Juros menores

Publicação: 2017-01-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Copom, do Banco Central, anuncia hoje, no começo da noite, a taxa básica de juros (Selic), para os próximos 45 dias. O mercado aposta alto em uma nova queda dos juros, em 13,25%, ao ano. Tem os que apostam numa redução maior para 13%, ou 0,75 ponto percentual, com a justificativa de queda da inflação e do fraco desempenho da indústria. Seria a grande oportunidade para os bancos e administradoras de cartão repassarem essa redução ao consumidor, nos cartões de crédito, de lojas e no cheque especial. Não é aceitável uma taxa de juros acima dos 400% ao ano, dentro de um sistema bancário automatizado como o brasileiro.

ABUSO –  O juro do cheque especial continua em 13,6% em janeiro, diz Procon. O consumidor já alcançou essa extorsão e, na medida do possível, tem evitado o uso do cartão e do parcelamento. O grande culpado pela alta de juros é o governo que é endividado.

Varejo (I)
Após quatro quedas, as vendas no varejo cresceram 2% em novembro, pelo levantamento do  IBGE. Com isso, o varejo tem o melhor novembro desde 2007, mas recua 6,4% no acumulado do ano. Analistas afirmam que, num ambiente de recessão econômica, perdas de emprego e dificuldades de crédito, o resultado de novembro de 2016 tem caráter apenas pontual.

Varejo (II)
O “empurrão” aconteceu pela antecipação das compras do natal. O varejo restrito mostrou que os setores de hiper  e supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+0,9 por cento), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (+7,2 por cento) e móveis e eletrodomésticos (+2,1 por cento) foram os principais responsáveis pelo resultado do mês.

INFLAÇÃO –  O IGP-M acelera para uma alta para 0,86% na primeira prévia de janeiro. O índice é aplicado aos contratos, como o de aluguel. Que a inflação se mantenha  em um patamar confortável em 2017.

Mais empresas criadas
Apesar do aprofundamento da crise, de janeiro a outubro, mais de 1,7 milhão de empresas foram criadas no país, aponta a Serasa Experian. Mesmo com o número recorde de empreendimentos, já é possível observar tendência de desaceleração na criação de novos negócios. Entre janeiro e outubro de 2016 foram criadas no Brasil 1.702.958 novas empresas, o maior número para o período desde 2010. Trata-se de uma quantidade 0,7% superior em relação aos dez primeiros meses de 2015, quando ocorreram 1.691.652 nascimentos. No mês de outubro de 2016, porém, houve queda de 1,8% nos novos empreendimentos em relação ao mês anterior. O indicador apontou a criação de 159.991 novas empresas, número menor que os 162.979 de setembro de 2016.

NATUREZA - O número de novos Microempreendedores Individuais (MEIs) nascidos nos dez primeiros meses deste ano foi de 1.344.539 contra 1.290.204 no mesmo período de 2015, alta de 4,2%. Já as sociedades limitadas registraram criação de 148.017 unidades, queda de 12,4% em relação ao intervalo anterior, quando 168.894 empresas surgiram. A criação de Empresas Individuais caiu 21,1%.

1 Mais empresas geradoras de energia eólica solicitam ao Idema a licença de operação de parques eólicos no Rio Grande do Norte. São os parques Calango VI, com 30 MW, Santana Energia Renovável, I e II, com 30 MW e 24 MW, respectivamente. Essas geradoras estão instaladas na Serra de Santana, nos municípios de Bodó, Cerro Corá e Lagoa Nova.
2 Com apoio do Sindicato da Indústria de Cerâmica Vermelha para Construção do RN (Sindicer-RN), o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-RN) lançará amanhã, às 15h, no Senai Ítalo Bologna, em Mossoró, a operação “Tijolo Legal”. O objetivo é combater a inconformidade dos produtos cerâmicos, evitando que o consumidor seja prejudicado pela compra de material fora das normas de controle e com baixa qualidade.
3 O Projeto de Integração de bacias do São Francisco teve  o edital das obras do Eixo Norte é retificado. Mesmo com a alteração, a assinatura do contrato está mantida para fevereiro. O documento é referente à contratação de uma nova empresa para continuar com as obras do projeto que não foram executadas pela Mendes Júnior, que era responsável pelos serviços neste trecho.

CAPTAÇÃO - Para o Natal Convention Bureau, o ano de 2016 foi considerado  positivo, ao  captar oito eventos para Natal, além de  apoiar outros 13. A entidade também fez ações de promoção do destino como a Experiência Dagaz (Fantour com empresários de São Paulo), ações de relacionamento como o dia do hoteleiro (visita aos hotéis associados com entrega de balas, pirulitos e marca páginas para funcionários), além de 12 rodadas de negócios e 13 visitas técnicas.

TRÁFEGO - O Índice ABCR, que mede o tráfego nas estradas concedidas caiu 3,6% em 2016. Na comparação com 2015, o fluxo de veículos leves registra queda de 2,8% e o de pesados 6,0%, mais um indicador da recessão da economia brasileira. “O menor desempenho do fluxo de veículos leves em 2016 está associado à intensificação do processo de deterioração do mercado de trabalho”, afirma Rafael Bacciotti, economista da Tendências Consultoria.

ABERTURA – O Brasil ainda detém  o troféu de economia mais fechada entre emergentes. Nos 12 meses até setembro de 2016, o Brasil tinha a menor corrente de comércio de um grupo de 21 emergentes, mostra o relatório do banco Credit Suisse. O governo brasileiro desmente essa estatística mostrando o volume de produtos exportados de todos os continentes.

OPORTUNIDADE –  A Marinha lança o edital para Níveis Fundamental e Médio Técnico. O Processo Seletivo é para cerca de 650 vagas de Praças Temporárias, que exige os níveis Fundamental (com Curso de Formação Inicial Continuada) e Médio Técnico, com rendimentos brutos iniciais em torno de R$ 2.100 e R$2.900, respectivamente. Inscrição de 10 de janeiro a 3 de fevereiro de 2017.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários