Histórias do nordeste

Publicação: 2017-12-31 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O dramaturgo, escritor e poeta Ariano Suassuna (1927-2014) escreveu sobre um Nordeste mítico e ao mesmo tempo real. Ele é o inspirador e o homenageado no espetáculo “Suassuna – O Auto do Reino do Sol”, que será apresentado em Natal nos dias 20 e 21 de janeiro, no Teatro Riachuelo. O musical é um trabalho da Cia. A Barca dos Corações Partidos, reunindo os talentos de Luiz Carlos Vasconcelos na direção, Bráulio Tavares como dramaturgo, e Chico César na trilha sonora. A Associação dos Críticos Paulistas de Arte (APCA) a elegeu como o melhor espetáculo de 2017.          

Na trama, uma trupe de circo-teatro chega a uma pequena cidade no sertão da Paraíba
Na trama, uma trupe de circo-teatro chega a uma pequena cidade no sertão da Paraíba

O espetáculo não é a adaptação de uma ou mais obras específicas de Ariano, mas tem o universo popular criado por ele como referência maior. Na trama, uma trupe de circo-teatro mambembe, que pertence a Mademoiselle Sultana, astróloga e bailarina, chega a uma pequena cidade no sertão da Paraíba. O grupo termina abrigando um casal de namorados oriundos de famílias rivais, que foge e pede refúgio no picadeiro. E a partir daí a confusão se desenrola.

As referências em “O Auto do Reino do Sol” são cruzadas pela história: Iracema Moraes, sobrinha do major Antônio Moraes, vilão de “A Pedra do Reino”, se apaixona por Lucas Fortunato, de uma família inimiga da sua. O casal resolve fugir e encontra, no caminho, uma trupe de circo que quer chegar à Vila de Taperoá, composta pelos artistas mambembes Cabantõe, Chico de Rosa, Escaramuça, Mosquito, Poeta León, Tenha Medo e Tinha Graça. Os dois namorados e o grupo circense se cruzam e a trama ganha a cara de uma tragicomédia. As aventuras se entrelaçam às canções, assinadas por Chico César, Beto Lemos e Alfredo Del Penho.

A ideia inicial surgiu em conversas da produtora Andrea Alves com Ariano, que se confessava um palhaço frustrado e que elegeu o palhaço de “O Auto da Compadecida” como um dos seus personagens prediletos. “Assim, surgiu a ideia de uma grande homenagem ao palhaço de Ariano e pensei na reunião da Barca dos Corações Partidos com o que eu chamo de “trio paraibano”. Assim foi sendo criada esta peça inédita, com músicas e texto originais, mas totalmente inspirada no legado de Ariano”, resume.

A peça é uma homenagem aos 90 anos de Ariano. “Há algum tempo, Ariano me falou: ‘Não venha comemorar meus 85 anos, eu não vou morrer, quero que você festeje os meus 90!’. Naquele momento me senti condecorada e com uma grande missão pela frente”, contou a produtora. O espetáculo estreou no ano passado.

Serviço
Suassuna – O Auto do Reino do Sol. Dias 20 e 21 de janeiro, no Teatro Riachuelo. Assinante da TN tem 50% de desconto em até dois ingressos inteiros.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários