Há quatro meses, saldo de empregos é negativo no RN

Publicação: 2019-05-25 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ricardo Araújo
Editor de Economia

Pelo quarto mês consecutivo, o mercado de trabalho no Rio Grande do Norte demitiu mais que contratou. Em abril, conforme dados divulgados pelo Ministério da Economia através do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) nesta sexta-feira, 24, o saldo do emprego celetista ficou negativo em 501 vagas no Estado. O último mês de abril com saldo positivo no Estado nos últimos oito anos foi em 2014, ano no qual Natal sediou jogos da Copa do Mundo de Futebol. Somados aos meses de janeiro, março e abril, os postos de trabalho formais fechados no Rio Grande do Norte somam 6.142.

Em abril, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o comércio potiguar encerrou 354 vagas de trabalho
Em abril, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o comércio potiguar encerrou 354 vagas de trabalho

O setor que mais fechou postos de trabalho foi o da Agropecuária, com -383. No Comércio, passado o período das contratações temporárias para o Carnaval e Páscoa, 354 vagas formais foram extintas. A Indústria de Transformação potiguar encerrou outros 104 vínculos trabalhistas formalizados via Carteira de Trabalho, enquanto a Indústria Extrativa Mineral cortou 39 trabalhadores. Os saldos positivos de contratações no Rio Grande do Norte em abril deste ano ficaram com os setores do Comércio (192), Construção Civil (180), Serviços Industriais de Utilidade Pública (5) e Administração Pública (2).

No Nordeste, o saldo negativo na geração de empregos formais, além do Rio Grande do Norte, ocorreu somente no Estado de Alagoas, que fechou 4.692 vagas em abril. O destaque da região ficou com a Bahia, que gerou 10.093 novos empregos com carteira assinada. Em seguida, aparece o Maranhão com 6.681 admissões. O vizinho Ceará gerou 2.153 novos postos, enquanto a Paraíba abriu 778 vagas. O Estado do Sergipe contratou 649 trabalhadores e o Piauí encerrou o mês de abril com saldo positivo de 7 empregos criados.

Brasil
O mercado de trabalho brasileiro criou 129.601 empregos com carteira assinada em abril, de acordo com o Caged. O saldo de abril decorre de 1,374 milhão de admissões e 1,245 milhão de demissões.  Esse foi o melhor resultado para o mês desde 2013. Em abril de 2018, a abertura líquida de vagas havia chegado a 115.898, na série sem ajustes.

No acumulado do primeiro quadrimestre de 2019, o saldo do Caged é positivo em 313.835 vagas. Em 12 meses até abril, o saldo é positivo em 477.896 postos de trabalho.

O resultado do mês foi puxado pelo setor de serviços, que gerou 66.290 postos formais, seguido pela indústria de transformação, que abriu 20.479 vagas de trabalho.

Também tiveram saldo positivo no mês a construção civil (14.067 postos), agropecuária (13.907 postos), comércio (12.291 postos), administração pública (1.241 postos), serviços industriais de utilidade pública (867 postos) e a extração mineral (454 postos).

Todas as regiões brasileiras criaram empregos com carteira assinada em abril. O Sudeste liderou a abertura de vagas, com 81.106 postos, seguido pelo Nordeste (15.593 vagas) e pelo Centro-Oeste (15.240 vagas), influenciado pela safra. O Sul criou 14.570 postos, e o Norte registrou 3.092 vagas a mais no mês passado.

Na divisão por estados, 23 unidades da Federação geraram empregos e quatro demitiram mais do que contrataram. As maiores variações positivas no saldo de emprego ocorreram em São Paulo (abertura de 50.168 postos), em Minas Gerais (22.348), no Paraná (10.653) e na Bahia (10.093). Os estados que registraram o fechamento de vagas formais foram Alagoas (-4.692 postos), Rio Grande do Sul (-2.498), Rio Grande do Norte (-501) e Pará (-25).   

Avaliação
O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, destacou que “o Caged de abril tradicionalmente é positivo e esse mês não decepcionou. Todas as regiões do País registraram melhora no emprego em abril. E foram 23 Unidades da Federação com abertura de vagas e apenas quatro Estados com perda de empregos", afirmou.

Veja abaixo a evolução das admissões e demissões no RN de janeiro a abril deste ano

Janeiro/2019
Total de admissões     12.094

Total de demissões     13.453

Saldo     -1.359

Fevereiro/2019
Total de admissões     11.845

Total de demissões     14.094

Saldo     -2.249

Março/2019
Total de admissões     10.236

Total de demissões     12.269

Saldo     -2.033

Abril/2019
Indústria de transformação     -104

Extrativa mineral     -39

Serviços Industriais de Utilidade

Pública     +5

Construção civil     +180

Comércio     -354

Serviços     +192

Administração pública     +2

Agropecuária     -383

Total de admissões     11.328

Total de demissões     11.829

Saldo     -501

Abril no RN
2009     -2.627

2010     +1.471

2011     +371

2012     -52

2013     -1.146

2014     +482

2015     -1.345

2016     -2.652

2017     -921

2018     -123

2019    -501

Saldo é a diferença entre contratações e desligamentos. Quando está positivo significa que o número de trabalhadores admitidos superou o de dispensados.










continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários