Licitação deserta

Publicação: 2018-05-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O governo estadual está com dificuldade na concorrência para a escolha do banco que poderá ficar com a gestão da folha de pagamento de pessoal. A licitação, que estava prevista para segunda-feira, 14, mais uma vez foi considerada "deserta". Nenhuma instituição bancária apareceu com proposta de "compra" das contas salariais do funcionalismo público, que atualmente é de responsabilidade do Banco do Brasil, com contrato até 2020. O governo esperava arrecadar R$ 300 milhões com a venda das contas salários de 103.618 servidores. A Secretaria de Administração e Recursos Humanos (Searh) vai reunir a equipe técnica para decidir o caminho a ser adotado em relação ao assunto.

Coligação proporcional
Nas conversas sobre formação de alianças para a chapa proporcional, uma das possibilidades que está em articulação é uma coligação integrada pelo PSDB, PR e PP.

Gestão pública
O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão apresentou um sistema gratuito para ajudar órgãos públicos na gestão de riscos, o chamado Ágatha. Trata-se de uma ferramenta desenvolvida para documentar eventuais riscos nos processos internos da administração pública, oferecendo mecanismos de controle e de tratamento das inconformidades.

Avaliação do administrador
A meta é que o Sistema Ágatha auxilie no acompanhamento dos planos de melhoria e apoie a tomada de decisão pelo gestor público.  Os gestores preenchem no sistema informações sobre o processo que desejam avaliar, fornecendo informações como quem é encarregado do processo, as normas internas a que o processo está submetido e os objetivos que pretendem ser alcançados, entre outros pontos.

Auditoria nas urnas
O secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, tem afirmado que, embora não haja registro de fraude comprovada nos 20 anos de utilização do sistema eletrônico de votação no Brasil, ao longo do período foram criados vários mecanismos de auditoria dos softwares com o objetivo de ampliar a segurança do sistema, entre eles testes públicos de segurança. “O TPS demonstra a transparência e o caráter democrático do sistema eleitoral informatizado, uma vez que conta com a participação da sociedade, que dá a sua contribuição para a melhoria contínua do processo”, disse Janino. “As evidências apontadas nesses eventos garantem: o processo eleitoral é seguro e a fraude é inviável”, acrescentou.

Criação O presidente da Câmara, vereador Raniere Barbosa, e o superintendente dos Correios no Rio Grande do Norte, Rodrigo do Patrocínio Medeiros, trataram da criação de um selo comemorativo dos 70 anos de reabertura do legislativo municipal.

Combate ao abuso
A Assembleia Legislativa vai lançar uma campanha de combate ao abuso infantil. O lançamento oficial será, em audiência pública, na próxima sexta-feira (18), às 9h. Trata-se de uma proposição do presidente da Assembleia, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), da presidente da Frente Parlamentar da Criança e do Adolescente, deputada Márcia Maia (PSDB), e do deputado Hermano Morais (MDB).

Cargos na segurança
Em sessão do Congresso Nacional, parlamentares aprovaram, ontem, dois projetos de lei do governo que permitem a criação de mais 164 cargos ou funções para a área da Segurança Pública. Por maioria, deputados e senadores também referendaram a criação de outras 67 vagas para a intervenção federal do Rio de Janeiro, que já estavam previstas em Medida Provisória (MP) editada em abril. No total, serão 231 novas funções, que terão impacto de cerca de R$ 45 milhões no orçamento até 2019. As matérias vão à sanção presidencial.

Abaixo das expectativas
O ex-presidente do PSDB Alberto Goldman admitiu que o desempenho do presidenciável tucano Geraldo Alckmin deixa a desejar em São Paulo, que seria fundamental para o êxito da candidatura. Alberto Goldman admitiu que seria de se esperar uma performance melhor do candidato do PSDB em seu principal colégio eleitoral.

Perspectiva de recuperação 
Mesmo com a constatação das dificuldades, o ex-presidente do PSDB tucano minimizou  o resultado da pesquisa CNT/MDA divulgada ontem. Disse que o levantamento divulgado não traz "nada de significativo", sob o argumento de que ainda é cedo demais para avaliar o resultado. A pesquisa mostra Alckmin na quinta posição em âmbito nacional, com 4%, atrás de Lula (PT), Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PSB). Na última Ibope, divulgada pela TV Bandeirantes em 24 de abril, Alckmin tem 15% das intenções no Estado de São Paulo, tecnicamente empatado com Jair Bolsonaro, que tem 16%.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários