Cookie Consent
Economia
Guararapes expande terceirização
Publicado: 00:00:00 - 18/02/2014 Atualizado: 22:42:25 - 17/02/2014
A Guararapes, gigante do setor de confecções com fábrica no Rio Grande do Norte, anunciou ontem a intenção de dobrar a produção via facções - pequenas indústrias contratadas para costurar peças de roupa da companhia no estado.
Facção instalada na região Seridó: Pequenas empresas como essa têm ajudado a reforçar a produção de confecções maiores
Desde o ano passado, a Guararapes terceiriza a costura das roupas, por meio do Programa Pró-Sertão, lançado em 2013 pelo Governo do Estado. De acordo com o diretor industrial da  Guararapes no RN, Jairo Amorim, os últimos contratos entre a empresa e as confecções foram assinados no início do mês e a expectativa é que elas comecem a produzir até o fim de fevereiro. O objetivo é chegar em dezembro com 50 facções contratadas.

Atualmente, a Guararapes trabalha com 12 facções de confecção no interior do Estado pelo Pró-Sertão. Essas empresas respondem por uma produção de 100 mil peças por mês. “Vindo mais 13 facções, devemos ultrapassar as 200 mil peças por mês. Isso a partir de março, abril, quando todas já deverão estar produzindo. Devemos estar abastecendo essas facções até o final desse mês”, disse Amorim.

Reunião
O planejamento da Guararapes para o Pró-Sertão esteve entre os assuntos abordados em reunião realizada ontem, na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), em que também participaram representantes do Governo do Estado e do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/RN). Conforme Jairo Amorim, o objetivo foi alinhar expectativas para deixar os órgãos apoiadores cientes das demandas por capacitação, por exemplo, um dos pontos do programa.

“Foi uma reunião de alinhamento e acompanhamento do projeto e das expectativas. Como foi apresentado desde o início, nós estipulamos chegar a um número de 50 facções em 2014, incluindo mais 70 em 2015, mais 80 em 2016 e mais 100 em 2017, chegando a 300 facções”, explicou o diretor industrial.

Ainda segundo Jairo Amorim, é possível que a marca de 50 facções para este ano seja antecipada. “É claro que dependemos de demanda de mercado, de órgãos reguladores, mas como a gente já percebeu que das 50, já conseguimos contratar a metade até este mês, acreditamos que esse número pode ser superado”, disse. Além das 12 facções relacionadas a confecções, a Guararapes trabalha com outras três facções de bordado, uma de estamparia e uma de lavanderia.

Conforme o diretor industrial, o Governo do Estado comunicou durante a reunião que a procura das facções para adesão ao programa tem sido grande. Contudo, segundo ele, a Guararapes não dispõe de estrutura para abarcar um número maior de facções neste momento. Em entrevista à TRIBUNA DO NORTE na semana passada, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Silvio Torquato, informou que a pretensão do Governo é buscar novas empresas para o Pró-Sertão. Ele mencionou a possibilidade de visitar estados como São Paulo e Santa Catarina para buscar essas empresas. Além disso, destacou a intenção da Sedec em expandir o programa para a produção de calçados.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte