Joana Neves ganha ouro e Cecília Araújo traz o bronze

Publicação: 2018-08-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Rio Grande do Norte segue brilhando nas piscinas paralímpicas. Ontem, primeiro dia do Parapan-Pacífico disputado na cidade de Cairns, na Austrália, o Estado festejou duas medalhas. A primeira com Cecília Araújo, bronze e depois o ouro de Joana Neves. O Brasil, que ainda tem o norte-rio-grandense Roberto Vital como chefe médico, compete até o próximo dia 13.

Joana Neves e Roberto Vital comemoram primeiro ouro potiguar
Joana Neves e Roberto Vital comemoram primeiro ouro potiguar

O Brasil está sendo representado por 15 nadadores, sete dos quais medalhistas nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Ao todo, 19 países participam do evento. As disputas acontecem no Tobruk Memorial Pool, piscina construída para homenagear os soldados australianos que lutaram na Batalha de Tobruque, durante a Segunda Guerra Mundial. O Parapan-Pacífico de natação acontece a cada quatro anos, e sua última edição foi em 2014 na Califórnia, nos Estados Unidos. Apenas Austrália, Japão, Canadá e Estados Unidos podem sediar a competição e a organização do evento fica a cargo de seus comitês paralímpicos nacionais (NPCs, sigla em inglês).

Provas
A equipe brasileira de natação paralímpica conquistou oito medalhas na abertura do Parapan-Pacífico. O destaque ficou por conta do revezamento 4x50m livre, 20 pontos, que não só subiu ao lugar mais alto do pódio como também quebrou o recorde das Américas na disputa. A competição é o principal evento da modalidade nesta temporada.

Participaram do revezamento campeão Patrícia Santos (classe S4), Joana Neves (S5), Daniel Dias (S5) e Talisson Glock (S6). Os nadadores combinaram para o tempo de 2min25s12, 30 centésimos abaixo dos 2min25s45 estabelecidos também pela equipe nacional, nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Na ocasião, os brasileiros ficaram com a medalha de prata.

Edênia
A nadadora Edênia Garcia começa sua participação hoje no ParaPan Pacífico de Natação, que será realizado. A potiguar se mostra disposta a lutar por novas medalhas.

“Irei participar pela segunda vez do ParaPan Pacífico, a mais importante competição do ano. Minha primeira participação foi em 2014, ano em que fui campeã nos 50m costas. Nesta edição, quero muito defender o título e sair com a medalha de ouro! Essa temporada é muito importante para nós, pois antecede o ano pré- mundial, quando será aberta vagas para os Jogos de Tóquio 2020, ano este de extrema intensidade e importância também", ressaltou Edênia.





continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários