Viver
Livro potiguar 'Maldito Sertão' ganha sua primeira tradução para o inglês
Publicado: 00:00:00 - 20/01/2022 Atualizado: 10:38:36 - 20/01/2022
Tádzio França
Repórter

“Maldito Sertão”, o livro que pôs o escritor potiguar Márcio Benjamin no mapa do terror nacional, agora  já pode assustar também pessoas que não lêem em português. A obra ganhou sua primeira tradução para o inglês, com o título “Cursed Badlands”, e está disponível online em e-book na Amazon, no Kindle Unlimited, e na plataforma pedagógica Árvores de Livros. Benjamin é um entusiasta da literatura de terror, e se movimenta há anos para expandir esse gênero para além das fronteiras potiguares e reverter o preconceito local. A versão em inglês é apenas mais uma ação dessa trajetória assombrosa. 

Divulgação
O livro é uma coletânea de contos de suspense e terror

O livro é uma coletânea de contos de suspense e terror


Há tempos o escritor queria transformar “Maldito Sertão” em “Cursed Badlands”. Apesar de ser fluente em inglês e espanhol, ele ainda não se sentia seguro para a missão, devido às peculiaridades de linguagem que o livro tem. “Foi através da minha amiga Bia Madruga que conheci os magos que são os tradutores Hális França e Samantha Ovídio, que encararam o desafio maravilhoso que foi verter o livro pra língua do Tio Sam, contando com a revisão da professora Jennifer S. Cooper”, conta o autor à TRIBUNA DO NORTE. 

O processo de tradução durou dois meses. Segundo Benjamin, o fato de o texto ter muitas expressões potiguares e nordestinas levou os tradutores a serem ainda mais cuidadosos com o trabalho. “A tradução respeitou bastante o que se pretendia dos objetivos do livro, notadamente em relação à oralidade e aos termos, com a diferença de serem traduzidos para o inglês, daí a dificuldade”, conta. Ele ressalta que ficou em contato constante com os tradutores, trocando ideias. “Eles foram bastante flexíveis e abertos”, completa. 

Levar seu “terror sertanejo” para outras paragens é uma aspiração assumida pelo escritor potiguar.  “Fiquei muito feliz com o retorno que recebi de leitores norte-americanos acerca do livro, principalmente por ele ter atingido os seus focos, de acordo com o que li das críticas, objetivos estes muito coerentes com o 'Maldito Sertão' em português”, diz. Segundo ele, a ideia é batalhar para projetar a tradução no exterior, por ser um livro do qual se orgulha em ter feito, e ser “a cara do Nordeste e do Brasil, uma obra muito rica para representar o nosso estado”. 

Palco e vídeo 
“Maldito Sertão” foi lançado originalmente pela editora Jovens Escribas e é a estreia de Benjamin – que também é dramaturgo - na literatura. O livro é uma coletânea de contos de suspense e terror ambientados no nordeste brasileiro profundo. O autor resgatou causos misteriosos, histórias de assombração e lendas urbanas (ou rurais) que os avós do interior contavam pros netos na calçada de casa, na praça da igreja, ou no balançar da rede. 

Além da tradução em inglês, “Maldito Sertão” ainda é alvo de diversos projetos diferentes. Já foi relançada em versão quadrinhos (graphic novel), e está sendo adaptada como um...musical! Benjamin explica que a ideia foi do ator Doc Câmara, que pensou em recontar o livro numa pegada mais leve e juvenil. Ele reescreveu as histórias junto com Doc, mais o toque do músico Márcio Ruperto. A montagem ficaria a cargo da Companhia Livre de Teatro Musical da EMUFRN, mas a pandemia pausou o projeto por enquanto. 

Há também a possibilidade de “Maldito Sertão” virar série. A missão ficará a cargo de César Ferrário e Hélio Ronyvon, e será produzida pelo Coletivo Caboré Audiovisual. Benjamin conta que a ideia foi escolhida tendo em vista as rodadas de negócio do projeto Nordestelab que, dentre outras ações, tem apresentado projetos nacionais para produtoras. “Tivemos a honra de sermos escolhidos para a análise da Amazon Studios. Agora é cruzar os dedos! “, diz. 

DarkSide
Os sustos não param por aí. Benjamin assinou há algum tempo com a editora carioca DarkSide, a maior do país  especializada em literatura de terror.  Segundo o potiguar, a obra deverá ser lançada até o primeiro trimestre de 2022. Segundo ele, será uma mistura de romance e contos em homenagem à cultura popular – mas sob um viés bem diferente do habitual, claro. 

O autor adianta que serão retomados alguns contos de “Maldito Sertão” em novos contextos, mas a narrativa será bem mais ampla. “O novo livro vai trazer de física quântica à viagem no tempo, passando pelo fundamentalismo religioso, representatividade LGBTQIA+...ou seja, está bem Brasil e mais ainda mais Nordeste! E tem desde já um sabor cheio de amor e carinho, porque foi dedicado à minha mãe, falecida ano passado e quem primeiro me apresentou à leitura”, explica. 

Influenciado por autores que vão de Stephen King a Gabriel Garcia Marquez, passando por Cascudo, Graciliano Ramos, Anne Rice e Mariana Enriquez, Benjamin acha que o potencial potiguar no segmento literário de gênero é alto, mas ainda pouco divulgado e apoiado. “O público precisa se informar mais e o artista, ser mais profissional e focado. Tenho muita esperança  que o contato com  essas obras será realizada em um futuro próximo.  É pra ontem desestruturar essa conversa de que o nosso Estado não tem cultura”, conclui. 

Serviço:
“Cursed Badlands” (“Maldito Sertão”), de Márcio Benjamin. À disposição na Amazon, Kindle Unlimited, e Árvore de Livros, 

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte