Jornalismo da TN venceu 12 prêmios entre 2013 e 2014

Publicação: 2014-08-03 00:00:00
A Tribuna do Norte venceu nesta semana o prêmio CNI de Jornalismo na categoria Internet, a segunda mais concorrida da premiação concedida pela Confederação Nacional da Indústria.
Com o Prêmio Nacional da Confederação Nacional das Indústrias, na categoria Internet, a TN soma 12 premiações em 2013/2014
O prêmio foi entregue à reportagem “Eólica: Nova indústria, novas oportunidades” (www.tribunadonorte.com.br/eolica), assinada pelas jornalistas Renata Moura (Editora de economia) e Cledivânia Pereira (Editora Executiva). Ao todo, 146 reportagens concorreram nessa categoria, mas apenas três chegaram à fase final: Além da Tribuna, foram finalistas a Folha de S. Paulo e o JC Online/Portal NE 10.

“Os prêmios são respostas a um esforço diário dos jornalistas da Tribuna do Norte em levar ao público reportagens que aliem informação e conhecimento. Essa é a fórmula da qualidade e da sobrevivência do jornalismo em um futuro no qual a notícia é, cada vez mais, superficial e fragmentada”, ressalta o jornalista e diretor de redação da Tribuna do Norte, Carlos Peixoto.

Concorrência
O prêmio CNI teve nesta edição 579 trabalhos válidos, 41% a mais que em 2013, oriundos de 25 estados e do Distrito Federal.  Eles concorreram em 13 categorias. O total de inscritos foi recorde, enfatizou o diretor de Comunicação da CNI, Carlos Alberto Barreiros.

A categoria mais concorrida foi Jornalismo Impresso, com 188 participantes, de 51 veículos. Internet teve 146 reportagens de 69 veículos. Houve ainda 114 reportagens de revistas, 80 de TVs e 51 de rádio.

A escolha dos vencedores ficou a cargo de uma comissão formada por Ricardo Villela (TV Globo Brasília), José Paulo Kupfer (O Estado de S. Paulo), Vinícius Torres Freire (Folha de S. Paulo), Hélio Gomes (Portal Terra), Sérgio de Sá (professor da UnB), Denis Roberto Baú (presidente da Federação das Indústrias de Rondônia) e Glauco José Côrte (presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina ). Eles analisaram os trabalhos finalistas que haviam sido selecionados pela comissão avaliadora.

Essa  Comissão foi formada pelos jornalistas Francisco Leali (O Globo), Ribamar Oliveira (Valor Econômico), Conceição Freitas (Correio Braziliense), Roseann Kennedy (Rádio CBN), Danielle Rafare (TV Globo Brasília), Ayr Aliski (Agência Estado) e Luciano Pires (FSB Comunicações).

“Eólica: Nova indústria, novas oportunidades” mostra que há um “vendaval” de empregos e investimentos associado à geração de energia eólica e os desafios do setor na área de qualificação profissional – um gargalo para o setor produtivo brasileiro. Textos, vídeo reportagens e infográficos ajudam a mostrar impactos, riscos e soluções do problema. Foram três meses de apuração que envolveram viagens a cidades no interior do RN – estado com o maior número de usinas em construção – e Paraíba, além de entrevistas com empresas, trabalhadores, instituições de ensino e analistas brasileiros e estrangeiros.

Reportagem e edição ficaram a cargo das jornalistas Renata Moura e  Cledivânia Pereira, os vídeos foram produzidos pela equipe da TV Tribuna (Bernardo Luiz (Edição), Diego Ciríaco e João Victor Wanderley); as artes são assinadas por Camila Cahú e o website foi desenvolvido pela equipe de Tecnologia da Informação da TN, com assinatura de Kauê Pereira e Jonathas Rangel Berico. Há fotos de Ana Silva, Adriano Abreu, Alex Régis, Cledivânia Pereira e Júnior Santos.

Para o presidente do Sindicato dos Jornalistas do RN, Breno Perruci, os prêmios são estímulo para que o comunicólogo faça trabalhos melhores e mais elaborados. “Para o RN, ter  vencedoras de prêmios nacionais mostra que não estamos atrás de qualquer outra região na capacitação dos profissionais”, disse. O chefe do departamento de Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Sebastião Faustino, acrescentou que os prêmios são enxergados na UFRN como consequência do trabalho e não como objetivo” 

Desde o ano passado, a Tribuna venceu 12 prêmios de jornalismo. Metade deles foi conquistada pela editoria de economia. “A equipe da editoria de Economia da TN tem um diferencial que deve ser um dos motivos do sucesso em premiações: tenta entender e traduzir da melhor forma  os assuntos. E não apenas reproduzi-los. Essa independência é fundamental não só para o jornalismo, mas para os setores produtivos”,  comentou o fundador do Sindicato das Empresas de Energia do RN, Jean-Paul Prates.

O prêmio CNI
Esta foi a terceira edição do prêmio CNI de Jornalismo. O concurso distribuiu neste ano R$ 310 mil em valores brutos. Foram premiadas com R$ 25 mil as melhores reportagens de TV, rádio, revista, jornal e internet. Os ganhadores nas categorias regionais (Sul, Norte, Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste) receberam R$ 15 mil cada.  Houve também dois prêmios especiais, em que os vencedores receberam R$ 30 mil: Educação e Inovação. E o Grande Prêmio José Alencar de Jornalismo e mais R$ 50 mil, para o melhor entre todos os trabalhos inscritos. Os vencedores nas categorias especiais também ganharam um curso na França. Esta foi a segunda vez que a TRIBUNA DO NORTE venceu o prêmio CNI. No ano passado, o jornal foi premiado na categoria Destaque Regional Nordeste, com a série de reportagens “Crescer”, assinada pelas jornalistas Renata Moura e Andrielle Mendes.
WebReportagem sobre eólicas venceu Prêmio CNI - Internet

Últimos prêmios que a TRIBUNA DO NORTE venceu ou em que foi indicada como finalista, entre 2013 e 2014.

PRÊMIO CNI DE JORNALISMO 2014

Reportagem: “Eólica: nova indústria, novas oportunidades”
Categoria: Internet
Com quem concorreu:
Folha de S. Paulo, com a reportagem “A Batalha de Belo Monte”
JC Online/Portal NE 10, com a reportagem “Descaminhos - Uma história sobre a estrada na vida das pessoas”

Categoria: Jornalismo Online

Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade (2014) – finalista com a reportagem “Costurando o Desenvolvimento”
Prêmio Sebrae de Jornalismo (2014) – Vencedor da etapa estadual com a reportagem “Costurando o Desenvolvimento”
Prêmio Fiern de Jornalismo (2013) - Vencedor com a reportagem “Costurando o Desenvolvimento”

Categoria: Jornalismo Impresso

Prêmio CNI de Jornalismo (2013) -  Vencedor na categoria regional Nordeste, com a série de reportagens “Crescer”
I Prêmio Sistema Fecomércio RN de Jornalismo (2013)
- Vencedor geral, com a série de reportagens “A locomotiva perde força, mas há soluções”
I Prêmio Sistema Fecomércio RN de Jornalismo (2013) - Vencedor na categoria Jornalismo Impresso, com a série de reportagens “A locomotiva perde força, mas há soluções”
Prêmio CNH de Jornalismo Econômico (2013) – Finalista com a série de reportagens “Crescer”
Prêmio BNB de Jornalismo (2013) - vencedor na categoria regional 2, com a série de reportagens “Crescer”
Prêmio Jornalistas&Cia/HSBC de Imprensa e Sustentabilidade (2013) - Finalista com a série de reportagens “RN autosustentável em energia”
Prêmio Fiern de Jornalismo (2013) - Vencedor com a reportagem “RN espera novos frutos do petróleo”
Prêmio Fiern de Jornalismo (2013) - 2º  lugar com a reportagem “Mineração tem retomada no RN”

Fotojornalismo

Prêmio Jornalistas&Cia/HSBC de Imprensa e Sustentabilidade (2013) – Vencedor na categoria Mídia Nacional com a fotografia “No interior do RN, rebanho não resiste e morre de sede e fome”
Prêmio BNB de Jornalismo (2013) – Vencedor com a fotografia “Novos horizontes para a pesca potiguar”
Prêmio Fiern de Jornalismo (2013) – Vencedor com a fotografia “Programa do biodiesel terá segunda chance no Estado”