Natal
Governo propõe pagar salários de dezembro da Segurança no próximo dia 12
Publicado: 00:00:00 - 05/01/2018 Atualizado: 17:03:05 - 05/01/2018
O Governo do Estado pretende pagar o salário de dezembro dos servidores da segurança no dia 12 deste mês. A proposta foi apresentada pela secretária estadual de Segurança Pública, Sheila Freitas, em reunião com as associações da Polícia e Bombeiro Militar e o sindicato de policiais civis, realizada no início da noite desta quinta-feira (4). As categorias se reúnem nesta sexta-feira (5) para deliberar se aceitam ou não as propostas. 

Magnus Nascimento
Comandante da Polícia Militar, coronel Osmar de Oliveira, percorreu batalhões da capital, ouvindo a tropa sobre as reivindicações

Comandante da Polícia Militar, coronel Osmar de Oliveira, percorreu batalhões da capital, ouvindo a tropa sobre as reivindicações


Comandante da Polícia Militar, coronel Osmar de Oliveira, percorreu batalhões da capital, ouvindo a tropa sobre as reivindicações

Leia Mais

O pagamento de dezembro no dia 12 seria prioridade do Executivo para os órgãos de segurança. O valor pago será de acordo com a arrecadação do tesouro estadual nestes primeiros dez dias de 2018. Por isso, os salários podem ser pagos de forma parcial. A outra parcela seria garantida no dia 22, após a segunda entrada das receitas do Estado. “A gente está muito sensível a questão dos policiais. Apresentamos uma proposta e estamos aguardando a deliberação deles”, disse Sheila Freitas.

Já em relação ao 13º, de acordo com as entidades presentes à reunião, a secretária Sheila Freitas teria afirmado que o governo estuda a criação de uma linha de crédito junto aos bancos, da seguinte forma: o servidor faria empréstimo ao banco, mas o responsável pelo pagamento seria o Estado. Para entrar em vigor, essa proposta necessita de um projeto de lei para ser aprovado junto à Assembleia Legislativa. A proposta, entretanto, não foi confirmada por Sheila Freitas. Em relação ao 13º, ela disse apenas que “não tem condições (de ser pago). O governo do estado está em uma situação difícil”.

As medidas são vistas de forma negativa pelas associações militares. “É colocar as outras categorias de servidores, que ficarão sem receber, contra nós. Estamos diante de um desgoverno”, disse Eliabe Marques, da Associação de Subtenente e Sargentos da Polícia e Bombeiro Militares. “E o pagamento do 13º é impossível ser feito dessa forma. O governo não consegue pagar os próprios servidores, como vai pagar empréstimos, com juros, aos bancos?. Levaremos a proposta para a assembleia, mas existe uma chance muito pequena de ser aceita”, concluiu Eliabe. A assembleia da associação acontece hoje, às 9h, no Clube Tiradentes.

Já, a Polícia Civil considerou a proposta do salário de dezembro aceitável, e não se posicionou sobre o 13º. Com a folha de novembro quitada neste sábado, os policiais esperam receber uma parcela de dezembro uma semana depois e, por isso, estão propensos a retornar aos trabalhos. “Queremos firmar a garantia deste pagamento no dia 12 com a Degepol. Se isso for feito, podemos voltar ao trabalho parcialmente a partir da segunda-feira”, afirmou Nilton Arruda, presidente do sindicato dos policiais civis (Sinpol). A categoria se reúne no mesmo horário que a associação militar (às 9h), mas na sede do Sinpol.

As associações de policiais militares entregaram uma carta com 17 reivindicações para a melhoria da estrutura da PM. O documento foi entregue à secretária Sheila Freitas antes da reunião, mas, ao final, os representantes afirmaram que as pautas foram ignoradas. “Temos uma série de exigências para voltarmos ao trabalho, e mais uma vez nada foi dito. Nós fomos ignorados”, afirmou Eliabe Marques.


Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte