Indústria x consumo

Publicação: 2019-09-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

Ainda no atoleiro, a produção da indústria brasileira recua em 8 de 15 locais em julho, diz o IBGE. Com o consumo desaquecido, embora com uma inflação controlada (o IGP-M foi de menos 0,60% na primeira prévia de agosto), a indústria  tem projeções ruins até o fim do ano. O detalhe que chama a atenção é o aumento do consumo. O varejo paulista, por exemplo, registra alta de 5,4% no primeiro semestre. O faturamento de junho atingiu R$ 58,1 bilhões, a maior cifra para o mês desde o começo da série histórica, em 2008, segundo a FecomercioSP. Mas, o Ministério da Economia mantém a projeção de alta do PIB de apenas 0,85% em 2019.

Safra
Como um País de produção agrícola, o Brasil encerra a safra 2018/19 com recorde de 242,1 milhões de toneladas, com o milho e algodão crescendo mais. A soja, por sua vez, sofreu redução de 3,6% na colheita, atingindo 115 milhões de toneladas, segundo a Conab. Com as boas chuvas, o Nordeste deu uma grande contribuição.

Antecipação
O governo de Minas Gerais quer antecipar a receita com nióbio. Estuda a operação de recebíveis para obter R$ 5 bilhões e quitar os salários de servidores. O nióbio também existe no rico subsolo potiguar. Carros, pontes, turbinas de avião, aparelhos de ressonância magnética, mísseis, marcapassos, usinas nucleares, sensores de sondas espaciais, praticamente tudo o que é eletrônico - ou leva aço -, fica mais resistente adicionando o nióbio.

Previdência
Parece sem acordo para votação da reforma da Previdência Social no Senado, passando por cima dos trâmites legais, os prazos exigidos. A aprovação dará o encaminhamento final para a sanção presidencial. A parir daí fica aberta a “janela” para acelerar a análise da reforma tributária, também considerada vital para a modernização da estrutura de cobrança de impostos do País, uma desburocratização reclamada por todos os setores.

Consumo
Para a Confederação Nacional do Comércio (CNC), a liberação do FGTS e PIS/Pasep vai impulsionar o consumo até o fim do ano. O comércio e serviços deverão ser positivamente impactados, mas 40% dos recursos serão destinados ao pagamento de dívidas.  Estima que R$ 13,1 bilhões serão gastos no comércio (R$ 9,6 bilhões) e nos serviços (R$ 3,5 bilhões), além de R$ 12,2 bilhões para a quitação ou abatimento de dívidas e R$ 4,7 bilhões (16% do total) que deverão ser poupados ou consumidos somente em 2020.

Uma luz na inovação
O  Sebrae e a Finep lançam o Edital Centelha,para estimular a inovação. O lançamento do edital será amanhã, dia 12, quando serão abertas as inscrições para seleção de startups e empresas inovadoras, que receberão investimentos da ordem de R$ 800 mil. O investimento em inovação tornam os negócios mais competitivos, afirmam os analistas. As medidas, como a valorização de produtos regionais ou o resgate de práticas tradicionais de produção, tendem a elevar a competitividade e gerar renda.

Seminário
A Integração-Lavoura-Pecuária Floresta (ILPF) será tema de um Dia de Campo hoje, das 8 às 12 horas, em Pedro Velho, município do Agreste potiguar. Será na Fazenda Alto do Machado com a participação de especialistas da Embrapa e de outras instituições.  

Qualidade
Natal recebe hoje o Seminário da Academia Brasileira de Qualidade, o “ABQ Qualidade do Século 21”, no auditório da Fiern, com apoio do Grupo Vila. O seminário abordará o tema “Qualidade e experiência do cliente: Indústria e serviços numa relação de sucesso”, contendo uma programação de relevância para as indústrias e os prestadores de serviço.

Campo
Uma parceria entre o Conselho de Contabilidade e a Federação da Agricultura/Senar beneficia os produtores rurais potiguares, através do Programa Cidadania Rural, para capacitações gratuitas. Foram planejados cursos, palestras e seminários com foco em legislação tributária e previdenciária.

Exportações
A habilitação de novas plantas (frigoríficos) para exportar para a China deve impulsionar as cotações do boi, mas as altas podem ser mais tímidas do que se espera. Pode acontecer também uma leve pressão de alta nos preços das carnes para o consumidor.

Desvios
O Ministério da Agricultura e Pecuária cancelou 300 licenças de pescadores profissionais inscritas indevidamente no Registro Geral da Atividade Pesqueira. As licenças foram canceladas nos  Estados do  Rio Grande do Norte, Pará, Amapá, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Sergipe e Santa Catarina. O cancelamento vem na esteira da apuração de irregularidades do seguro defeso.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários