Libertas

Publicação: 2011-11-20 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Viver a vida não vivida

Viver a vida não vivida é um livro, escrito por um analista Robert Johnson e um psicólogo Jerry Ruhl, muito interessante que pode levar o leitor a refletir sobre sua própria vida. A vida não vivida refere-se às experiências que deixamos de ter por motivos diversos: acomodação, insegurança, medo, dependência. Muitas pessoas têm dificuldade de assumir seus desejos e escolhas. Não se dão conta de que são elas as principais responsáveis pela trajetória e qualidade de suas vidas. Preferem responsabilizar os outros - pais, cônjuge, filhos, trabalho - pela acomodação e não realização de seus desejos. Muitas vezes, vivem numa constante insatisfação e até tédio por uma vida vazia. Sabe-se que são comuns as pressões familiares para que todos mantenham o mesmo modo de vida, o mesmo comportamento, sem grandes riscos ou aventuras. Ficar na zona de conforto parece mais seguro, embora nem sempre satisfatório. Quantas pessoas atravessam a vida num trabalho e/ou num relacionamento infeliz sem nenhum movimento de mudança. Queixam-se sempre das mesmas situações, dão mil justificativas, mas não se mobilizam para encontrar alternativas mais sadias. Sempre que pensarmos ou falarmos “se eu tivesse..., seu eu soubesse..., se fosse mais nova..., quando meus filhos crescerem..., quando me aposentar..., certamente estamos deixando de realizar algo e, ao mesmo tempo, matando em nós possibilidades de viver experiências enriquecedoras. No momento presente, viver a vida não vivida pode ser um interessante caminho de descobertas e não arrependimentos pelo que não foi realizado.

Grace Wanderley de Barros Correia - psicoterapeuta

O Mandarim

Um homem que foi nomeado mandarim, uma espécie de conselheiro na China. Envaidecido com a nova posição, pensou em mandar confeccionar roupas novas. Um amigo lhe recomendou um alfaiate especial que sabia dar a cada cliente o corte perfeito. Depois de anotar todas as medidas, o alfaiate lhe perguntou há quanto tempo ele era mandarim. Ora, perguntou o cliente, o que isso tem a ver com a medida do meu manto? Paciente, o alfaiate explicou: É que um mandarim recém-nomeado fica tão deslumbrado com o cargo que anda com o nariz erguido, a cabeça levantada. Nesse caso, preciso fazer a parte da frente maior que a de trás. Depois de alguns anos, torna-se sensato e olha para diante para ver o que vem em sua direção. Para esse costuro um manto de modo que fiquem igualadas as partes da frente e a de trás. O homem saiu da loja pensando muito mais nos motivos que levaram seu amigo a lhe indicar aquele sábio alfaiate, e menos no manto que viera encomendar.

Energia eólica

Natal irá sediar, pelo terceiro ano consecutivo, o maior evento brasileiro do setor de energia eólica, a 3º edição do Fórum Nacional Eólico e da Carta dos Ventos, que será realizada nos dias 21 e 22 de novembro, no Hotel Pirâmide. Informações em www.viex-americas.com.br.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários