Grafites: Artistas criam mais quatro murais através de edital

Publicação: 2020-02-11 00:00:00
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

A Prefeitura do Natal segue apostando no grafite. Neste começo de 2020 dois novos murais foram realizados com o apoio público. Um na Avenida Felizardo Moura, no Bairro Nordeste, outro no muro externo do CMEI Arnaldo Arsênico, no bairro Guarapes. Um terceiro mural está perto de ser concluído em Candelária, e um quarto, na Ribeira, deve ser iniciado depois do carnaval.

Créditos: Adriano AbreuPescador de caranguejo é homenageado em criativo grafite na av. Felizardo Moura, no Bairro Nordeste. Mural faz parte de política de editais do grafite em NatalPescador de caranguejo é homenageado em criativo grafite na av. Felizardo Moura, no Bairro Nordeste. Mural faz parte de política de editais do grafite em Natal


Na Felizardo Moura, o grafite já dava cores novas à pelada de futebol que os jovens do bairro jogavam no campinho onde o trabalho foi feito. Nos desenhos se vê que a temática do mangue, dos pescadores de caranguejo, deu a tônica dos grafites. No CMEI do Guarapes, a temática foi mais lúdica. E em Candelária, onde a reportagem encontrou os grafiteiros ainda trabalhando, as artes estavam dentro da proposta “Vida e obra do Padre Antonio Vilela", figura muito querida na história do bairro.

Os quatro painéis de grafite promovidos pela Prefeitura fazem parte da política de incentivo à arte urbana da Secretaria de Cultura (Secult/Funcarte), iniciada com a ação no Beco da Lama, na Cidade Alta. Os artistas foram selecionados por meio de edital público, sendo um edital para cada mural. Foram selecionados 20 artistas, sendo cinco para cada muro. Este novo edital, no entanto, é oriundo de uma Emenda Parlamentar proposta pela vereadora Nina Souza, em 2019, com recursos da Prefeitura.

Cada selecionado está sendo remunerado com cachê de R$ 5 mil para grafitar áreas de 30 metros quadrados. Apenas na Travessa José Alexandre Garcia, na Ribeira, o painel será de característica única, com 4 metros de altura por 66 metros de largura. A soma dos investimentos é de R$ 100 mil.

Desencontro com Iphan
A ideia inicial da Funcarte era entregar todos os quatro murais no mesmo período, no entanto, um desencontro com a superintendência local do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) atrasou a pintura na Travessa José Alexandre Garcia, na Ribeira. Como a área está dentro da poligonal de tombamento do Iphan, era preciso autorização do órgão para a intervenção, o que não foi solicitado.

Créditos: Adriano AbreuEm Candelária, artista do grafite trabalha no tema “Vida e obra do Padre Antonio Vilela”Em Candelária, artista do grafite trabalha no tema “Vida e obra do Padre Antonio Vilela”


Segundo o diretor de Artes Integradas da Funcarte, o artista Flávio Freitas, a situação está praticamente resolvida possivelmente nesta semana deve sair a autorização. “Ao saber da ação que estávamos promovendo, o Iphan nos chamou para uma reunião na sexta passada. Foi uma conversa muito boa, esclarecedora. Nos explicaram que a poligonal de tombamento do Centro Histórico pega do centro da cidade até o bairro da Ribeira praticamente todo. E não sabíamos que para a ação ali na travessa precisaria de autorização”, disse Freitas à TRIBUNA DO NORTE.

Perguntado se o Iphan chegou a solicitar o croqui do painel a ser executado no muro, Freitas disse que não foi preciso. “Eles avisaram que se fosse iniciativa individual de um artista,  teria que mostrar um croqui. Como é a prefeitura realizando, tudo oficial, por meio de edital onde já é estabelecido normas quanto ao conteúdo dos grafites, então não foi preciso especificar nada quanto ao desenho”, explicou o funcionário da Funcarte. Segundo o edital, fica estabelecido que “Não serão aceitos projetos que apresentem preconceito, ofensa moral, atos obscenos e referência político-partidária”.

Freitas informou que após a chegada da autorização do Iphan, fica faltando apenas a equipe de vídeo para documentar a produção do grafite. “Os artistas contrataram uma equipe de vídeo para documentar todo o processo. A equipe está viajando, assim que retornarem o trabalho começa”, contou, Freitas, detalhando também como será o trabalho. “Diferente dos outros painéis, em que cada artistas ficou com um área delimitada, neste muro será um grafite único, feito à cinco mãos”.

Os artistas selecionados para o grafite na Ribeira são Jonathan Justino de Queiroz, Lidny Dayanne Silva Freire, Hudson Davyd Silva dos Santos (Pardal), Hugo Marcelino de Lima e Kefren Pok. Já os artistas que trabalharam nos outros painéis são Lucas Maciel dos Santos, Gustavo Felinto Lima, Ana Clara Miranda da Silva Félix, Robson Rodrigues Duarte, Raniere Rodrigo Gomes do Nascimento, Emanuel Aquila Bezerra de Souza, Felipe Nascimento Costa, Nathan Fernandes, Marcelo do Rosário Borges, Darlan Félix Silva de Freitas, Rayanne Pamella dos Santos Garcia, José Augusto Nogueira Rodrigues, Vitor Silva Guedes e Evandro Silva Matias.

Créditos: Adriano AbreuNovo mural em frente ao campinho onde jovens jogam futebol no bairro NoresteNovo mural em frente ao campinho onde jovens jogam futebol no bairro Noreste


Grafite ganha força
A ação da prefeitura reflete a empolgação com os resultados obtidos com o trabalho feito no Beco da Lama, no início de 2019, que deu vida nova ao logradouro, atraindo programação cultural e instigando o surgimento de novos estabelecimentos. 

Outra iniciativa com bons resultados foram os murais de grafite no Espaço Cultural Ruy Pereira e na Travessa Pax (Espaço K-Ximbinho), na Cidade Alta, e o grande painel na praia de Areia Preta (Miami).

Na cidade, em 2019 também ganharam boa repercussão o projeto Inarteurbana, no Passo da Pátria, a reforma do Juvino Barreto e do Varela Santiago, o muro da Cosern, no Baldo, e o Potigraffiti (este em Parnamirim).

Atualizado em 12/2/2020









Deixe seu comentário!

Comentários