Viver
“Livro das Odes” já nasce como objeto de arte
Publicado: 00:00:00 - 11/12/2012 Atualizado: 21:48:54 - 10/12/2012
A unidade do “Livro das Odes” se dá pela forma, a forma introspectiva como os temas são tratados por Nelson Patriota, que bebe na fonte do Modernismo brasileiro e no Simbolismo francês para delinear os pensamentos. A nova obra do escritor e jornalista será lançada nesta terça-feira, às 18h, na Academia Norte-riograndense de Letras, em Petrópolis. A primeira edição sai pela Editora Sol Negro, com exclusivas 70 unidades numeradas, por R$ 30 – uma publicação artesanal de alto nível, diga-se de passagem. Uma segunda edição está nos planos do autor, que pretende disponibilizar o livro nas livrarias da cidade.
Em novo livro, Nelson Patriota envereda pelos versos sob influência da poesia simbolista e modernista
“Precisava de uma editora que trabalhasse com o livro enquanto objeto de arte”, disse Patriota, que não havia planejado editar o “Livro das Odes” agora. “Dei uma pausa no romance ‘Tribulações de um homem chamado silêncio’ para organizar essas doze odes”, lembrou. O título reúne 12 odes escritas em várias épocas, mas apenas uma não é inédita: “Ode Errante” foi publicada ainda na primeira fase da revista Preá (FJA).

Por definição, ode é um “poema lírico com estrofes simétricas, de caráter entusiástico”, mas o perfil Modernista que permeia a estética perseguida pelo autor contesta o formato e lança mão do “verso branco com rima livre”. “Escrevi esses textos em dois momentos, busca soluções e caminhos para superar crises existenciais. A literatura foi a minha terapia”, confessa. Ele lembra de uma declaração de Zila Mamede no Programa Memória Viva. “Aos 12 anos Zila não sabia se ia para um convento, e começou a escrever para buscar respostas até se descobrir escritora. Vejo a escrita como forma de ordenar pensamentos”.

O “Livro das Odes” traz orelha assinada por Lívio Oliveira: “Não se faz necessário afirmar que nesses versos está situada uma comovente e sublime maneira de tratar a palavra poética. Nelson não desperdiça palavras em suas doze Odes. Sentimentos, sonoridades, lugar da estética musical, uma razão lógica e lances de emoção desbragada se casam e se harmonizam, encontrando lugar na poesia que envolve o leitor sob o fino e macio tecido”, escreveu o escritor e poeta.

Em tempo: o lançamento do romance “Tribulações de um homem chamado silêncio” está previsto para o segundo semestre de 2013. “É uma ficção que trata da relação da atividade de escritor com a do jornalista, principalmente que atua no campo da literatura e da Cultura. Traz muito da minha vivência ao longo dos anos”, explicou.

Nelson Patriota também aproveita a ocasião para relançar “Uns Potiguares – Escritos sobre as letras norte-riograndenses e outras” (Sarau das Letras/2010, 263 páginas, R$ 30), compilação de ensaios sobre assuntos, temas e autores potiguares.

Destaque do autor

“Ode ao poema ferido”

 Pássaro ferido em pleno voo

O poema se deixa abater

Sob a janela que dá para o meu gabinete. Vejo-o agônico, quase desfalecido, tombar sobre o assoalho.

Lentamente, tomo-o nas mãos, atento a seus gemidos, a fim de pensar-lhes as feridas.

“É grave seu estado”, digo para mim mesmo, ciente de que, em tal caso, o mais provável é que não me escute

Serviço:

Lançamento do “Livro das Odes” (Sol Negro, 61 páginas, R$ 30), hoje, às 18h, na Academia Norte-riograndense de Letras – Rua Mipibu, 443, Petrópolis.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte