Governo prorroga suspensão de visitas no sistema penitenciário do RN

Publicação: 2020-03-31 12:40:00
As visitas nas 17 unidades prisionais do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte foram suspensas por mais 30 dias. Já proibidas desde o dia 13 de março, a medida ocorre em meio a pandemia de coronavírus no mundo. O RN tem 82 casos confirmados.

Créditos: CedidaSaúde/PenaisSaúde/Penais

saiba mais


Em comunicado, a Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), informou que seguem suspensas as visitas de familiares de internos, o atendimento de advogados, serviços de assistência religiosa,  educacional, social e de capelania.  A medida preventiva objetiva o enfrentamento do Coronavírus (Covid-19). O combate a pandemia mudou a rotina dos policiais penais e dos cerca de 10 mil internos. Nenhum caso suspeito foi identificado no sistema penal. 

A Seap disse ainda que  implementou uma série de medidas para prevenir e combater o novo coronavírus. Além de isolar o contato externo nos presídios, foram criados protocolos para uso de equipamentos de proteção, higienização de celas e acompanhamento das equipes de saúde.  

Os presos que chegam ao sistema penal na Grande Natal, por exemplo, passam por um diagnóstico clínico prévio na Central de Recebimento e Triagem e vão para alas de quarentena, onde são acompanhados mais de perto pelas equipes de saúde prisional conveniada com o município de Parnamirim. São identificados os idosos, imunossuprimidos, diabéticos, hipertensos, tuberculosos e aidéticos, considerados de grupo de risco ao coronavírus. 

Para a Grande Natal, a Seap remanejou 300 presos da Cadeia Pública de Ceará-Mirim para criar um pavilhão de quarentena e celas de isolamento como porta de entrada do sistema penal. O vice-diretor, João Batista, explica que a equipe de saúde conta com um médico, um psicólogo, um técnico de enfermagem, dois assistentes sociais e três enfermeiros do município. “Estamos atentos a situação e não temos nenhum caso suspeito”, disse. A cadeia abriga 704 presos, sendo 351 sentenciados e 73 na ala de quarentena. Os presos foram vacinados recentemente contra sarampo, caxumba e rubéola e, no dia 16, serão imunizados contra a H1N1.  

Para o secretario de Administração Penitenciária, Pedro Florêncio Filho, as medidas adotadas visam garantir a segurança dos servidores, dos internos e seus familiares. “As cadeias são um ambiente muito suscetível a penetração do vírus. O coronavírus  é assintomático no início e as pessoas entram no sistema prisional sem apresentar sintomas. E se o vírus entrar no sistema, rapidamente vai se propagar porque vai achar o ambiente muito propício. Por isso decidimos isolar toda as cadeias”, justificou. As 17 unidades do RN recebiam, em média, 30 mil visitas/mês. Em cada presídio, foram separadas celas caso seja necessário o isolamento de internos.  

Os presos, sem acesso a comunicação externa, foram informados da pandemia pelos policias penais e estão colaborando com as medidas de higiene e limpeza. Medidas sanitárias foram reforçadas como a higienização e desinfeção de celas, corredores e áreas de uso comum com água sanitária e desinfetante. O banho de sol dos presos foi estendido e, agora, os colchões também são expostos ao sol. Policiais penais circulam usando máscaras e foram orientados sobre a higienização das mãos e cuidados com as vestimentas e materiais de trabalho.