Inep garante aplicação do exame de forma segura

Publicação: 2021-01-17 00:00:00
A data e a situação sanitária fora de controle também caracterizam o Enem 2020. O exame estava marcado para as primeiras semanas de novembro do ano passado, mas foi adiado em maio devido à situação da pandemia no Brasil. Naquele mês, a curva de infectados pelo coronavírus crescia rapidamente e diversas cidades brasileiras sofriam com falta de leitos para internar pacientes. Esperava-se que a situação estivesse melhor em janeiro, mas, nesta quinta-feira (14), o pPís chegou a maior média de casos desde o seu primeiro caso de covid-19, em fevereiro do ano passado, e continua com a rede de saúde pressionada – o Amazonas sendo o quadro mais crítico, com a falta de oxigênio para pacientes internados nos hospitais.
 
Créditos: .EnemEnem


No dia 8 deste mês, a Defensoria Pública da União (DPU) iniciou uma ação judicial para adiar a prova devido à situação da pandemia. “Não há maneira segura para a realização de um exame com quase seis milhões de estudantes neste momento, durante o novo pico de casos da covid-19”, escreveu o defensor João Paulo Dorini, que assina a ação. Em paralelo, campanhas de entidades estudantis também pediram o adiamento da prova alegando falta de segurança sanitária para os estudantes. A Justiça negou o pedido e manteve a data neste domingo.

O cenário turbulento pode aumentar ainda mais o estresse e a ansiedade dos alunos, que já convivem com o estresse extra de ter uma carga de estudos pesada por mais meses que o usual. Na avaliação da psicóloga Amanda Palácio, que atua junto aos alunos do terceiro ano do CEI Romualdo, as queixas mais relatadas nas últimas semanas estão relacionadas às medidas de segurança. “Muitos alunos se perguntam se as medidas de segurança serão garantidas da maneira correta, e isso gera uma ansiedade maior do que já é usual”, disse.

“O que mais escutamos dos alunos que estão no Pré normalmente é: ‘Esse é o meu ano’. Mas em 2020 essa frase mudou e se tornou: ‘Tinha que ser no meu ano?’. Tudo ficou muito mais intenso do que já é e a maioria está mentalmente cansada pela rotina de estudos e tudo que está em volta do Enem”, acrescentou.

A ex-secretária estadual de Educação, Cláudia Santa Rosa, acredita que “não há razão para essa pressa na realização de um exame tão importante para os projetos de vida das nossas juventudes”. Santa Rosa defende desde o início da pandemia, em março de 2020, que o Enem seja realizado em junho deste ano. A defesa da ex-secretária se dá principalmente pela diferença de condições entre alunos de escolas privadas e públicas.

O Inep garantiu que o exame vai ser aplicado de maneira segura em todo Brasil neste domingo. Segundo o instituto, R$ 64 milhões foram investidos nas medidas de prevenção, com as aquisições de equipamentos de proteção individual, álcool em gel e o investimento em mais locais de aplicação de prova. O número de participantes por sala foi reduzido. A ocupação será de 50% da capacidade máxima de cada sala. Ainda de acordo com o Inep, os locais de prova serão higienizados antes de cada aplicação e organizados para garantir o distanciamento social adequado.