Grupo de trabalho acompanhará custo do GNV

Publicação: 2019-05-26 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Na semana passada, o custo do metro cúbico do gás natural veicular cobrado no Rio Grande do Norte foi alvo de discussão na Assembleia Legislativa.

A audiência foi reivindicada por consumidores de gás natural no Estado e viabilizada pelo deputado estadual Coronel Azevedo. Durante as discussões, o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Jaime Calado, ressaltou que desde que assumiu a secretaria, declarou que a política da Petrobras eleva o custo do combustível. “Esse GNV vai baixar, porque um conjunto de fatores vai levar a isso. E o que vai ser determinante será que, com o crescimento da produção, só haverá duas opções: ou vender barato ou queimar o produto”, disse o secretário na ocasião.

Hudneide Nóbrega, motorista por aplicativo, afirma que não teria condições de trabalhar se não tivesse feito a conversão para GNV
Hudneide Nóbrega, motorista por aplicativo, afirma que não teria condições de trabalhar se não tivesse feito a conversão para GNV

Antônio Cardoso Sales, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do RN (SindiPostos RN), explicou a realidade e as expectativas da categoria. “Quando o empresário não enxerga viabilidade econômica em determinado setor, é claro que ele não irá investir. Por isso, esperamos que saiam daqui políticas de incentivo ao consumo e que tragam uma segurança tanto para quem vai converter o produto quanto para quem vai empreender nesse ramo”.

Conforme esclarecido por Larissa Dantas, diretora-presidente da Potigás/RN, o preço atual tem origem na Petrobras. “Esse preço vem da Petrobras, que é nosso único fornecedor. Nós fizemos uma chamada pública para captar novos fornecedores”. A partir desta semana, um grupo de trabalho coordenado pela Potigás irá monitorar o custo e discutir meios de negociá-lo junto à Petrobras para que ocorra uma redução junto ao consumidor final. Além disso, para estimular o aumento no consumo local, parte da frota de veículos do Governo do Estado será movida a gás natural veicular.

Conversões


Somente no ano passado, conforme dados do Setor de Estatísticas do Detran/RN, o número de conversões de veículos para o abastecimento via gás natural atingiu 4.909 unidades. De janeiro até o dia 3 de maio deste ano, 1.031 veículos tiveram a conversão efetivada no Estado. Dos cerca de 1,254 milhão de veículos documentados no Estado na atualidade, 3,9% (48.470) é convertido ao gás natural veicular.

Um deles pertence à motorista por aplicativo, Hudneide Vieira da Nóbrega. “Fiz a conversão há um ano. Eu paguei R$ 4,8 mil pelo kit mais moderno, da quinta geração, e todo legalizado. Se não fosse o gás natural, eu não seria motorista de aplicativo. Com o gás natural veicular, aumentei minha margem de lucro. Além disso, já consegui recuperar o valor investido no equipamento e aconselho a quem vai trabalhar como motorista de aplicativo a converter. Dá para trabalhar mais aliviado, diante do alto custo da gasolina”, defende.
info

























continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários