Internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave crescem no País

Publicação: 2020-03-31 00:00:00
A+ A-
Recentemente o Brasil apresentou um aumento acentuado no número de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), de acordo com dados da Fiocruz. Somente entre 15 e 21 de março deste ano, foram registradas 2.251 internações pela SRAG em todo o País, contra 934 no mesmo período do ano passado. O aumento coincide com a chegada do novo coronavírus, o que tem sido motivo de preocupação para autoridades e especialistas na área da saúde.

No Rio Grande do Norte, o número de internações por SRAG teve um pequeno salto nas duas últimas semanas, apontam dados do ‘Infogripe’, levantamento feito pela Fiocruz. No entanto, em comparação com números de 2019, a quantidade de casos segue estável. Entre 23 de fevereiro e 7 de março deste ano foram 7 internações por SRAG no Estado, já entre 8 e 21 de março, esse número saltou para 20. No mesmo período do ano passado foram registrados 24 casos.

Os dados mais recentes da Fiocruz apontam também que o Nordeste é a segunda região com mais internações pela síndrome, com 391 casos entre 15 e 21 de março.  Fica atrás apenas do Sudeste que lidera a lista com folga; 1.480 internações no período, 65,7% dos casos de todo o País.

A SRAG a pode ser causada por vários vírus. Entre eles, o influenza, adenovírus e os quatro coronavírus que já eram conhecidos anteriormente, além do novo coronavírus. Depois de ser contaminada, a pessoa pode ficar até dez dias sem apresentar sintomas de SRAG, que geralmente acontecem em duas fases; na primeira há febre alta acima de 38º, acompanhada de calafrios, e sintomas como mal-estar, confusão, perda de apetite, dores de cabeça e nos músculos. Na segunda fase, há o comprometimento das vias respiratórias inferiores, com tosse seca.

Diante do aumento de casos no país, e de sua iminente chegada ao Rio Grande do Norte, gera-se preocupação em torno da capacidade do sistema de saúde para tratamento desses pacientes.

Números
27 internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) foram registradas este ano no Rio Grande do Norte






Deixe seu comentário!

Comentários