Joesley e Saud estão em cela de 9 m²

Publicação: 2017-09-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Brasília (AE) - O empresário Joesley Batista e o executivo Ricardo Saud chegaram ontem à sede da Polícia Federal em Brasília e ficarão presos em celas separadas na Superintendência da PF. Os delatores da J&F não terão conforto algum: cada um tem direito a uma cela de 9 m². O vaso sanitário fica no chão e o banho é frio (não há sequer chuveiro, apenas um cano na parede).

Ontem, às 10h35, Joesley Batista e Ricardo Saud deixaram a Superintendência da PF em São Paulo. O dono da JBS saiu da sede da PF na capital paulista com um terço nas mãos rumo ao Aeroporto de Congonhas, onde ele e Saud pegaram o voo para Brasília.

Depois, eles passariam no Instituto Médico Legal para fazer exame de corpo de delito antes de serem presos.

Em Brasília, houve protestos. Joesley Batista e Ricardo Saud eram aguardados por um pequeno grupo de manifestantes que comemorou com fogos de artifício a detenção dos executivos. Os delatores vão cumprir a custódia por cinco dias na capital federal.

Os executivos se entregaram anteontem, à Polícia Federal, em São Paulo. Eles foram presos por ordem do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, por suspeita de violar a delação premiada. A decisão do ministro havia sido tomada na última sexta-feira, mas estava protegida sob sigilo.

“Chance zero”
A prisão foi uma surpresa para Joesley. Durante um trecho da longa conversa de quatro horas com o executivo Ricardo Saud, o empresário repetia, quase como um mantra, que eles não iriam ser presos pela PF. "Não tem nenhuma chance de eu ser preso. Sabe qual a chance de eu ser preso? Qual? Nenhuma, zero".

Por ironia, Joesley já havia programado uma viagem a Brasília ontem. Ele tinha depoimento agendado para às 9h, também na Superintendência da Polícia Federal de Brasília no âmbito da operação Greenfield que investiga possíveis irregularidades no aporte de fundos de pensão em empresas do grupo J&F.

Como ele havia se entregado à PF de São Paulo no domingo, o empresário não compareceu à oitiva.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários