Justiça decide bloquear R$ 45,6 milhões de Pezão

Publicação: 2019-01-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Rio de Janeiro (AE) - A juíza Mirela Erbisti, da 3.ª Vara da Fazenda Pública do Rio de Janeiro, atendeu a pedido do Ministério Público fluminense e determinou por liminar o bloqueio de R$ 45,6 milhões das contas do ex-governador Luiz Fernando Pezão (MDB), preso desde novembro, durante a Operação Boca de Lobo, da Polícia Federal. A decisão é relativa à ação civil pública apresentada em 3 de janeiro pelo Ministério Público e foi tomada na quarta-feira, 9.

Luiz Fernando Pezão foi acusado de receber R$ 35 milhões
Juíza atende pedido de MP do Rio e bloqueia valores da conta de Luiz Fernando Pezão

A Procuradoria acusa Pezão de ter recebido propina de R$ 11,4 milhões da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) para beneficiar a entidade durante sua gestão à frente do governo do Estado.

A magistrada também determinou a indisponibilidade de R$ 34,2 milhões das contas da Fetranspor, além de bloquear os bens do ex-dirigente da entidade José Carlos Lavouras (R$ 34,2 milhões) e de dois acusados de operar o suposto esquema ilegal em nome de Pezão. São eles: Luiz Carlos Vidal Barroso (R$ 27,9 milhões) e Hudson Braga (R$ 6,3 milhões).

Os promotores do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção do Ministério Público chegaram ao valor de R$ 45,6 milhões somando os R$ 11,4 milhões supostamente recebidos ilegalmente a uma multa de três vezes o valor da propina (R$ 34,2 milhões).

O suposto esquema de corrupção teria sido montado durante o governo de Sérgio Cabral (MDB). Ele está preso desde novembro de 2017 na Operação Calicute e já foi condenado a quase 200 anos de prisão em oito processos - e também responde a outras ações penais. Depois que Cabral deixou o cargo, em abril de 2014, segundo o Ministério Público, "Pezão assumiu a liderança da organização criminosa, mantendo seu funcionamento".

A reportagem tentou ouvir a defesa dos citados, mas não havia obtido a manifestação deles até a conclusão desta edição.

Números
34,2 milhões de reais foram bloqueados da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Rio de Janeiro.

27,9 milhões de reais foram bloqueados de um dos dirigentes da entidade.

11,4 milhões de reais teriam sido pagos pela Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Rio de Janeiro.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários