Investigação começou em outubro de 2018

Publicação: 2019-05-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A investigação que desvenda o Porto de Natal como rota para o tráfico internacional começou em outubro do ano passado, quando 2,4 toneladas de cocaína foram encontradas no Porto de Rotterdã, na Holanda. A cocaína estava em cargas de mangas e melões que saíram de Natal, camufladas entre caixas das frutas. Cinco meses depois, a Polícia Federal achou 3,2 toneladas da droga dentro de contêineres armazenados no local, com as mesmas características da apreendida na Europa.

Delegado da Polícia Federal no RN, Agostinho Cascardo, falou sobre o tráfico internacional
Delegado da Polícia Federal no RN, Agostinho Cascardo, falou sobre o tráfico internacional

Agora, mais uma tonelada foi encontrada no porto, mas nenhuma prisão foi realizada. “Para a Polícia Federal, o tempo de investigação é muito curto ainda. Ela dura mais que isso. Não queremos chegar em laranjas, mas nos autores. E, quando a gente chegar nos autores, temos que chegar no patrimônio. É assim que a gente combate o tráfico”, explicou Agostinho Cascardo. Nenhum detalhe do andamento das investigações foi divulgado pela Polícia Federal.

A cocaína encontrada nesta segunda-feira estava dentro dos contêineres de maneira parecida com as primeiras apreensões: misturada em caixas fechadas de frutas, impossível de identificar. Foram encontrados mais de 800 pacotes com a droga. Cada pacote continha um símbolo, que pode identificar tanto os compradores da droga quanto os produtores. A Polícia Federal afirma que ela é produzida em países vizinhos (Bolívia, Peru e Colômbia) e também iria para a Holanda.

O caminho feito pela droga até chegar dentro dos contêineres do Porto de Natal é desconhecido, mas a Polícia Federal revelou algumas pistas. Uma delas é um armazém subterrâneo em Parnamirim, região metropolitana de Natal, onde 1,5 toneladas de cocaína foram apreendidos em novembro do ano passado.

Desde que foi encontrada, a PF suspeitava que a droga fazia parte do esquema, mas não confirmava. Nesta terça-feira, 14, Cascardo afirmou ter “fortes indícios” de que vai se confirmar. O local foi encontrado um dia depois de outras 1,5 toneladas de cocaína serem interceptadas em um caminhão na Bahia. Três homens foram presos nessa operação e, nos seus depoimentos, afirmaram que a droga estava destinada “às cidades do nordeste e países europeus”.

Os países de destino são a Holanda, principalmente, e a Espanha. Os navios que saem de Natal passam nos dois países na mesma rota. Segundo a Receita Federal, entre outubro de 2017 e maio deste ano, 10 toneladas de cocaína dentro de cargas de Natal foram encontradas no Porto de Rotterdã, na Holanda, e outros 416 kg no Porto de Algeciras, na Espanha. Desses locais, a cocaína é distribuída em toda a Europa.

Número
10 toneladas de cocaína saíram do porto de Natal entre 2017 e maio deste ano e foram descobertas em Rotterdã, Holanda.









continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários