Houve um dia Marc Bolan

Publicação: 2020-09-30 00:00:00
Alex Medeiros 
alexmedeiros1959@gmail.com

O pôster na parede, entre o carro de Emerson Fittipaldi e o rosto do craque Afonsinho com camisa do Olaria, durou menos que o tempo que levei até saber da morte do cara na foto. O papel foi colado em 1971, e ele morreu em 1977.

No espaço-tempo de seis anos, entre as casas dos meus pais nas Quintas e em Candelária, eu só fui ter contato de novo com o músico inglês na confraria adolescente Esquina do Rock, formada pelos garotos do bairro da zona sul.

Enquanto o pôster da revista Flor do Mal esteve pregado no quarto, eu não sabia que o astro do “glam rock” foi influenciado pelo toque de Chuck Berry e a ira de James Dean, além de influenciar Lou Reed e os Secos & Molhados.

No carnaval de 2010, fugi para um rolé em Londres e não consegui realizar o desejo de visitar o distrito de Barnes, mesmo sabendo que era só seguir o Tâmisa no rumo do sudoeste. Lá ainda há a Figueira que cultua sua memória.

Parte da lenda que envolve a morte de Marc Bolan, a árvore que nas escrituras serviu de palanque para Zaqueu contemplar Jesus, ficou durante 35 anos como um túmulo emocional que atrai anualmente seus muitos fãs de toda Europa.

Em setembro de 2012, surgiu um fato novo sobre o acidente que matou o líder da banda Tyrannosaurus Rex (Depois T-Rex), a mídia inglesa repercutiu a novidade a partir do testemunho ocular de Vicky Aram, uma veterana cantora.

Pela declaração publicada na biografia “Cisne branco: a Vida e Morte de Marc Bolan”, da jornalista Lesley-Ann Jones (que em 1997 publicou a biografia de Fred Mercury), o roqueiro não morreu na árvore e sim num poste de aço.

Vicky contou que na trágica data de 16 de setembro de 1977, ela foi convidada por Bolan para sair de uma festa e ir até sua casa tratar de um projeto musical. Ela era só uma cantora de boate. Seguiu noutro carro, com o cunhado dele.

Marc Bolan ia no carro da frente, um Beetle, com a namorada Gloria Jones. No livro, Aram desmonta a lenda do sicômoro como local do impacto mortal, e diz que a colisão foi num poste e que a árvore impediu o carro de cair no barranco.

Bolan não foi esmagado nas ferragens, mas já estaria morto quando bateu na árvore. Na pancada no poste perfurou um olho e o crânio num parafuso. No acidente, sua namorada Glória desmaiou e sofreu apenas ferimentos leves.

Vicky gritou para Richard Jones, “temos que tirá-los daqui, o carro vai explodir a qualquer momento”. O corpo imóvel do artista foi colocado em cima de um tapete trazido por uma moradora do local. O cunhado não parava de chorar.

Marc Bolan foi um dos mais proeminentes e criativos guitarristas que o rock produziu, iniciando contatos com o instrumento aos 9 anos e formando a primeira banda antes dos 15, quando a música já o afastava da escola.

No auge do T-Rex, entre 1971 e 1973 (a nomenclatura Tyrannosaurus Rex foi de 1968 a 1970), ele vendeu mais que Jimi Hendrix e The Who. O álbum Electric Warrior foi o mais vendido em 1971, exatamente o ano do meu pôster.

Suas idas aos EUA atraíram Lou Reed e Andy Wahrol. Quando o líder do Velvet Underground apelou para a carreira solo, lançando o LP Transformer, e entregou toda a produção para David Bowie, o jovem Bolan já tinha talento suficiente para frequentar com eles o famoso Factory, do mago da pop art.

O cara que ainda adolescente gravou Bob Dylan faria hoje 73 anos. Era fã ardoroso de James Dean e cantou a morte ao volante num dos seus hits. Os fãs o cultuam numa árvore, como um fruto musical a germinar para sempre. 

Sem conta
Muitos candidatos se arriscando a ser cancelados pela justiça eleitoral. A campanha começou domingo e a maioria não abriu conta bancária, e sem ela qualquer publicidade se torna ilegal. Há penas de multa e até impugnação.

Estatismo
Está pautado para hoje no plenário do Supremo o julgamento da reclamação para impedir a venda de refinarias da Petrobras. Foi o próprio presidente Luiz Fux quem pautou a votação que já está com três votos contra a privatização.

Aglomeração
O médico e escritor Iaperí Araújo, presidente do Conselho de Cultura, está apelando todos os dias nas redes sociais para o TRE tomar providências quanto aos comícios e passeatas nas cidades potiguares, como tem ocorrido.

Fome
Um relatório da ONU alerta para o “day after” apocalíptico da pandemia. Se não houver providências sérias para a recuperação econômica, 265 milhões de novas pessoas estarão passando fome antes de fechar 2020. É assustador.

Fake
A chamada grande imprensa do Sudeste é useira e vezeira das fake news, mas o jornal O Globo se tornou o primeiro a publicar uma mentira e ser desmentido imediata e publicamente em nota do Ministério Público Federal.

Face
Navegante de primeira viagem do Facebook, o poeta Volonté se lançou na imensidão virtual e já tem por monumento limpar as pedras do mimimi que atrapalha o cais dos bons diálogos. Já se tornou almirante na arte do bloqueio.

Marvel
A pandemia atrapalhou o lançamento do luxuoso álbum de figurinhas comemorativo aos 80 anos da Marvel. De junho a agosto, o “fiqueemcasa” inibiu os fãs, mas agora todos correram para colecionar os cromos e os cards.

Quarta FC
Olho na TV hoje com Bayern x Borussia, Huesca x Atlético Madrid, Real Madrid x Valladolid, Lazio x Atalanta, Burnley x Manchester City, Brighton x Manchester United, Palmeiras x Bolívar, Nacional x Racing, Cruzeiro x Ponte Preta.










Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.