Lava Jato prende filho do ex-senador Edison Lobão

Publicação: 2019-09-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
São Paulo (AE) - A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira, 10, no Rio um dos filhos do ex-ministro de Minas e Energia e ex-senador Edison Lobão (MDB-MA), Márcio Lobão, em nova fase da Lava Jato. A Operação Galeria investiga crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a Transpetro, subsidiária da Petrobrás, e a Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Edison e Márcio teriam recebido, entre 2008 e 2014, cerca de R$ 50 milhões em propinas.

Policiais federais recolhem material apreendido nas buscas
Policiais federais recolhem material apreendido nas buscas

Alvo de um mandado de prisão preventiva expedido pela juíza Gabriela Hardt, da 13.ª Vara Federal de Curitiba, Márcio é apontado como o responsável pelo ajuste de pagamentos e pela coleta da propina, segundo os investigadores. Os policiais também cumpriram mandados de busca e apreensão em São Paulo, Rio e Brasília. Entre os endereços alvo estão galerias de arte e escritórios de agentes financeiros que administravam contas de Márcio no exterior.

A operação investiga crimes relativos ao contrato de construção de Belo Monte e irregularidades em mais de 40 acordos entre a Transpetro e um grupo de empresas do ramo de serviços ambientais Somados, os contratos chegam a R$ 1 bilhão, conforme o Ministério Público Federal no Paraná.

A suspeita da PF é de que os valores indevidos recebidos por Márcio tenham sido incorporados a seu patrimônio por meio de diferentes operações de lavagem de dinheiro, como "transações sobrevalorizadas de obras de arte, inclusive em nome de laranjas, simulações de compra e venda de imóveis, simulação de empréstimos, depósitos fracionados em espécie e utilização de contas e transações financeiras no exterior".

O nome da operação remete a transações com obras de arte "que teriam sido utilizadas como forma de dar aparência lícita aos valores provenientes de vantagens indevidas".

Ao decretar a prisão de Márcio Lobão, a juíza falou em "fortes indicativos de que Edison Lobão, ex-senador da República e ex-ministro de Minas e Energia, teria solicitado propinas, inclusive por intermédio de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, aos Grupos Estre e Odebrecht". Ainda segundo Gabriela, "a fim de operacionalizar o ajuste de pagamento e a coleta de tais propinas, Edison Lobão designou seu filho, Márcio".

Na decisão, a magistrada cita outra operação da qual Márcio foi alvo, em 2017, a Leviatã. "Apenas com a prisão será possível conter a prática de novos delitos e viabilizar a recuperação de ativos originários de ilícitos."

Os investigadores da Operação Galeria suspeitam que Márcio Lobão tenha lavado, por meio da compra de obras de arte, pelo menos R$ 10 milhões apontados como propina. A investigação identificou um incremento de mais de R$ 30 milhões no patrimônio do filho do ex-senador.

Márcio e seu pai já são réus por corrupção em contrato de construção da usina. A denúncia do MPF  relata supostos pagamentos ilícitos, entre 2011 e 2014, no valor de R$ 2,8 milhões.



continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários