Idosos são maioria nos corredores do Walfredo Gurgel

Publicação: 2019-05-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A paralisação de cirurgias e a conseqüente lotação do maior hospital de trauma do Rio Grande do Norte, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel,  é sentido por todos os pacientes, sendo os idosos a maioria dos que aguardam por um procedimento. De acordo com a diretora do Walfredo Gurgel, Fátima Pinheiro, dos 85 pacientes nos corredores que aguardavam na tarde desta terça-feira (14), por uma cirurgia ortopédica, 54 eram idosos, ou seja, cerca de 63% do total.

Francisca da Conceição aguarda definição sobre procedimento
Francisca da Conceição aguarda definição sobre procedimento



Um dos pacientes é a idosa Francisca da Conceição, 100 anos, que pelo quarto dia consecutivo aguardava em uma maca do corredor do Walfredo Gurgel, por uma cirurgia. Ela quebrou o fêmur em Currais Novos, cidade onde reside. Segundo a diretora do Walfredo Gurgel, a situação da idosa está sendo avaliada pela coordenação de cirurgias ortopédicas junto à família.

A avaliação está sendo feita porque, segundo Fátima Pinheiro, a idosa tem uma quadro de Alzheimer, e a cirurgia dela duraria em torno de  oito horas.  “Todos os pacientes idosos são prioritários para nós, e a situação dela está sendo estudada pelo cirurgião”, explicou a diretora. A TRIBUNA DO NORTE mostrou a situação da idosa na edição do jornal desta terça-feira, aguardando pelo procedimento no corredor do hospital.

A redução de leitos em corredores – superlotados - do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, ainda não foi sentida, após a retomada de cirurgias pelos médicos da Cooperativa Médica do Rio Grande do Norte (Coopmed/RN). De acordo com a direção do hospital, apesar da retirada de 11 pacientes para o Hospital Memorial de Natal e Clínica Doutor Paulo Gurgel,  a diminuição deve ocorrer no mínimo em uma semana. Cerca de 120 pacientes estavam em corredores e no pronto socorro na tarde desta terça-feira.

A espera foi causada pela suspensão nos serviços de cirurgias ortopédicas nos hospitais de Natal e do Estado, pelos médicos da Cooperativa Médica do Rio Grande do Norte (Coopmed/RN). Os profissionais reclamavam do atraso de repasses pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN).

Em nota à imprensa, a Sesap explicou que vinha mantendo os corredores do Walfredo vazios, desde a reorganização do fluxo da Cirurgia Vascular. “Com a paralisação dos prestadores da ortopedia por 15 dias, houve acúmulo de pacientes nos corredores devido à demanda reprimida. A partir de hoje, com a retomada das cirurgias, ocorrerá atendimento de todos os pacientes, entretanto, serão necessários alguns dias para regularização da situação”.

Na manhã da segunda-feira, das doze ambulâncias do SAMU lotadas no Hospital Walfredo Gurgel, apenas duas (uma básica e outra avançada) estavam atendendo ocorrências nas ruas de Natal, devido as macas dos veículos estarem servindo como leito para pacientes.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários