Heróis da melodia: a banda de música da Polícia Militar do RN

Publicação: 2020-06-14 00:00:00
A+ A-
Cassimiro Júnior
Sócio do IHGRN

O mundo sem a música é algo inimaginável em qualquer cultura e sociedade. Uma boa melodia, nos possibilita ir desde a euforia a um estado de relaxamento. No mundo militar não é diferente, há hinos, canções, marchas, toques e boa música para o cotidiano. Estes são importantíssimos para elevar o moral da tropa e uni-los numa só cadência. Por exemplo, tanto serve para a distração, como para dar o ritmo em um campo de batalha. 

Imaginem uma festa, um desfile ou uma formatura sem uma boa música ou uma banda? 

A fase embrionária da Banda de Música da Polícia Militar do Rio Grande do Norte foi durante a Guerra do Paraguai, onde esta foi acionada em dois momentos: nascimento de um membro da Família Imperial (o Príncipe Dom Augusto Leopoldo, em 06 de dezembro de1867) e em 1868, quando chegou a ser instrumentada pela aludida Banda uma marcha para o retorno dos heróis em solo potiguar. Em 1873 foi extinta. 

Sua fundação ocorreu no decurso do Império do Brasil, no dia 16 de junho de 1886, durante o Comando do Capitão João da Fonseca Varela (futuro General João Varela), sendo esta Sublime Banda de Música a subunidade mais antiga da Polícia Militar.  

Ao longo da sua trajetória, a Banda de Música participou de vários eventos marcantes do nosso Estado. Merecem destaque: a participação na Missa Campal em 1918, oferecida aos militares da frota brasileira que foram auxiliar os aliados na Primeira Guerra Mundial. Esta ficou ancorada no Potengi; atuação de gala durante as comemorações do Centenário da Independência do Brasil, em 1922, cujo clímax foi tocar no concerto ocorrido no Teatro Carlos Gomes (Teatro Alberto Maranhão), sob a Regência do Maestro italiano Luigi Maria Smido; durante a recepção e aposição da placa em homenagem aos Escoteiros Andantes, em 1923; tocata beneficente no Circo Holdelen visando arrecadação de fundos para o Leprosário São Francisco de Assis, em 1929.  

Sua figura de maior destaque foi um dos seus Regentes, Antônio Pedro Dantas, o Tonheca Dantas, autor de Royal Cinema, valsa que encantou e acalentou corações durante a Segunda Guerra Mundial, tornando-se um sucesso, tocado na Rádio BBC de Londres. Por sua bela trajetória, foi homenageado como Patrono da Cadeira Nº 33, da Academia Norte-Rio-grandense de Letras. 

Hoje, os músicos fazem um excelente e importante trabalho social em hospitais, asilos e creches através do Projeto Musicoterapia, onde levam conforto, amor e amizade da Gloriosa PMRN para com a sociedade. Proporcionando música de alto nível para a comunidade, independente da sua classe social. 

Fruto de quase 135 anos de trabalho assíduo, a Banda de Música foi merecidamente agraciada com o Título de Patrimônio Cultural Imaterial do Rio Grande do Norte e do Município do Natal, em 2016 e 2017, respectivamente. 

Portanto, eis um pouco da riquíssima história da Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte, onde se destaca a sua Banda de Música e seus Heróis da Melodia (passado/presente), composta por homens abnegados que tanto orgulham a sua Gloriosa Instituição e a sociedade potiguar. Esta tem como norte honrar os valores dos seus antepassados e a manutenção da tradição para o futuro.