Alex Medeiros
Kun Aguero, o ídolo inglês
Publicado: 00:00:00 - 25/11/2021 Atualizado: 21:55:19 - 24/11/2021
Alex Medeiros
alexmedeiros1959@gmail.com

Há pouco mais de uma década, muitos imaginaram que a fábrica de craques no futebol argentino iria fechar por algum tempo após entregar ao mundo os talentos de Riquelme, Messi e Tevez, os dois últimos protagonistas no bicampeonato olímpico, um feito que provocava no rival vizinho um gostinho de inveja. Mas aí apareceu um menino dando show na Copa do Mundo Sub-20 disputada no Canadá em 2007. Ele marcou seis vezes e seu país foi campeão.

Divulgação


O então garoto de 19 anos se chamava Sergio Aguero, e tinha o apelido tirado de um personagem de quadrinhos japoneses, os famosos mangás. O jovem Kun jogava endiabrado, fazendo gols em série apesar da curta carreira que só começava. Na época, escrevi sobre o que ele fez contra a Polônia, inclusive exigindo cópia registrada em cartório para comprovar a semelhança de um gol com aquele primeiro que o rei Pelé marcou na Copa de 1958 contra o País de Gales. O argentino recebeu a bola de costas para o gol, girou dando um chapéu no zagueiro, matou no peito e depositou a esfera no canto direito.

Sergio Kun Aguero já tinha sido o mais jovem talento da geração campeã da Copa Sub-20 de 2005, na Holanda e em 2007 brilhou como o próprio Messi, já um fenômeno do Barcelona. Os bicampeões: Aguero, Tevez, Messi e Saviola.

Foi também o mais novo jogador na história da série A do futebol argentino, estreando aos 15 anos no time titular do Independiente, aquele com o maior número de títulos na Taça Libertadores. Já era a cara do desenho japonês.

Em 2005, aos 17, ganhou do jornal Clarin o título de “craque revelação” da temporada. Na véspera de completar 18 anos, foi comprado por US$ 28 milhões pelo Atlético de Madrid, onde logo se tornaria seu melhor atacante.

A transação mereceu pompas com uma solenidade e um grande coquetel num luxuoso hotel da rede Hilton. O jovem goleador sendo negociado por um valor acima do dobro do gênio Maradona, contratado em 1984 pelo Napoli da Itália.

E se o leitor acha que o tempo e a economia eram outros, convém saber que o Barcelona na mesma época pagou um pouquinho mais por Thierry Henry, um dos maiores jogadores da França e já consagrado pelos campos da Europa.

Em 2008 começou a fazer história na Champions League, uma competição sem espaço para os medianos. Sem ele, o Atlético perdeu um jogo, mas na sua volta, contra o mesmo adversário, seus dribles ajudaram numa goleada.

No confronto seguinte, ele massacrou a zaga holandesa do PSV e marcou duas vezes na vitória por 3 x 0. A partir daqueles dias, o time espanhol emendou uma sequência de classificações para disputar a Champions League.

Transferido para o Manchester City em 2011, construiu durante dez anos uma história que jamais será esquecida pela torcida celeste britânica. Sua chegada estabeleceu naquele instante a mais cara contratação da Premier League.

Primeiramente com a camisa 16, estreou e só precisou de cinco minutos para fazer seu primeiro gol de uma série que tão cedo será superada. Em maio daquele ano, foi dele o gol histórico que deu o título de campeão ao City.

Com seu gol aos 48 minutos do segundo tempo, encerrava-se uma espera de 44 anos por um título nacional do clube, e se iniciava sua mitificação entre a fanática torcida azul. Tornou-se o melhor jogador da história e maior ídolo. 

Neste ano, após uma década como símbolo e referência do time inglês, Kun Aguero mudou-se para o Barcelona. Quase não jogou e ontem surgiu a triste notícia que poderá parar por problemas cardíacos. Mas a idolatria continuará.

Indústria 
O desembargador Claudio Santos comentou nas redes sobre o tamanho incalculável da estrutura econômico-financeira em torno da Covid. E indagou quanto é o lucro em dólar e euro nas vacinas e exames obrigatórios de viagem.

Afetados 
Uma diretora da OMS decreta “quarta onda” da Covid na Europa, países com alto percentual de vacinação têm aumento de óbitos, como Luxemburgo com 100% vacinados. Será que o mundo está diante de um chabu na picada?

Perigo
Na Itália, pelo menos sete deputados testaram positivo para Covid-19 e se ausentaram do parlamento, onde toda a composição da casa está devidamente vacinada com duas ou mais dosagens. Os vacinados seguem se infectando.

Teste 
Há uma preocupação enorme com a liberação das festas com grandes públicos, como carnaval e jogos de futebol. Com a obrigatoriedade da vacina para o acesso, se houver uma onda de contágios compromete a eficácia.

Literatura 
O Prêmio São Paulo de Literatura divulgou os vencedores da 14ª edição. Com 281 livros inscritos, duas obras de editoras independentes venceram: “Front”, da Nós, de Edimilson Pereira; e “Ao Pó”, da Patuá, de Morgana Kretzmann.

Ausência 
Faleceu na terça-feira o escritor espanhol Miquel Barceló, aos 73 anos. Uma referência na literatura de ficção científica, tinha formação em engenharia aeronáutica e energia nuclear. E foi estimulador de novos autores do gênero.

Humor 
A escritora Cellina Muniz lança mais um livro no sábado, 27, a partri das 9h no Sebo Vermelho, abordando o humor das redes, os memes durante a pandemia e as piadas político-eleitorais. “A Pauta é: Humor” reúne 18 crônicas da autora.

Get Back 
No ar hoje na Disney Plus a primeira parte do documentário de Peter Jackson com as raras imagens da história perdida dos últimos dias dos Beatles. Sexta e sábado entram na plataforma as outras duas partes das 6 horas de duração.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte