Jailson, camisa 8 do ABC: “Estou muito feliz. O grupo mentalizou o acesso”

Publicação: 2020-09-27 00:00:00
Ícaro Carvalho
Repórter

Com a ausência de Wallyson, principal ídolo da torcida, os torcedores do ABC Futebol Clube precisaram encontrar em outros jogadores a projeção de um jogador que chamasse a responsabilidade e liderasse a equipe dentro de campo. Vários nomes surgiram, mas um deles chamou a atenção pelos gols, assistências e bom futebol: o pernambucano Jailson, de 27 anos, que chegou de forma desconhecida no clube e reconhece que não teve um bom começo sob o comando do técnico Francisco Diá. O artilheiro da equipe na temporada comemora o título estadual invicto, se diz feliz no Alvinegro e comenta que os atletas do atual grupo “mentalizaram o acesso”.

Créditos: Comunicação/ABCJaílson, camisa 8 do Alvinegro, já marcou 12 gols na temporada em 25 partidasJaílson, camisa 8 do Alvinegro, já marcou 12 gols na temporada em 25 partidas


“Sabemos que é uma competição muito difícil, porque são muitas equipes boas, com o mesmo objetivo. Temos total consciência que só depende da gente também e estamos focados em busca do nosso objetivo, que é o acesso à Série C. Já mentalizamos isso, estamos trabalhando para colocar o ABC na Série C, que é o objetivo de todos aqui, lógico, respeitando todos os adversários, pode ver que o primeiro jogo foi muito difícil, mas Série D é isso, estádios difíceis, campos que não vão favorecer. Mas estamos focados que temos que passar por cima das dificuldades para conseguir o acesso”, revela Jailson em entrevista à TRIBUNA DO NORTE.

Jailson chegou ao ABC em outubro do ano passado, após atuação junto ao Santa Cruz de Recife, meses após o rebaixamento do Alvinegro à Série D. Natural de Jaqueira (PE), o camisa 8 logo se transformou numa das principais peças do elenco do técnico Francisco Diá e viveu uma série de incertezas durante a parada pela pandemia de coronavírus, que paralisou o futebol do RN por cinco meses. À época, a renovação do jogador acabou ganhando vários capítulos e se estendeu por várias semanas, com a ampliação do contrato sendo revelada na “live” alusiva em comemoração aos 105 anos do ABC.

“Chegaram propostas durante a pandemia, mas conversei com o meu empresário, falei para ele que estava feliz aqui, com o momento que estava vivendo. Me perguntaram se eu queria sair ou ficar e optei por renovar, até por esse momento que estou vivendo hoje. Todo mundo gosta de mim, me dá confiança, treinador, comissão, jogadores, diretoria, e a torcida que tem me apoiado bastante. Isso fez com que pesasse muito na minha decisão para renovar e dar continuidade a essa temporada no ABC”, explica Jailson. O contrato dele está vigente até maio de 2021.

Atualmente, segundo estatísticas do site O Gol, Jailson já fez 25 jogos com a camisa do ABC e marcou 12 gols, sendo 10 deles pelo Campeonato Estadual de Futebol. Antes de jogar pelo Alvinegro, Jailson também atuou por clubes como o Santa Cruz, Cuiabá, Fluminense de Feira, Moto Club, Central, Asa, entre outros. Jailson, inclusive, foi eleito o melhor jogador do Potiguar 2020 e esteve presente na seleção do torneio em escolha da equipe de esportes da Tribuna do Norte/Jovem Pan News Natal.

“A gente que é jogador sempre espera o melhor né? Mas também nos preparamos para que, às vezes algo não dá certo, estarmos preparado. Meu pensamento sempre foi positivo, fiquei feliz com tudo. É lógico que a expectativa estava alta, às vezes não esperamos tanto assim, mas estou vivendo um momento muito bom aqui, estou feliz, a diretoria também, com o que vem repercutindo. ”, diz.

“Peguei as críticas como lição”
Se Jailson é hoje um dos atletas pilares do elenco de Diá, o meio campo do ABC não esconde que seu começo com a camisa alvinegra não foi dos melhores, fato que, inclusive, o fez ser criticado pela torcida. Após a chegada do meia João Paulo, que assumiu a camisa 10 e deu a 8 a Jailson, o pernambucano acabou melhorando seu desempenho e passou a marcar gols e contribuir com assistências.

“Pelas circunstâncias que foram iniciadas, eu não imaginava que fosse acontecer. Quando cheguei aqui, nos primeiros jogos fui muito criticado, mas peguei essas críticas como lição para poder dar a volta por cima e foi quando comecei a jogar bem, ajudar meus companheiros. No decorrer do campeonato, quando já estava confiante, comecei a fazer gols, ajudar, botei em mente que queria ser artilheiro do campeonato e queria ser o destaque, era um objetivo individual mesmo. Tinha o da equipe, mas queria isso. E graças a Deus isso acabou acontecendo”, comenta.

“É difícil você ver hoje um meia que chega bastante, fazendo gols. Me sinto muito feliz com esse momento, sem ser aquele atacante, camisa 9, mas estar vindo ali de trás, chegando na frente e fazendo gols”, acrescenta.
Antes da parada em virtude da pandemia de coronavírus, Jailson avalia que o ABC estava vivendo um bom momento, uma vez que liderava o Campeonato Potiguar e possuía boas chances de classificação na Copa do Nordeste. Outro fator que pesou para sua renovação, segundo ele, foi a confiança e o momento no ABC, que ele avalia como um dos melhores da sua carreira.

“Tenho certeza que estou feliz aqui. O que pesou bastante para renovar foi esse momento que estou vivendo. A confiança, o grupo me deixa a vontade. A torcida também tem me apoiado desde que eu cheguei pelo futebol que eu venho mostrando, pela entrega e vontade de vencer, de conquistar. Coloquei na minha cabeça que eu queria conquistar título pelo ABC, então isso pesou bastante. Antes da parada estávamos bem nas competições, então queria voltar para terminar o que coloquei como meta quando vim para cá”, conclui.

Diá quer vitória e mira a primeira colocação do grupo
Depois de amargar um empate no último lance da partida de estreia, o ABC agora quer estrear na condição de mandante com o pé direito, a meta é garantir os primeiros três pontos no estádio Frasqueirão, onde hoje, a equipe enfrenta o Jaciobá-AL a partir das 16 horas. O treinador Francisco Diá terá dois retornos importantes ao grupo: o lateral-direita Pedro Costa e o meio-campista João Paulo, que segundo o comandante alvinegro vão ficar no banco como opção para o decorrer da partida.

“Contra o Jaciobá, João Paulo e Pedro Costa vêm de lesões, são dois atletas que foram titulares o tempo inteiro, mas nesse jogo a gente optou ficar com os dois atletas à disposição para o decorrer da partida. São dois atletas com potencial de titulares e iremos ver o comportamento da dupla atuando em conjunto com Lelê, cumprindo uma função diferente. Todos são jogadores técnicos, de muita habilidade que poderão ajudar bastante o ABC dentro da Série D”, afirmou o treinador.

O comandante abecedista reforça que não ficou satisfeito com a forma como ocorreu o empate contra o Itabaiana e, como possui a intenção de brigar para classificar na primeira colocação do grupo, não pretende desperdiçar a chance de obter a pontuação máxima em casa.

“Não ficamos satisfeitos com o resultado da estreia, a equipe vencia a partida até os 49 minutos do segundo tempo e sofreu o empate depois de criar e desperdiçar muitas oportunidades.  Agora vamos realizar nosso primeiro compromisso como mandante e acho que temos de ganhar. Temos de buscar pontuar o máximo possível em Natal para tentar a classificação dentro do grupo, se possível, em primeiro lugar”, destacou Diá.

Com relação ao adversário, ele não espera um jogo fácil, mas acredita na força alvinegra e explica a importância de ter como meta a primeira colocação dentro da fase de grupos. “O Jaciobá não conseguiu fazer o dever de casa na estreia, por isso esse será um jogo importante. Esse é o adversário a ser batido, porque não vai querer perder e virá com a intenção de levar pontos de Natal.  Mas a nossa ideia é de classificar na primeira colocação, para trazer a definição dos confrontos do mata-mata para o Frasqueirão”, reforçou. (Vicente Estevam)