região contar com grandes reservatórios de água, a seca castiga. “Algumas barragens já estão com apenas 50% de sua capacidade. O homem do campo está sofrendo e as previsões não são boas para 2013”, disse.

A governadora afirmou que, durante o próximo ano, serão realizados outros encontros com os gestores municipais. “Esse é o primeiro de uma série. Queremos deixá-los cientes dos projetos e ações pensadas para combater essa seca”.

PROTESTO

Parte dos 824 convocados para vagas de suplentes do concurso da Polícia Militar, em 2005, realizaram, na tarde de hoje, um protesto pacífico no Centro Administrativo. Os convocados levaram faixas para frente do prédio do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Norte (Emater-RN) onde a governadora Rosalba Ciarlini participou de um encontro com os prefeitos eleitos este ano.

Os convocados pedem que o Governo do Estado dê continuidade ao curso de formação. A governadora não conversou com os protestantes. Um deles, disse que as famílias estão angustiadas com a demora do Governo. “Vamos pensar com carinho nessa questão”, disse a governadora quando a mulher de um dos policiais perguntou o que ela iria fazer “com as famílias que dependem desse emprego”.

Uma comissão dos convocados foi ouvida pelo titular da secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), Aldair da Rocha. Os deputados estaduais Fernando Mineiro, Leonardo Nogueira e Tomba intermediaram a conversa. Segundo Mineiro, o secretário comprometeu-se em levar o pleito dos policiais à governadora. “Foi feito um apelo. O Estado tem um deficit de mais de dois mil policiais militares. Ficamos de receber uma resposta amanhã [hoje] lá na Assembleia”, afirmou.

Leia também: