Hospital da PM passa a integrar rede Sesap

Publicação: 2019-11-21 00:00:00
A+ A-
O Hospital Central da Polícia Militar Coronel Pedro Germano, em Natal, passará a integrar oficialmente a rede do Sistema Único de Saúde (SUS) no Rio Grande do Norte. O Governo do Estado, assinou, na tarde desta quarta-feira (29), um Termo de Cooperação com a PM para ampliar os serviços de assistência médica oferecidos na unidade a toda população potiguar.

Créditos: Tales LoboTermo de cooperação foi assinado pelo governador em exercício, Antenor RobertoTermo de cooperação foi assinado pelo governador em exercício, Antenor Roberto
Termo de cooperação foi assinado pelo governador em exercício, Antenor Roberto

De acordo com o Governo, a medida já era tratada a algum tempo, e agora oficializada, ajudará a desafogar as demandas da saúde no Estado, especialmente de cirurgias. “O Hospital da PM sempre foi um parceiro da Sesap. Esse ato de consolidação da integração vai possibilitar que o hospital seja referência para a rede estadual de saúde, principalmente na oferta de serviços cirúrgicos, onde tem tradição.” afirmou o secretário estadual de saúde, Cipriano Maia.

Com o acordo, o Hospital da PM passará a receber recursos financeiros e humanos da Sesap. O Termo contemplou recursos financeiros dos R$ 7,8 milhões anuais, liberados pela Portaria nº 2.182 do Ministério da Saúde. A expectativa da Sesap é de que o hospital comece a receber oficialmente pacientes da saúde estadual a partir do início de dezembro. Cerca de 100 profissionais da Sesap já atuam na unidade e outros 200 devem ser adicionados ao longo da parceria.

O governador em exercício, Antenor Roberto, aprovou a parceria. “É com muita alegria que estamos incorporando o Hospital da Polícia Militar ao Sistema Único de Saúde do estado. É um momento de celebrar o SUS e a melhoria do atendimento não só para a Polícia Militar, mas para toda a população”, disse Antenor.

Com o investimento, o Hospital da PM terá sete salas de cirurgia que poderão realizar mais de 400 operações de média e alta complexidade por mês. Hoje são realizadas cerca de 80 cirurgias mensais na unidade, de baixa complexidade. Além disso, o hospital terá o número de leitos ampliado de 30, para 130, incluindo UTI adulta e neo-natal.

Quanto ao atendimento no Hospital da PM, a Sesap informou que não será uma unidade aberta diretamente ao público e que os pacientes serão direcionados de acordo com a demanda. Segundo a administração do hospital, os policiais militares também serão atendidos conforme a demanda, sendo tratados como pacientes do SUS, exceto em casos especiais como ferimentos e acidentes durante o serviço, quando terão preferência, por conta da segurança.

“O acesso será garantido para o policial militar que já tem vínculo com o hospital, e os demais pacientes do SUS serão atendidos de forma referenciada. Não será um hospital de porta aberta para o usuário, ele será encaminhado de outros serviços para os atendimentos ofertados.” reitera o secretário Cipriano Maia.

Ruy Pereira
O Termo de Cooperação com o Hospital da PM faz parte de um plano da Sesap para dar vazão aos atendimentos que hoje são feitos no Hospital Ruy Pereira, especialmente o das cirurgias vasculares e ortopédicas. O Ruy Pereira passa por um processo de desativação, já que a secretaria pretende entregar o prédio onde funciona a unidade de saúde, que é alugado.

O secretário Cipriano Maia deixa claro que o Ruy Pereira segue em funcionamento e atendendo os pacientes, - hoje são cerca de 70 leitos ativos - mas que a partir do início da parceria com o Hospital da PM, os novos atendimentos serão redirecionados. Além disso, os profissionais do Ruy Pereira também serão transferidos gradualmente para outras unidades de saúde, principalmente o Hospital da PM. “O hospital (Ruy Pereira) não está fechado. Apenas a partir do momento em que nós transferirmos as ações é que ele será desativado. Sem prejuízo para a população.” Finaliza o titular da Sesap.

Números do Hospital da PM após acordo com a Sesap:
7 salas cirúrgicas

130 leitos totais

20 leitos de UTI

Mais 300 profissionais

Possibilidade de realizar mais de 400 cirurgias por mês

Aparelho de endoscopia, densitometria óssea, ultrassonografia e raio-x








Deixe seu comentário!

Comentários