'Instruções para Abraçar o ar' terá circulação nas escolas

Publicação: 2018-12-06 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Por fora, a casa servia como um pequeno comércio de conservas. Por dentro, funcionava a redação de um jornal clandestino de oposição a Ditadura Militar na Argentina. O disfarce era perfeito. Quem comprasse as conservas levava o jornal que embalada o produto. No entanto a atividade foi descoberta e as forças militares promoveram um ataque à casa, crivando-a de balas. Todos que estavam dentro morreram, com exceção de uma criança. O ano era 1976. Até hoje não se sabe o paradeiro da menina sobrevivente. Essa história real foi contada pela avó da criança, Chicha Mariani, ao dramaturgo argentino Aristídes Vargas, que impactado pela narrativa, escreveu a peça “Instruções para abraçar o ar”. O texto ganha sua primeira montagem no Brasil graças ao Edital Cena Processo, do Programa Natal em Cena 2018, da Secretaria de Cultura de Natal, que viabilizou a produção do espetáculo. A direção é de Diogo Spinelli e o elenco é formado por ele e pela atriz Camille Carvalho – ambos do Clowns de Shakespeare, mas o trabalho não é assinado pelo grupo.

Diogo Spinelli e Camille Carvalho se revezam em três narrativas sobre o mesmo acontecimento
Diogo Spinelli e Camille Carvalho se revezam em três narrativas sobre o mesmo acontecimento

“Instruções para abraçar o ar” estreia em dezembro com uma série de 9 apresentações. De quinta-feira (6) até sábado (8), o espetáculo será encenado no Teatro do CEU Mestre Manoel (Felipe Camarão). No domingo, a peça ganha o palco da Casa da Ribeira, em meio a programação do Circuito Ribeira. Já nos dias 12, 13 e 14, mais apresentações no CEU Mestre Manoel. Já nos dias 18 e 19 a apresentação será no Departamento de Artes da UFRN (Lagoa Nova). A entrada é gratuita em todos os lugares citados. As senhas poderão ser retiradas a partir de 30 minutos antes de cada sessão, com exceção da apresentação na Casa da Ribeira, cujos os ingressos serão distribuídos com uma hora de antecedência.

Em “Instruções para abraçar o ar” o público acompanha três narrativas em paralelo. Cada uma a sua maneira tenta recontar a história do ataque à casa e do sequestro da menina. O cruzamento das três narrativas forma aos poucos um mosaico no qual distintos tempos e lugares se atravessam e se contaminam, numa mescla entre memória, nostalgia e invenção.

Diogo e Camille se revezam na interpretação dos seis personagens da obra, cuja proposta é justamente ressaltando a ideia de que se trata de uma história única, construída pelas lembranças e fantasias do casal de idosos que guia o espetáculo.

A montagem transita entre essas diferentes linguagens. Apesar da forte carga trágica dos acontecimentos que o originaram e da abordagem política, a dramaturgia traz momentos líricos e cômicos, como é comum aos trabalhos de Vargas. De acordo com Diogo, a necessidade de manter viva a memória daquele acontecimento e de alertar para os horrores provenientes de um estado ditatorial foi o que motivou a montagem da obra.

Serviço
Temporada de estreia de “Instruções para abraçar o ar”

Teatro do CEU Mestre Manoel Marinheiro (R. São José, s/n, Filipe Camarão)

Dias 06, 07, 08, 12, 13 e 14 dezembro, às 19h (com exceção do dia 8, com sessão às 16h).

Casa da Ribeira (R. Frei Miguelinho, 52, Ribeira)

Dia 09 de dezembro, às 19h

Teatro Laboratório Jesiel Figueiredo (Av. Sen. Salgado Filho, 3000, Lagoa Nova)

Dias 18 e 19 de dezembro, às 19h

Entrada sempre gratuita. Retirada de senhas a partir de 30 minutos antes de cada sessão, com exceção da apresentação na Casa da Ribeira, onde o ingresso deverá ser retirado uma hora antes.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários