Leitura da mensagem é marcada por protestos

Publicação: 2014-02-18 00:00:00 | Comentários: 1
A+ A-
A governadora Rosalba Ciarlini apresentou, ontem, a última mensagem anual à Assembleia Legislativa da atual gestão. A solenidade foi marcada por protestos de sindicatos do funcionalismo. Com palavras de ordem, cartazes e apitos, os manifestantes obrigaram a governadora a interromper, por alguns momentos, a leitura.
Júnior SantosGovernadora Rosalba Ciarlini lê a mensagem anual à Assembleia Legislativa e destaca projetos em execuçãoGovernadora Rosalba Ciarlini lê a mensagem anual à Assembleia Legislativa e destaca projetos em execução

O clima tenso na Assembleia começou logo com a chegada dos manifestantes. Rosalba Ciarlini, para evitar os protestos, preferiu a entrada lateral, mas, ao chegar no plenário da Assembleia se deparou com gritos e cartazes. Durante o pronunciamento, com duração de uma hora e 20 minutos, a chefe do Executivo era interrompida nos momentos em que ela enaltecia ações feitas pela sua gestão.

A mensagem anual da governadora não trouxe surpresas. Ela iniciou o discurso falando sobre as dificuldades encontradas ainda quando foi empossada no cargo, lembrou a dívida de R$ 800 milhões encontrada no Executivo. A chefe do Executivo interrompeu o discurso para exibir um vídeo publicitário no qual mostrou as obras realizadas, incluindo na lista o Aeroporto de São Gonçalo do Amarante e a Arena das Dunas, além de outras obras financiadas pelo Governo Federal.

A governadora destacou a realização da Copa em Natal. “Acreditei na Copa, como acredito no povo potiguar, porque vi as oportunidades que esse evento traria para nosso Estado e, especialmente, para Natal. De fato, vislumbrei que a Copa era mais do que um estádio de futebol”, destacou. Depois, a chefe do Executivo ressaltou as obras realizadas e chamou atenção para o programa Sanear RN.

Durante a mensagem anual, a governadora disse que uma das ações na saúde foi no Hospital Walfredo Gurgel que estava, segundo ela, há seis meses sem macas nos corredores da Ortopedia. Minutos depois da afirmação de Rosalba Ciarlini, os manifestantes da galeria exibiram uma faixa com a informação de que naquele momento havia 22 pacientes em macas em recuperação de cirurgia, por falta de leitos no Hospital Walfredo Gurgel.

“Iniciamos a reforma em 12 unidades hospitalares, abrimos 115 leitos, dos quais 45 são de UTI. Em 30 dias, mais 60 leitos, sendo 30 de UTI. Até o final de 2014, mais 128 de clínica médica. Gostaria de lembrar, que há exatos seis meses o corredor de politrauma do Walfredo Gurgel se encontra regularizado”, disse a governadora, afirmando que o Rio Grande do Norte é um dos Estados que mais aplica recursos em saúde, comprometendo 13% da receita de impostos. Na área da educação, a governadora lembrou que o Estado está pagando o piso nacional do professor e destacou que já foram convocados 3.900 professores do concurso público realizado em 2011.

ELEIÇÃO
Rosalba Ciarlini evitou ocupar um tempo expressivo do discurso com assuntos relacionados à eleição. A única menção foi ao final. Falando de improviso, ela disse que “o futuro não pertence a uma eleição, mas a nossos filhos e nossos netos”.

A governadora, em tom de desabafo, observou que o tempo mostrará a verdade sobre a leitura. “Ainda temos muito a fazer, muitos frutos a colher e tantas sementes a plantar. Sementes que vão fazer o Rio Grande do Norte maior, melhor e mais justo. O tempo, senhor da razão, mostrará o que esta mensagem anual listou”, disse Rosalba.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários

  • ajame

    Bla bla bla. E a violência que só aumenta? Cadê a mobilidade urbana? A saúde está falida, assim como a educação. Eu nunca vi o nosso estado tão abandonado! E a cervejinha no estádio, é só para os gringos?