JovemPontoCom: o maravilhoso mundo de sucata de Helena

Publicação: 2019-08-24 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-

Vinícius Veloso
Repórter

Reciclagem é uma palavra que tem muito significado para a estudante Maria Helena, de 8 anos. Com a ajuda de uma professora de Artes, ela idealizou e construiu na escola um espaço destinado ao descarte correto de materiais recicláveis. Carinhosamente, o local recebeu o nome de Maravilhoso Hall da Sucata e é um dos muitos lugares da instituição que Maria Helena pode chamar de seu.

Maria Helena Souza Lopes
Maria Helena construiu um projeto de reciclagem em sua escola

“Quando eu era pequena, gostava bastante de pintar e fazer reciclagem de materiais. No início desse ano, comecei a trazer sucata para o ateliê da escola. Os meus amigos e a minha professora me ajudaram a construir o hall. Acho que eles gostaram”, disse Maria Helena, que estuda na Lápis de Cor. No espaço, há quatro tonéis coloridos (verde, azul, vermelho e amarelo) e, cada cor, representa o tipo de objeto que deve ser descartado nos compartimentos.

O tonel de cor vermelha é para o despejo de plástico; azul, papel e papelão; verde, vidro, e amarelo, metal. Esses códigos de cores voltados para materiais recicláveis são usados em todo mundo e, no Maravilhoso Hall da Sucata, Maria Helena não fez diferente. “Aqui, a gente separou os latões em cores, como forma de coletar o material de maneira correta para ajudar o ateliê e o meio ambiente”, completou. O objetivo da jovem é conscientizar e ensinar as pessoas que jogar lixo no chão ou descartar os materiais recicláveis incorretamente é prejudicial ao planeta Terra.

Durante entrevista, a estudante mostrou à equipe de reportagem da TRIBUNA DO NORTE como funciona o espaço. Além dos compartimentos maiores, há outros menores destinados para materiais específicos como pilhas, lixo eletrônico e canetas coloridas. Segundo Maria Helena, há dias que os tonéis estão cheios de “lixo” para reciclagem. Todo o hall contém placas indicando onde despejar cada resíduo.

Uma ou duas vezes por semana, ela traz de casa objetos que podem ser reaproveitados como potes plásticos, garrafas PET, rolos de papel e caixas de papelão, além de outras coisas que podem ter alguma serventia aos demais estudantes. “Eu coloco a sucata dentro da mochila ou em sacos  e deixo aqui na escola. Antes eu trazia todo dia”, afirmou.

Maria Helena gosta tanto de recolher esses materiais que, por onde passa, olha ao redor se tem algo interessante para reciclar quando está transitando pelas ruas a pé ou de carro com os pais. Às vezes pede a eles se pode pegar ou não tal objeto. “Tem vezes que eles deixam, outras não”, comentou rindo. De tantos utensílios que acumulou, a mãe de Maria Helena teve que arranjar um cômodo maior da casa para comportar as peças.

Entre as atividades de confecção com a sucata, a pequena criadora constrói brinquedos, porta-trecos, estojos, etc. “Já fiz coisas para minhas bonecas, como camas, e outras eu nem sabia o que era” completou. Maria Helena disse que boa parte da inspiração vem da imaginação e de um desenho chamado Mister Maker que assistia quando era “mais nova”. Os pais também ajudam ela nas atividades que envolvem a sucata quando é para cortar algum elemento mais resistente ou abrir garrafas.

Maria Helena  ainda nos relatou uma história bem interessante que ocorreu recentemente envolvendo as aventuras com a sucata. “Uma amiga minha foi dormir na minha casa e no outro dia, a gente acordou de 5h da manhã para buscar os materiais que ficaram pelo chão da festa junina que teve no prédio. Meu pai estava dormindo ainda. Eu acordei ele e nós descemos para recolher as coisas. Tinha caixa de chumbinho, de cerveja, monte de coisa, tipo… copo, prato. A gente pegou tudinho”, disse em tom de brincadeira.

Quando a estudante vê algum (a) colega de classe jogar lixo no lugar errado, geralmente ela chama a atenção da pessoa, e ensina como é o certo nessas situações. “Eu pego ou peço para apanhar e da próxima vez fico de olho”, concluiu. O hall onde ficam as sucatas se tornou atração dentro da escola. Professoras de outras turmas levam às crianças até o local para explicar sobre a relação entre sustentabilidade e meio ambiente. “Isso me inspira porque os amiguinhos aprendem comigo também”, acrescentou.

Consciente de que o mundo precisa de mais atitudes como essa, Maria Helena não esconde a alegria de auxiliar na construção de um espaço mais sustentável. “É basicamente a vida… é o mundo! A gente tem que ajudar o meio ambiente, senão nem estaríamos aqui. Eu tô reciclando coisas que para outras pessoas são lixo”.

A estudante ainda não sabe qual profissão quer seguir daqui alguns anos, mas, o sonho no momento é continuar recolhendo materiais e criar um lugar para guardar toda sucata que encontrar da maneira mais sustentável possível.

Ficha técnica
Nome: Maria Helena Souza Lopes

Data de Nascimento: 08/12/10

Idade: 8 anos

Naturalidade: Recife/PE

O que faz: recicla materiais que sejam utilizados para fabricar objetos de utilidade como brinquedos e porta-trecos








continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários