Guarda nos presídios da zona Norte de Natal está desfalcada

Publicação: 2014-04-22 11:03:00
A paralisação nas atividades da Polícia Militar do Rio Grande do Norte teve efeitos imediato na guarda dos presídios da zona Norte de Natal. O Raimundo Nonato Fernandes e o complexo penal João Chaves estão com problemas na escala desde o início da paralisação da PM, nesta terça-feira (22). Está ocorrendo o remanejamento de policiais e a segurança em postos policiais da zona Norte também está prejudicada.
Presídio Raimundo Nonato Fernandes, na zona Norte de Natal, é o que está mais prejudicado devido à paralisação da PM
Dos 11 postos policiais da região, somente quatro estão funcionando. Os demais permanecem fechados devido à falta de policiais militares, que aderiram à paralisação iniciada na manhã de hoje. Já no 4º Batalhão, responsável pelo patrulhamento da área, somente duas das seis viaturas estão nas ruas para a realização do policiamento ostensivo e atendimento a ocorrências.

No presídio Raimundo Nonato, onde 395 detentos cumprem penas, seis policiais militares que deveriam estar na segurança pela manhã faltaram ao serviço. Com isso, a equipe que cumpriu o plantão de 24 horas está prorrogando o serviço, que deveria ser realizado por oito soldados e dois sargentos, mas está ocorrendo com dois soldados a menos. Por isso, das quatro guaritas da unidade, somente duas estão funcionando. No complexo penal João Chaves, somente três policiais militares e cinco agentes penitenciários estão atuando na custódia dos 190 detentos.

Segundo o sargento Malaquias, que pertence à Companhia Independente de Policiamento de Guarda (CIGD), está sendo necessária a saída de um policial de cada Ciad e Ceduc para ir ao Raimundo Nonato e compensar a escala e "render" os policiais que já estavam de serviço.

Apesar do desfalque nas escalas, não foram registradas ocorrências nas duas unidades prisionais durante esta terça-feira.

Leia também: