Jesus é titular contra Arábia Saudita

Publicação: 2018-10-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Riad (Arábia Saudita), (AE) - Depois de ficar de fora dos amistosos que a seleção brasileira fez contra Estados Unidos e El Salvador no mês passado, em solo norte-americano, por opção do técnico Tite, o atacante Gabriel Jesus foi chamado para defender o Brasil nos confrontos diante da Arábia Saudita, às 15 horas (de Brasília), em Riad, e contra a Argentina, na próxima terça, em Jeddah, com o seu prestígio intacto com o treinador.

Atacante Gabriel Jesus foi chamado por Tite e tem a confiança do treinador da Seleção Brasileira
Atacante Gabriel Jesus foi chamado por Tite e tem a confiança do treinador da Seleção Brasileira

O jogador do Manchester City decepcionou ao não marcar nenhum gol nos cinco jogos que o Brasil fez na Copa do Mundo da Rússia, mas segue com a confiança do comandante, que voltou a elogiar o jovem atacante em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira no estádio da Universidade King Saud, palco da partida desta sexta.

"Gabriel Jesus tem característica dos diferentes. Há um livro do Michael Jordan chamado de 'Nunca Deixe de Tentar'. Ninguém permanece em alto nível o tempo todo, mas ele tem na participação, no nível de concentração, é questão de tempo e tranquilidade para ele retomar melhor desempenho", afirmou Tite, que sempre elogiou o papel tático que o atleta desempenhou na seleção brasileira.

O sinal claro da confiança do treinador é o de que nesta quinta o jogador foi confirmado como o camisa 9 do Brasil para os dois próximos amistosos. A CBF soltou a numeração dos 23 nomes convocados para estes jogos e o atacante tem escalação garantida na equipe que pegará a Arábia Saudita nesta sexta. Porém, deverá dar lugar a Roberto Firmino, em melhor fase com a camisa do Liverpool, no confronto com os argentinos.

No treino desta quinta-feira, Tite voltou a escalar o Brasil com Ederson; Fabinho, Pablo, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Fred, Renato Augusto, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus. Já a formação reserva da atividade teve Alisson; Danilo, Éder Militão, Miranda e Filipe Luís; Arthur e Walace; Lucas Moura, Roberto Firmino, Richarlison e Malcom.

Até pelo fato de que a Arábia Saudita é um rival sem peso no futebol mundial, Tite vai aproveitar para testar vários jogadores hoje considerados reservas da seleção. No caso, Ederson, Fabinho, Pablo, Alex Sandro e Fred serão as principais novidades do time nacional.

"O técnico tenta manter uma estrutura base, e dar oportunidade aos atletas, não experimentar. Atletas de alto nível a gente oportuniza. Mantém uma estrutura e oportuniza para que possam desenvolver melhor. Conjunto pode dar suporte pra Pablo, Ederson e Fabinho produzirem bem", enfatizou o técnico da seleção nesta quinta.

Adversário
Tite concedeu entrevista coletiva e tratou de valorizar o nível do adversário, apesar de o rival ser considerado inexpressivo no cenário do futebol mundial.

Para o comandante, o time saudita poderá exigir mais do time nacional após as vitórias fáceis sobre Estados Unidos (2 a 0) e El Salvador (5 a 0), em setembro, nos dois primeiros jogos que o Brasil disputou após cair nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia, onde foi eliminada pela Bélgica com uma derrota por 2 a 1.

"A Arábia Saudita é uma equipe móvel, de qualidade de passe, não é uma equipe estática, pragmática, isso gera grau de dificuldade maior. Ela rompe linhas, ataca espaço, não é uma equipe pesada. É uma característica diferente, à qual teremos de nos adaptar. Ela me dá oportunidades de conhecer atletas diferentes, com estruturas táticas às vezes diferentes", afirmou o comandante.

Tite, entretanto, enfatizou a necessidade de a seleção não apenas confirmar favoritismo diante do adversário desta sexta, mas exibir uma boa atuação. A mesma meta é fixada para o amistoso diante da Argentina, na próxima terça-feira, em Jeddah, também na Arábia Saudita.

"Eu sou um cara meio, talvez assim, como eu posso dizer..., sonhador. Eu gosto de convencer para vencer. Sempre é uma coisa muito ilusória, o resultado pelo resultado. Eu sei que tenho de ganhar, mas a Arábia Saudita também quer ganhar", disse o treinador.

Já ao ser questionado se ficou mais aliviado agora com o fato de a eliminação no Mundial ter tirado um pouco daquela áurea de "técnico perfeito" que muitos creditavam a ele, o comandante garantiu que não achava que poderia merecer este estereótipo.




continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários