Jornada de Cabral vira animação 3D

Publicação: 2011-10-22 00:00:00 | Comentários: 1
A+ A-
Yuno Silva - repórter

A controvérsia histórica sobre o primeiro ponto da costa brasileira avistada pelos portugueses ganha reforço com a animação “O RN na rota de Cabral”, assinada pela equipe capitaneada pelo quadrinista potiguar Lula Borges. Lançado na última segunda-feira (17), durante abertura da Feira de Livros e Quadrinhos de Natal – FLiQ, o curta-metragem tem 11 minutos de duração e está embasado em pesquisas que vão de encontro à história oficial. O projeto original surgiu como história em quadrinhos, mas Lula viu potencial para transformar a narrativa em um produto audiovisual que mescal 3D e 2D – modelagem tridimensional e desenho animado tradicional.

DivulgaçãoAnimação é desdobramento de projeto contemplado no edital Moacy Cirne de QuadrinhosAnimação é desdobramento de projeto contemplado no edital Moacy Cirne de Quadrinhos
“O argumento para ‘O RN na rota de Cabral – O Brasil nasceu aqui’ surgiu em 2009 e chegou a ser contemplado pelo Prêmio Moacy Cirne de Quadrinhos’, da Fundação José Augusto, que até agora não pagou. Cansamos de esperar e fomos buscar outros meios de viabilizar o projeto”, disse Borges, que inscreveu a animação no Fundo Municipal de Incentivo à Cultura (FIC) 2010 e recebeu R$ 9,7 mil para realizar a animação – recurso que cobriu cerca de 60% do investimento.

Na opinião de Lula, além da qualidade técnica a animação traz um conteúdo educativo que pode ser utilizado, inclusive, como material didático. “Como acabamos de lançar, não disponibilizaremos o curta na internet neste momento. Antes, queremos potencializar a produção lançando em escolas e desdobrando as sessões em debates sobre o assunto”, adianta.

Inquieto, Lula Borges acabou gerando um outro produto a partir do filme: enquanto aguardava os finalmentes da sonoplastia e da legenda (a animação foi traduzida para o inglês), ele e o filho Aadrian Borges, 15, começaram a trabalhar na produção de um game. “Aadrian sempre gostou de jogos eletrônicos, e começamos a experimentar”, contou Lula, que assina o roteiro do jogo. “Como a animação já foi lançada, estamos desenvolvendo melhor o game e, neste momento, trabalhamos em uma versão com capacidade para permitir jogadores simultâneos online”. Apesar da tendência, Lula ainda não planeja criar uma versão para celular.

“Tudo depende de financiamento. Ou seja, sem recursos não podemos nos dedicar inteiramente a este projeto. Sem falar que estamos fazendo tudo na intuição, na base da tentativa e erro pois não há cursos e profissionais aqui no RN trabalhando com esse tipo de coisa”, observa o artista, que levou seis meses para concluir a animação.

Lula divide o trabalho com a pesquisadora Waltécia Oliveira e o desenhista Carlos Alberto. Também contou com a colaboração do ilustrador Luiz Elson, que assinou os cenários; João Batista, Deuslir e Wagner pelo apoio na animação 2D; Diego Costa, que pilotou o programa Blender (plataforma onde foi feito tanto a animação 3D e a game); Aadrian; o produtor musical Kiko, responsável pela trilha sonora original. Gláucio Câmara e Alex Ivanovich emprestaram as vozes aos personagens animados.

O próximo projeto da equipe será voltado para uma animação com temática ambiental.

Toda a produção foi registrada no blog cabralrn.blogspot.com e o curta-metragem, que também pode vir encartado na HQ homônima publicada através do projeto 1ª Edição (da FJA), pode ser adquirido através do telefone (84) 8855-4059.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • maxhist

    Acrdito sim, que Cabral poderia ter visto primeiro a costa potiguar, não apenas por relatos e documentos históricos apenas, mas também pelas correntes marinhas e os ventos que propositalmente estavam levando Cabral a esta terra nova. Todavia, o desembargue da Frota de Cabral se deu na Bahia, daí a convenção de dizer que o Brasil começou pela Bahia. @tribunomax