Hamilton afirma que vai manter os protestos contra o racismo

Publicação: 2020-07-14 00:00:00
A+ A-
Spielberg, Áustria (AE) - Como aconteceu na corrida de abertura da temporada 2020 da Fórmula 1, o GP da Estíria foi marcado por novo protesto antirracista neste domingo, momentos antes da largada. A prova em Spielberg, na Áustria, contou com pilotos de joelho, mais uma vez sob a liderança de Lewis Hamilton.

Créditos: MercedesHamilton espera contar com o apoio dos outros pilotos da F1Hamilton espera contar com o apoio dos outros pilotos da F1


Vencedor da corrida, o único piloto negro na história da F-1 afirmou que não há prazo para o fim dos protestos. "Algumas pessoas perguntaram: 'por quanto tempo vamos continuar com isso?' Alguns acharam que um protesto, na semana passada, era o suficiente. E eu tive que dizer a eles que o racismo continuará por aí provavelmente por um tempo maior do que nós mesmos", declarou o piloto da Mercedes.

Hamilton indicou que os protestos devem fazer parte da rotina dos próximos GPs. "As pessoas de cor, sujeitas a atos racistas, não tem tempo para 'tirar um momento' para protestar. Temos que continuar a buscar igualdade e aumentar a conscientização sobre o assunto."

O britânico afirmou que a causa antirracista se tornará permanente em sua vida, após passar anos sem se manifestar publicamente sobre o tema. Mas, nas últimas semanas, após o assassinato do americano George Floyd, Hamilton passou a se posicionar constantemente contra a discriminação racial.

O hexacampeão cobrou da Fórmula 1 e de seus colegas uma postura ativa contra o racismo e depois participou pessoalmente de protestos de rua em Londres, na Inglaterra. O piloto inglês também foi nomeado líder da força-tarefa "We Race as One" ("Nós Corremos como Um", em português), criada pela F-1. "Pessoalmente, será algo para a vida inteira para mim. E, como time, vamos manter a cor preta no nosso carro durante toda a temporada", disse o piloto, referindo-se à mudança na cor dos carros da Mercedes, geralmente prateados.

Quanto a sua 85ª vitória na carreira, conquistada neste domingo, ele comemorou a forte performance exibida ao longo de todo o fim de semana. "Que ano estranho, mas foi ótimo voltar a pilotar e com este nível de desempenho. O time fez um trabalho fantástico. O fim de semana passado foi difícil, mas este significou um passo à frente."

Ele também disse estar satisfeito com as corridas em sequência, neste início atrasado de temporada da F-1. Em razão da pandemia do novo coronavírus, a organização diversas corridas sem descanso. Assim, equipes e pilotos terão que encarar três provas em três domingos consecutivos, contando do domingo passado.

"Por mim, estaria feliz se tivéssemos corridas a cada fim de semana. Um pouco de descanso não faz mal, mas para mim seria perfeito correr todo fim de semana", comentou Hamilton.