Cookie Consent
Natal
Hospital Varela Santiago tem estoque de leite materno zerado
Publicado: 00:01:00 - 19/05/2022 Atualizado: 22:44:26 - 18/05/2022
Nesta quinta-feira (19), se comemora o Dia Nacional e Mundial de Doação de Leite Humano. A data é um incentivo à doação de leite materno em hospitais e maternidades e, para isso, o Ministério da Saúde lançou a Campanha Nacional de Doação de Leite Humano. O tema deste ano é “Doe leite materno e receba a gratidão de uma vida”. Em Natal, uma das referências no atendimento infanto-juvenil é o Hospital Infantil Varela Santiago. A unidade, porém, está com o estoque de leite materno zerado, apesar de ter 10 UTIs Neonatal totalmente ocupadas. “Tem semanas que o estoque está bom, a gente tem quatro, cinco frascos. Essa é uma semana que a gente está com o estoque zerado”, diz a nutricionista da unidade, Rossane Mello. 

Assim, o Varela Santiago iniciou oficialmente a campanha de arrecadação de doações nesta terça-feira (17), para auxiliar as crianças internadas. Além do leite materno, o hospital necessita também de fórmulas e suplementos infantis. Os produtos estavam em falta até esta terça (17). Com o início da campanha e a publicação nas redes sociais, a unidade recebeu algumas doações de fórmulas. “A gente faz um trabalho quase diário solicitando essa doação à população. Muitas crianças ainda se alimentam tanto via oral, de dietas livres, como na parte de fórmulas e suplementos”, diz Mello. “Então a gente sempre está reforçando a necessidade da doação para manter essas crianças nutricionalmente mais amparadas, porque fora do ambiente hospitalar muitas famílias vem de renda mais baixa e às vezes não tem condição de ofertar à criança um suporte nutricional adequado”.

Segundo Rossane Mello, o leite para as crianças do Varela Santiago muitas vezes vem das próprias mães que estão com filhos internados no local. “As mães ordenham o leite pra criança e o excedente, elas fazem doação. Quando não temos essas mães doadoras, a gente não recebe. Dificilmente alguém traz de fora”, lamenta. A solidariedade, porém, vai além das alas. Algumas dessas mães ficam em outra enfermaria, mas se produzem muito leite doam para os internados na UTI Neonatal, explica a nutricionista.

Januário Cicco 
Como o Varela é apenas um posto de doação e coleta, o trabalho principal é feito na Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC). O líquido é enviado para lá, onde é pasteurizado e devolvido ao Varela Santiago. Mas, às vezes, nem o estoque próprio do Hospital Varela Santiago dá conta. A solução, então, é recorrer ao estoque do parceiro. “Normalmente as crianças que estão aqui, a grande maioria teve o parto feito na MEJC. Então a gente tem esse cadastro no sistema deles, e mandam para cá o leite para uma criança específica”, informa Rossane.

O déficit de leite humano, entretanto, não atinge somente o Hospital Varela Santiago. Na capital potiguar, a situação da Maternidade Escola é parecida. A unidade precisa, em média, de 12 litros de leite materno diariamente. Hoje, o estoque só atende 50% dessa demanda. A maternidade sofreu ainda uma queda de 15% no recebimento do leite. De janeiro a abril de 2021, a unidade possuía 960 litros, vindos de 485 doadoras. No mesmo período deste ano, o número de doadoras se manteve igual, mas o estoque caiu para 810 litros. Em 2021 inteiro, o MEJC arrecadou 2.756 litros de 1.500 mulheres.

De acordo com Mello, a pandemia causou um impacto no recebimento das doações. “A gente recebia muitas doações antes da pandemia. Acredito que a população como um todo sofreu um pouco esse reflexo, e as doações caíram muito”, afirma.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte